Il Giornale

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
il Giornale
Periodicidade Diário
Formato Tabloide
Sede Milão
País  Itália
Fundação 1974 (48 anos)
Fundador(es) Indro Montanelli
Proprietário Família Berlusconi (via veículos de investimento)
Editora Società Europea di Edizioni
Editor Alessandro Sallusti
Editor adjunto Nicola Porro
Orientação política Conservadorismo
Liberalismo conservador

Berlusconismo

Idioma Língua italiana
Circulação 79 125 (2012)
ISSN 1124-8831
Sítio oficial ilgiornale.it

O il Giornale é um jornal diário em italiano, de cariz conservador, publicado em Milão, Itália.[1][2]

História e perfil[editar | editar código-fonte]

O jornal foi fundado em 1974 pelo jornalista Indro Montanelli,[2][3] juntamente com os colegas Enzo Bettiza, Ferenc Fejtő, Raymond Aron e outros, após algumas divergências com a nova linha editorial pró-esquerda adotada pelo jornal Corriere della Sera, onde Montanelli havia sido um dos colaboradores mais importantes. Montanelli deixou o Corriere della Sera em 1973.[2]

O jornal foi publicado pela primeira vez em 25 de junho de 1974[4][5] como il Giornale nuovo, contando com Indro Montanelli como editor e membro do conselho executivo e com um escritório composto por 59 jornalistas. Em 1977, Montanelli, em dificuldades financeiras, aceitou uma oferta de Silvio Berlusconi, que se tornou o novo proprietário.[6]

Em 1983, o jornal foi renomeado como il Giornale. Quando Berlusconi entrou na política em dezembro de 1993, Montanelli deixou o jornal, temendo pela sua própria independência, e fundou o jornal diário La Voce.[7] Em 1992, Berlusconi deixou o papel de dono do il Giornale para o seu irmão Paolo.[6] Em 2003, a editora do jornal, Società Europea di Edizioni,[8] era propriedade de Paolo (58,3%) e da Mondadori Editori (41,7% direta e indiretamente).[9]

O jornal foi publicado em formato standard[10] até maio de 2005, quando mudou para o formato tabloide. Em maio de 2005, o il Giornale iniciou sua versão online.[4] Em 2007, a revista mensal de negócios Espansione tornou-se um suplemento do jornal.[11][12]

Em 2016, a Società Europea di Edizioni ainda era parcialmente detida diretamente em 36,90% pela Arnoldo Mondadori Editore,[13] sendo que em 2017 foi relatado que Roberto Amodei, proprietário de vários jornais desportivos da Itália, teria interesse em subscrever um aumento de capital da Società Europea di Edizioni.[14]

Circulação[editar | editar código-fonte]

Cópias vendidas por ano
Ano Cópias Ref
1997 218.741 [15]
2000 235.000 [16]
2001 228.198 [9]
2002 219.363 [9]
2003 216.000 [10]
2004 208.407 [17]
2008 192.667 [18]
2009 184.882 [19]
2010 183.923 [19]
2012 79.125 [20]

Il Giornale della Libertà[editar | editar código-fonte]

O Il Giornale della Libertà era um semanário político gratuito, liderado por Michela Vittoria Brambilla e anexado ao Il Giornale, mas foi severamente criticado pela sua equipa editorial, que mais tarde entrou em greve (pela segunda vez após a partida de Indro Montanelli).[21]

Editores[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Communicating Europe: Italy Manual» (PDF). European Stability Initiative 
  2. a b c «Witch-hunts and Corriere della Sera. A conservative perception of American political values in Cold War Italy: The 1950s». Cold War History. 11: 69–83. doi:10.1080/14682745.2011.545599 
  3. Gino Moliterno, ed. (2005). Encyclopedia of Contemporary Italian Culture (PDF). Routledge. London and New York: [s.n.] ISBN 978-0-203-74849-7 
  4. a b Lapo Filistrucchi. «The Impact of Internet on the Market for Daily Newspapers in Italy» (PDF). EUI Working Paper 
  5. «The Transformations of Traditional Mass Media Involvement in the Political and Electoral Process» (Conference Paper). ECPR 
  6. a b Emanuela Poli. «Silvio Berlusconi and the myth of the creative entrepreneur». Modern Italy. 3: 271–279. doi:10.1080/13532949808454809 
  7. Piero Benetazzo. «Berlusconi and the Battle for the Italian Media». Nieman Reports. 48 
  8. «Il Giornale shrinks format, boosts flexibility». König and Bauer Group 
  9. a b c David Ward (2004). «A Mapping Study of Media Concentration and Ownership in Ten European Countries» (PDF). Dutch Media Authority 
  10. a b «World Press Trends» (PDF). World Association of Newspapers 
  11. «Fabio Metitieri - June 2008 English Résumé». Xoomer 
  12. «Le nostre testate». Newspaper Milano (em Italian) 
  13. «2016 Annual Report» (PDF). Arnoldo Mondadori Editore 
  14. «Editoria, il nuovo socio de Il Giornale sarà Roberto Amodei». lettera43.it (em italiano) 
  15. Carmelo Mazza. «The management publishing industry in Europe» (Occasional Paper No:99/4). University of Navarra 
  16. «Top 100 dailies 2000». campaign 
  17. «European Publishing Monitor. Italy» (PDF). Turku School of Economics and KEA. Cópia arquivada (PDF) em 11 de abril de 2015 
  18. Data for average newspaper circulation. Survey in 2008 in Italy Arquivado 2011-07-22 no Wayback Machine Accertamenti Diffusione Stampa
  19. a b «National Newspapers». International Federation of Audit Bureaux of Circulations 
  20. «Daily newspapers: national circulation (2012)». Agcom 
  21. «Inserto dei "Circoli della Libertà" e al "Giornale" scatta lo sciopero». la Repubblica (em Italian) 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]