Ilha de Elefanta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Elefantina, a ilha no Nilo.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde abril de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ilha de Elefanta
Gharapuri • Pory
Ilha de Elefanta está localizado em: Índia
Ilha de Elefanta
Localização da ilha de Elefanta na Índia
18° 58' N 72° 56' E
India-Elephanta-Trees.jpg
Vista da ilha junto ao cais de desembarque dos ferryboats
Geografia física
País  Índia
Localização ao largo de Bombaim
Distrito Raigad
Largura 1.3 km
Comprimento 2 km
Geografia humana
População 1 200
Aldeias: Rajbandar (capital) • Shentbandar • Morabandar

A ilha de Elefanta (em inglês: Elephanta Island), também chamada localmente ilha de Pory ou ilha de Gharapuri é uma das várias ilhas do Porto de Bombaim (Mumbai Harbour ou Front Bay), situada 11 km a leste da baixa de Bombaim.

É um destino turístico popular devido às Grutas de Elefanta, um complexo religioso hindu [1] com templos escavados em cavernas, datados dos séculos V a VIII, que está inscrito na lista de Património Mundial da UNESCO. [2] A ilha é acessível por ferryboat a partir do centro de Bombaim, do cais junto ao Portal da Índia; a viagem demora cerca de uma hora.

História[editar | editar código-fonte]

Conhecida localmente como Gharapuri, o nome de Elefanta foi dado pelos exploradores portugueses do século XVI, devido à presença de uma escultura de um elefante feita num monolito de basalto junto à entrada. Essa escultura caiu ao mar quando a tentavam levar da ilha, mas séculos mais tarde foi recuperada pelos britânicos e colocada no Museu Vitória e Alberto, atualmente chamado Museu Dr. Bhau Daji Lad, em Bicula.

A ilha teria sido a capital de um poderoso reino local. No manuscrito F de Leonardo da Vinci, conservado na Biblioteca Nacional de França, há uma nota onde se lê «mapa de Elefanta na Índia que Antonello o camiseiro tem». Desconhece-se quem terá sido este viajante florentino chamado Antonello.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A ilha é densamente florestada com palmeiras, mangueiras e tamarindeiro. Tem cerca de 1 200 habitantes, que vivem do cultivo de arroz, pesca e reparação naval. Há três aldeias: Shentbandar, Morabandar e a capital Rajbandar. Não é permitido aos turistas passar a noite na ilha.

Notas e referências[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ilha de Elefanta


  1. "Manual do Turista". «Mumbai, a grande metrópole do sul da Índia». Consultado em 6 de abril de 2016.. Cópia arquivada em 6 de abril de 2016 
  2. Luiza Antunes ("360 Meridianos"). «Conheça a Ilha da Elefanta, em Mumbai». Consultado em 6 de abril de 2016.. Cópia arquivada em 27 de março de 2016