Instituto Bairral de Psiquiatria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Instituto Bairral de Psiquiatria
Nome completo Fundação Espírita Américo Bairral
Localização Itapira, São Paulo
Fundação 1937 (83 anos)
Sistema de saúde SUS, convênios e particular
Especialidades Internações para quadros psiquiátricos, dependência química em geral, atendimento ambulatorial para crianças (serviço apenas particular).
Site http://www.bairral.com.br
editar

Instituto Bairral de Psiquiatria é um hospital psiquiátrico filantrópico que trata de enfermidades relacionadas à saúde mental. Localizado em Itapira, interior de São Paulo, é a maior clinica psiquiátrica da América Latina, e conta com uma área de quatrocentos mil metros quadrados.[1]

O Bairral realiza atendimentos particulares e via Sistema Único de Saúde (SUS). Atualmente possui 6 frentes de atuação: Atendimento ambulatorial especializado em saúde mental, unidades de internações psiquiátricas, comunidade terapêutica, residência terapêutica, pesquisa e capacitação de profissionais.[2]

É uma instituição filantrópica sem finalidade lucrativa. É gerida administrativamente por um Conselho Curador[3], um Conselho Diretor[4] e um Conselho Fiscal[5]. Os componentes desses órgãos são todos voluntários.

Possui, atualmente, cerca de 800 leitos, onde aproximadamente 500 são destinados ao SUS[6] e o restante às demais unidades de tratamento, para pacientes particulares e de convênios. Seu quadro de funcionários compõe-se de cerca de 935 pessoas.

História[editar | editar código-fonte]

Fundado em 1937 por Américo Bairral, no início, o hospital atendia apenas enfermos indigentes que chegavam de regiões distantes. Sem qualquer fonte de renda, o Bairral dependia dos donativos das pessoas que se interessavam em ajudar a instituição.[7]

Comunidade Terapêutica Rural Santa Carlota[editar | editar código-fonte]

A Comunidade Terapêutica Rural Santa Carlota conta com 120 vagas destinadas ao público masculino, já tendo atendido mais de 2000 dependentes. Nesta modalidade de tratamento, o candidato reside por todo o período do tratamento em uma comunidade supervisionada e instalada em uma fazenda com mais de 70 mil metros quadrados. Sua permanência é voluntária e o residente é submetido a um programa terapêutico baseado no respeito à dignidade por meio da cultura de paz e não violência.

Na Comunidade Terapêutica Rural Santa Carlota, a recuperação é alcançada por meio de um programa que conta com a ciência aliada a espiritualidade. Todos os dias se iniciam e se encerram com a prática da espiritualidade e além disso, todo o tratamento é realizado com acompanhamento médico, clínico e social, com especial atenção para o manejo de crises e conflitos.

A duração do tratamento depende, mas normalmente dura cerca de 8 meses. Nesse período, o residente passa pelas fases de acolhimento, reabilitação, recuperação e reinserção social.[8]

ECT - Eletroconvulsoterapia[editar | editar código-fonte]

A (ECT), eletroconvulsoterapia, chamada também de terapia eletroconvulsiva, electroconvulsivoterapia, eletroconvulsivoterapia, é uma das formas de tratamento psiquiátrico oferecida no Bairral. Nessa modalidade de tratamento, são provocadas alterações na atividade elétrica do cérebro por meio da passagem de uma corrente elétrica.[9]

O uso da ECT oferecida no Bairral, envolve uma prévia avaliação clínica do paciente (exames clínicos, de imagem e laboratoriais), anestesia, monitoramento da recuperação pós-procedimento, entre outros.[10]

Durante a aplicação, é feita uma monitorização do funcionamento cardíaco e da oxigenação do sangue, além de um controle da pressão arterial. Os aparelhos utilizados para a ECT atualmente são muito desenvolvidos, permitindo que se dê uma carga de energia adequada para cada paciente. Pode-se realizar a aplicação bilateral (na qual os eletrodos são posicionados nas têmporas) ou unilateral (na qual os eletrodos são posicionados um na têmpora e o outro na região superior da cabeça).

Diferentemente do imaginário de filmes e séries de TV, a ECT é um tratamento seguro e é o método mais eficaz de tratamento da depressão, em especial para o grupo de pacientes com depressão resistente ao tratamento (DRT).[11]

A eficácia para este transtorno é muito alta (em torno de 90%), comparada com as medicações (em torno de 70%). Pacientes idosos, que são mais sensíveis aos efeitos colaterais das medicações antidepressivas, podem se beneficiar bastante com a ECT. Também pode ser utilizada para casos em que haja catatonia (uma síndrome comum na esquizofrenia na qual a pessoa fica completamente parada, sem falar e sem se alimentar).[12]

Para pacientes com transtornos mentais durante a gestação (depressões, psicoses) a ECT é o tratamento mais seguro, pois os remédios podem fazer mal à criança, induzindo mal formações, especialmente no primeiro trimestre da gravidez. Pacientes com esquizofrenia ou transtorno bipolar do humor em fase de mania também podem se beneficiar da ECT, especialmente quando o quadro é grave e/ou as medicações não obtiveram resultado satisfatório.

Para poder usufruir desse serviço no Bairral, o paciente precisa receber as devidas orientações, assinar um termo de consentimento, apresentar um termo de encaminhamento (assinado pelo médico psiquiatra encaminhador) e um termo de liberação assinado por um médico clínico.[13]

Referências

  1. SCHOEREDER, Gilberto. Portal do Espírito | Instituto Bairral: Espiritismo e Psiquiatria Arquivado em 27 de novembro de 2011, no Wayback Machine.. Página visitada em 26/08/2011.
  2. «INSTITUIÇÕES DE SAÚDE». CREMESP, Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo. Março de 2016. Consultado em 22 de Junho de 2020 
  3. «O que é um Conselho Curador?». www.filantropia.ong. Consultado em 22 de junho de 2020 
  4. «Conselho de administração». Wikipédia, a enciclopédia livre. 28 de setembro de 2018 
  5. Camargo, Renata Freitas (11 de fevereiro de 2019). «O que faz o Conselho Fiscal em uma empresa? • Glic Fàs». Glic Fàs. Consultado em 22 de junho de 2020 
  6. News, Itapira (22 de abril de 2020). «Bairral inicia campanha para arrecadar fundos e comprar máscaras». Itapira News. Consultado em 22 de junho de 2020 
  7. BIANCHI, César. A História do Sanatório "Américo Bairral" - Uma contribuição para a História da Psiquiatria. São Paulo, 1970.
  8. «Com internações de 6 meses, clínica no interior de SP tenta reabilitar usuários de crack». noticias.uol.com.br. Consultado em 22 de junho de 2020 
  9. «Eletroconvulsoterapia». Wikipédia, a enciclopédia livre. 16 de abril de 2020 
  10. «Atendimento Especializado». bairral.com.br. Consultado em 6 de julho de 2020 
  11. Santos; Hara, Cláudia; Stumpf, Bárbara Luciane Perdigão; Rocha, Fábio Lopes (11 de setembro de 2006). «Depressão resistente a tratamento: uma revisão das estratégias farmacológicas de potencialização de antidepressivos». Jornal Brasileiro de Psiquiatria. 55 (3): 232–242. ISSN 0047-2085. doi:10.1590/S0047-20852006000300010. Consultado em 6 de julho de 2020 
  12. «Eletrochoque: mentiras e verdades que você precisa saber | Letra de Médico». VEJA (em inglês). Consultado em 6 de julho de 2020 
  13. «Atendimento Especializado». bairral.com.br. Consultado em 6 de julho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um hospital ou uma instituição de saúde é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.