Instituto de Tecnologia de Kyushu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Instituto de Tecnologia de Kyushu
九州工業大学
Brasão da universidade.
KIT
Fundação 1907
Tipo de instituição Pública
Localização Kitakyushu
Presidente Manabu Matsunaga
Campus Urbano
Página oficial www.kyutech.ac.jp

O Instituto de Tecnologia de Kyushu é uma das 87 universidades públicas do Japão. Localizada em Fukuoka, a instituição é focada na educação e pesquisa das áreas de ciências e tecnologia.

O fundador foi Matsumoro Kenjiro, segundo filho do empresário Yasukawa Keiichiro. O centenário de abertura do campus de Tobata é comemorado desde 2009, na data de 28 de maio. O pesquisador Ted Fujita é um dos ex-alunos mais conhecidos da universidade, tendo graduado no ano de 1943 e associado até o ano de 1953, até sua ida para a Universidade de Chicago.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Entrada do campus de Tobata

A universidade recebeu permissão do governo japonês para ser fundada em 1907, classificada como uma universidade privada de treinamento de engenheiros, no final do governo do imperador Meiji. O primeiro campus abriu suas portas na cidade de Tobata, em 1909. O Instituto de Tecnologia de Kyushu tornou-se uma universidade pública do Japão em 31 de maio de 1949 e, desde 1 de abril de 2004, foi incorporada uma corporação universitária pública em acordo com as leis universitárias públicas do país.[2]

Apesar da incorporação de teor público à universidade e o surgimento de autonomia financeira, a instituição ainda é controlada em diversos aspectos pelo Ministério da Educação.[2]

Modelo do campus de Tobata, em arquivos da universidade

O primeiro edifício escolar da universidade foi projetado por Tatsuno Kingo e construído inteiramente de madeira. No ano de 1995, o laboratório Satellite Venture Business Laboratory, focado nos assuntos a respeito da disciplina de engenharia, foi aberto no campus de Tobata.[3]

Missão[editar | editar código-fonte]

O primeiro presidente da universidade, Yamakawa Kenjiro, que estudou na Universidade de Yale, declarou que o objetivo da instituição era produzir cavalheiros habilidosos em tecnologia. Atualmente, a instituição amplia a sua missão, aplicando-a aos homens e às mulheres.[4]

Campi[editar | editar código-fonte]

A instituição universitária tem acordos com outras universidades internacionais, como a Universidade de Surrey, no Reino Unido, a Universidade de Old Dominion, nos Estados Unidos e a Universidade do Texas em El Paso. O Instituto de Tecnologia de Kyushu possui três campus localizados em Kitakyushu e Iizuka, dentro de Fukuoka.

Campus de Tobata[editar | editar código-fonte]

Este campus centraliza o bacharelado e a pós-graduação de engenharia. Inaugurado em 1909 e classificado como o campus mais antigo da universidade, foi desenhado por Tatsuno Kingo e possui três departamentos, sendo eles o de mineração, metalurgia e engenharia mecânica.[5]

Campus de Iizuka[editar | editar código-fonte]

Estabelecido em 1986, este campus centraliza o bacharelado e a pós-graduação da faculdade de ciência da computação e engenharia de sistemas.[6]

Campus de Wakamatsu[editar | editar código-fonte]

Em abril de 2001, foi estabelecido o campus de Wakamatsu, focado no bacharelado e na pós-graduação do curso de ciências da vida e engenharia de sistemas.[7]

Referências

  1. «History of Kyushu». Kyutech. Consultado em 24 de novembro de 2017 
  2. a b «Kyushu Institute of Technology 2015-2016» (PDF). Unoosa. Consultado em 24 de novembro de 2017 [ligação inativa]
  3. «Satellite Venture Business Laboratory». Muroran Institute of Technology. Consultado em 24 de novembro de 2017 
  4. «Message from Seniors». Kyushu. Consultado em 24 de novembro de 2017 
  5. «School of Engineering (Tobata Campus)». Kyutech. Consultado em 24 de novembro de 2017 
  6. «School of Computer Science and Systema Engineering (Iizuka Campus)». Kyutech. Consultado em 24 de novembro de 2017 
  7. «Graduate School of Life Science and Systems Engineering (Wakamatsu Campus)». Kyutech. Consultado em 24 de novembro de 2017