Jalser Renier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Jalser Renier
Deputado estadual por Roraima
Período 1 de fevereiro de 1995 até 28 de fevereiro de 2022
Dados pessoais
Nome completo Jalser Renier Padilha
Nascimento 21 de janeiro de 1972 (50 anos)
Boa Vista, RR
Cônjuge Cinthya Gadelha
Partido PSD, PSL, PFL, PSDC e Solidariedade
Profissão Político

Jalser Renier Padilha (Boa Vista, 21 de janeiro de 1972)[1] é um político brasileiro atualmente filiado ao Solidariedade. Exerceu desde 1995 até fevereiro de 2022, 7 mandatos como deputado estadual pelo estado de Roraima, sendo cassado do seu mandato como deputado estadual em 28 de fevereiro de 2022.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Sua primeira eleição foi em 1994, quando concorreu para deputado estadual pelo PSD aos 22 anos. Com 1.158 votos, foi o segundo menos votado entre os eleitos.

Reelegeu-se ainda em 1998, pelo PSL (2.317 votos, empatado com Mecias de Jesus). Pelo PFL (posteriomente Democratas), conquistou outros 3 mandatos consecutivos em 2002 (3.139 votos), 2006 (3.147) e 2010 (4.209 votos).

Em 2014, pelo PSDC, foi reeleito para seu sexto mandato seguido, recebendo a maior votação (7.152 no total), e 4 anos depois foi novamente o deputado estadual mais votado (8.401 votos), agora como filiado ao Solidariedade.

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

Durante sua passagem pela Assembleia Legislativa de Roraima, Jalser envolveu-se em duas polêmicas: em 2003, foi preso sob acusação de envolvimento no "Escândalo dos Gafanhotos", e em 2016 terminou sendo novamente detido[2], em regime semiaberto, exercendo a função de presidente da Assembleia Legislativa.[3]. O Supremo Tribunal Federal (STF), pela unanimidade de votos dos membros da Segunda Turma, anulou a decisão do Tribunal Regional Federal da Primeira Região que havia condenado o deputado Jalser Renier (SD) a seis anos e oito meses de reclusão e a 443 dias-multa pelo crime de peculato no caso conhecido como “Gafanhotos”. Sendo, assim ele foi absolvido do caso Gafanhotos.

Em 2018, Jalser invadiu uma rádio, agredindo verbalmente a ex-prefeita Teresa Surita, ex-esposa de Romero Jucá, que é investigado em diversos esquema de corrupção e lavagem de dinheiro, da época de quando foi presidente da Funai, até a Lava Jato. O caso aconteceu durante o segundo turno da campanha política para governo do Estado de Roraima, onde ela traiu seu grupo político, ao qual Jalser fazia parte, firmando apoio ao candidato de oposição, na época, Antonio Denarium. Hoje Denarium e Teresa são inimigos declarado! O Deputado Jalser Renier pediu pediu perdão para a Ex-prefeita pelo ocorrido na época, mas ela não aceitou.

Envolvimento em Sequestro[editar | editar código-fonte]

Em 1 de outubro de 2021, Jalser foi considerado suspeito de ter sido o mandante no sequestro do jornalista Romano dos Anjos, da TV Imperial (afiliada da RecordTV), em 2020[4][5][6]. O delegado João Evangelista acha que o deputado teria ordenado o sequestro alegando que o jornalista havia virado uma "pedra no sapato" após fazer uma série de críticas contra o ex-presidente da ALERR. Mas até o momento, o delegado João Evangelista não intimou o Deputado para depor e também não existem provas concretas no inquérito de que Jalser seria o mandante do sequestro do jornalista Romano do Anjos.


Cassação do Mandato

Em 28 de fevereiro de 2022 Jalser Renier teve seu mandato cassado pela Assembleia Legislativa por quebra de decoro parlamentar. Ele era suspeito de liderar milícia e mandar sequestrar o jornalista Romano dos Anjos, a cassação dele foi aprovada por 18 dos 24 colegas de parlamento.

A cassação dele já havia sido aprovada na Comissão de Ética e de Constituição e Justiça. Ele foi o primeiro parlamentar no estado a perder o mandato por decisão dos deputados estaduais[7]

Referências

  1. «Jalser Renier». Poder 360. Consultado em 1 de outubro de 2021 
  2. «Presidente da Assembleia de RR Jalser Renier se entrega à polícia». G1. 27 de outubro de 2016. Consultado em 1 de outubro de 2021 
  3. «Presidente da Assembleia Legislativa de Roraima passa noites na cadeia». G1. 13 de novembro de 2016. Consultado em 1 de outubro de 2021 
  4. «Jalser Renier: quem é o deputado suspeito de ser mandante de sequestro de jornalista em RR». G1. 1 de outubro de 2021. Consultado em 1 de outubro de 2021 
  5. «Deputado Jalser Renier é preso suspeito de mandar sequestrar jornalista em Boa Vista». G1. 1 de outubro de 2021. Consultado em 1 de outubro de 2021 
  6. «Jalser Renier é preso sob acusação de ter sido o mandante do sequestro de Romano dos Anjos». Roraima na Rede. 1 de outubro de 2021. Consultado em 1 de outubro de 2021 
  7. «Jalser Renier perde mandato de deputado por quebra de decoro após 27 anos no poder». G1. Consultado em 28 de fevereiro de 2022 

[1][2][3]


  1. Alessi, Gil (24 de maio de 2016). «Da Funai à Lava Jato, Romero Jucá coleciona escândalos e já perdeu ministério antes». El País Brasil. Consultado em 17 de dezembro de 2021 
  2. «O casal do barulho». ISTOÉ Independente. 7 de setembro de 2008. Consultado em 17 de dezembro de 2021 
  3. «STF anula julgamento que condenou Jalser e restabelece direitos políticos». Folha de Boa Vista. Consultado em 17 de dezembro de 2021