Janet Jackson (álbum)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Janet Jackson
Álbum de estúdio de Janet Jackson
Lançamento 21 de Setembro de 1982
Gravação Maio-Agosto 1982
Gênero(s) Pop, R&B, disco, funk
Duração 38:50
Gravadora(s) A&M
Produção René Moore, Angela Winbush, The Sylvers|Foster Sylvers, Bobby Watson, Jerry Weaver
Cronologia de Janet Jackson
Dream Street
(1984)
Singles de Janet Jackson (álbum)
  1. "Young Love"
    Lançamento: 7 de Julho de 1982
  2. "Come Give Your Love To Me"
    Lançamento: 10 de janeiro de 1983
  3. "Say You Do"
    Lançamento: 29 de Abril de 1983
  4. "Love And My Best Friend"
    Lançamento: 16 de Maio de 1983
  5. "Don't Mess Up This Good Thing"
    Lançamento: 18 de julho de 1983

Janet Jackson é o álbum de estreia auto-intitulado da cantora americana Janet Jackson. Lançado no dia 21 de Setembro de 1982 pela gravadora A&M. Sua carreira de cantora foi criada pelo seu pai, Joseph Jackson, quem organizou o seu contrato com a gravadora A&M Records.

O estilo musical do álbum contém pop bubblegum misturado com influencias de funk e disco. As compositoras Angela Winbush e René Moore contribuíram na grande parte das canções do álbum. Winbush e Moore também tiveram créditos na produçãodo álbum junto com Foster Sylvers, Jerry Weaver e Bobby Watson. Janet Jackson estreou no número 6 na Billboard R&B/Hip-Hop Albums e seu single, "Young Love" atingiu o número 6 na parada musical Billboard R&B/Hip-Hop Songs. O álbum vendeu aproximadamente 1,3 milhão de cópias mundialmente.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Antes de seu contrato com a gravadora A&M Records, Janet Jackson ficou conhecida como atriz de televisão, mais notável pelo seu papel de Penny na série Good Times e Charlene DuPrey em Diff'rent Strokes. Janet não queria que nenhum dos membros da sua família para participar da produção do álbum. Ela queria que fosse o seu próprio projeto, julgados por seus próprios méritos. Ela cantou parte da canção "The Magic is Working" do sitcom Diff'rent Strokes para promovê-la.

Produção[editar | editar código-fonte]

Jackson tinha dezesseis anos quando ela começou a gravar o álbum. Ela foi auxiliada por seu pai, trabalhando com vários compositores e produtores.[1] Compositores como Angela Winbush e René Moore contribuíram para grande parte das letras do álbum. Moore e Winbush compartilham créditos de produção com Foster Sylvers, Jerry Weaver e Bobby Watson. A foto da capa do álbum foi tirada por Harry Langdon na piscina da casa da família Jackson. Janet tirou a idéia de uma fotografia de Helmut Newton da atriz Elizabeth Taylor submersa em uma piscina, que ela achou "dramática".[2][3]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

O álbum foi lançado em 21 de setembro de 1982 pela A&M Records. O afro-americano de Baltimore observou que o álbum havia sido lançado, comentando que Jackson não tem nenhum membro da família Jackson ajudando, que ela está confiando "exclusivamente em seu próprio talento", e que ela tem "a voz equilibrada de um indivíduo dinâmico ".[4]

Na Billboard 200 dos EUA, Janet Jackson teve seu pico no número 63.[5] Na Nova Zelândia, o álbum alcançou o 44º lugar na New Zealand Albums Chart, durante seu gráfico de apenas uma semana em 17 de abril de 1983.[6] A partir de 2003, Janet Jackson já tinha vendido 82.000 cópias através do BMG Music Club nos Estados Unidos.[7] E vendeu 62.000 cópias adicionais de acordo com a Soundscan desde 1991.[8] Mas a maioria das vendas ocorreu antes do Soundscan começar a rastrear as vendas nos EUA em 1991. No mundo todo, o álbum vendeu 400.000 cópias, considerado um fracasso no momento.[9]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
AllMusic 2 de 5 estrelas.[10]
Rolling Stone 2 de 5 estrelas.[11]

Stephen Thomas Erlewine com Allmusic deu-lhe dois de cinco estrelas, dizendo: "Em seu álbum de estréia, Janet Jackson não demonstra nenhuma personalidade distinta musical própria. Se seus produtores tinham inventado uma maior conjunto de canções e batidas mais interessante, Janet Jackson pode ter sido um jogo agradável da ensolarada dance-pop, mas como ele está, só o "Young Love" se destaca entre os batedores indiscerníveis, sub-disco e drippy ballads.

O Baltimore Afro-American fez uma análise favorável, dizendo "As oito canções apresentam simplesmente a voz de um dinâmicas individuais".

Alinhamento de faixas[editar | editar código-fonte]

Edição padrão
N.º TítuloCompositor(es)Produtor(es) Duração
1. "Say You Do"  René Moore, Angela WinbushBobby Watson, Moore, Winbush 6:48
2. "You'll Never Find (A Love Like Mine)"  Moore, WinbushBobby Watson, Moore, Winbush 4:09
3. "Young Love"  Moore, WinbushBobby Watson, Moore, Winbush 4:56
4. "Love and My Best Friend"  Moore, WinbushBobby Watson, Moore, Winbush 4:47
5. "Don't Mess Up This Good Thing"  Foster Sylvers, Jerry WeaverWardell Potts, Jr., Barry Sarna, Dana Meyers 3:53
6. "Forever Yours"  Phillip Ingram, Attala Zane GilesWeaver, C. Sylvers 4:57
7. "The Magic Is Working"  Dorie Pride, Gene DozierWeaver, F. Sylvers 4:09
8. "Come Give Your Love to Me"  Glen Barbee, Charmaine SylversF. Sylvers, Weaver 5:03
Duração total:
38:50

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Tabela (1982) Melhor
posição
África do Sul - (South African Albums Chart)[12] 98
 Estados Unidos - (Billboard 200)[10] 63
 Estados Unidos - (Billboard R&B/Hip-Hop Albums)[10] 6
 Nova Zelândia - (New Zealand Albums Chart)[13] 44

Créditos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Carlton Publishing Group». Wikipedia (em inglês). 17 de setembro de 2017 
  2. Jackson, Janet (2011), True You: A Journey to Finding and Loving Yourself, Simon & Schuster, p. 92, ISBN 978-1-4165-8724-8
  3. Helmut Newton (2004). Portrait. Prestel.
  4. «Baltimore Afro-American - Google News Archive Search». news.google.com. Consultado em 17 de fevereiro de 2019 
  5. «Janet Jackson - Janet Jackson | Songs, Reviews, Credits». AllMusic (em inglês). Consultado em 17 de fevereiro de 2019 
  6. «charts.org.nz - Janet Jackson - Janet Jackson». web.archive.org. 24 de outubro de 2012. Consultado em 17 de fevereiro de 2019 
  7. «WebCite query result». www.webcitation.org. Consultado em 17 de fevereiro de 2019 
  8. «Ask Billboard». Billboard. Consultado em 17 de fevereiro de 2019 
  9. Jackson, Janet (2011), True You: A Journey to Finding and Loving Yourself, Simon & Schuster, p. 92, ISBN 978-1-4165-8724-8
  10. a b c «allmusic ((( Janet Jackson > Charts & Awards > Billboard Albums )))». Allmusic. Consultado em 8 de abril de 2012 
  11. link «Rolling Stone - Janet Jackson» Verifique valor |url= (ajuda). Rolling Stone Magazine. Consultado em 8 de abriil de 2012  Texto " Janet Jackson" ignorado (ajuda); Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  12. «Craving Janet - Chart History - Janet Jackson (1982)». Craving Janet. Consultado em 8 de abriil de 2012  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  13. «charts.org.nz - Janet Jackson - Janet Jackson». charts.org.nz. Consultado em 8 de abril de 2012 
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Janet Jackson é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.