Jim Corbett

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jim Corbett.

Edward James "Jim" Corbett (25 de julho de 1875 em Nainital, Índia - 19 de abril de 1955 Nyeri, Quênia) foi um lendário caçador britânico que posteriormente se tornou conservacionista, autor e naturalista, famoso por caçar um grande número de tigres e leopardos devoradores de homens na Índia.

Corbett ocupou o posto de coronel no Exército da Índia Britânica e era frequentemente chamado pelo governo das Províncias Unidas de Agra e Oudh, agora os estados indianos de Uttar Pradesh e Uttarakhand, para matar tigres e leopardos que estavam atacando pessoas nas proximidades de aldeias das regiões de Garhwal e Kumaon. Seus sucessos lhe valeu o respeito de longa data e fama em Kumaon.

Ele era um fotógrafo ávido e após sua aposentadoria escreveu diversos livros, entre eles: Man-Eaters de Kumaon, Jungle Lore, e outros narrando suas caçadas e experiências, os quais receberam aclamação da crítica e sucesso comercial. Mais tarde, Corbett falou na necessidade de proteger a vida selvagem da Índia de extermínio e desempenhou um papel fundamental na criação de uma reserva nacional para o ameaçado tigre-de-bengala. Em 1957, o parque nacional foi renomeado Jim Corbett National Park em sua honra.

Corbett preferia caçar sozinho e a pé. Ele freqüentemente caçava em companhia de Robin, um cão pequeno que ele descreve na sua obra Man-Eaters de Kumaon. Às vezes Corbett assumiu grandes riscos pessoais para salvar vidas, sendo profundamente respeitado onde ele trabalhava.[1]

O caçador virou conservacionista[editar | editar código-fonte]

Corbett comprou sua primeira câmera no final de 1920 e, inspirado por seu amigo Frederick Walter Champion, começou a fotografar tigres.[1] Apesar de ter um conhecimento profundo da selva, era uma tarefa difícil obter boas fotos devido os animais serem extremamente tímidos.

Corbett tornou-se profundamente preocupado com o habitat e destino dos tigres; ele não matou um tigre sem a confirmação de que este matou pessoas.[2] Ele fez palestras sobre o patrimônio natural e da necessidade de conservar as florestas e sua vida selvagem. Ele promoveu a fundação da Associação de Preservação nas Províncias Unidas e da Conferência All-Índia para a Preservação da Vida Selvagem. Junto com Frederick ele desempenhou um papel fundamental no estabelecimento de primeiro parque nacional da Índia no Kumaon Hills, o Parque Nacional de Hailey, inicialmente nomeado após Sir Malcolm Hailey. O parque foi rebatizado em honra de Corbett, em 1957.[3]

Livros[editar | editar código-fonte]

Jim Corbett.
  • Jungle Stories.
  • Man-Eaters of Kumaon. Oxford University Press, Bombay 1944
  • The Man-eating Leopard of Rudraprayag. Oxford University Press, 1947
  • My India. Oxford University Press, 1952
  • Jungle Lore. Oxford University Press, 1953
  • The Temple Tiger and More Man-eaters of Kumaon. Oxford University Press, 1954
  • Tree Tops. Oxford University Press, 1955 (novela)
  • Jim Corbett's India - Selections by R. E. Hawkins. Oxford University Press, 1978
  • My Kumaon: Uncollected Writings. Oxford University Press, 2012

Leitura complementar[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Jim Corbett

Referências

  1. a b Rangarajan, M. (2006) India's Wildlife History: an Introduction. Permanent Black and Ranthambore Foundation, Delhi. ISBN 81-7824-140-4
  2. Thapar, V. (2001) Savings Wild Tigers: the essential writings Permanent Black, Delhi
  3. Beolens, B.; Watkins, M.; Grayson, M. (2009). The Eponym Dictionary of Mammals. [S.l.]: Johns Hopkins University Press. p. 86. ISBN 978-0-8018-9304-9