João Cândido da Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Abril de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
João Cândido da Silva. São Paulo, 2007.

João Cândido da Silva (Campo Belo, 11 de março de 1933) é um pintor brasileiro que retrata em suas obras cenas do folclore e cultura popular brasileira. Foi também co-fundador da Escola de Samba Unidos do Peruche.

Biografia[editar | editar código-fonte]

João Cândido da Silva nasceu em uma família de 18 irmãos gerados por dona Maria, uma humilde bordadeira, que acumulava as funções de dona-de-casa e artista plástica. Nascida em Sorocaba, interior de São Paulo, que, casada com um trabalhador braçal de estrada de ferro, migrou para a cidade mineira, onde teve os primeiros filhos, entre eles João Cândido. Diante das dificuldades e privações que atingiam a família, Maria e seus filhos decidem partir para a cidade de São Paulo em busca de uma vida melhor.

Ao desembarcar na Estação da Luz no início da década de 1940, as crianças tiveram que dormir numa gafieira, pois os parentes que já moravam na Cidade não apareceram para recepcionar a família. João Cândido diz que as primeiras impressões sobre São Paulo provocaram-lhe um certo temor. Até então, o jovem estava acostumado com uma paisagem rural, muito diferente dos bondes e dos edifícios enormes que compunham o cenário urbano que agora vislumbrara.

Desde cedo, João Cândido demonstrava interesse pelas artes, enquanto sua mãe trabalhava em suas pinturas e esculturas, o jovem desenhava com carvão nas paredes da casa. Para impedir que o Cândido continuasse com a “sujeira”, Dona Maria passou a lhe disponibilizar alguns materiais de pintura como restos de tintas e pincéis velhos.

A partir daí, João Cândido inicia suas primeiras experiências com as tintas óleo e acrílica aplicando-as sobre os suportes mais variados possíveis. Os temas preferidos de João são as festas e manifestações populares como: o boi, a capoeira, o futebol, o carnaval e a folia de reis. Embora a pintura seja sua mais recorrente forma de expressão, o artista também é escultor; trabalha com madeira, papel, arame recozido entre outros materiais.

João Cândido da Silva é irmão da pintora primitivista Maria Auxiliadora (1935-1974), a mais conhecida integrante da família. Em 1977, o artista recebeu em sua casa na Zona Norte de São Paulo, o diretor do Museu de Arte de São Paulo, Pietro Maria Bardi. A visita tinha como objetivo acertar os detalhes para publicação do livro Maria Auxiliadora da Silva, com textos de Max Fourny, diretor do Museu de Arte Naïf de l’Ile na França e Emanuel von Lauenstein Massarani, adido cultural do Brasil na Suíça.

Um artista Multimídia[editar | editar código-fonte]

Em 4 de janeiro de 1957, João Cândido, ao lado de Carlos Alberto Caetano, o Carlão, funda a Escola de Samba Sociedade Esportiva Recreativa Beneficente Unidos do Parque Peruche, que traz no seu pavilhão as cores: verde, amarela, azul e branca, cores facilmente identificadas em suas obras. Além de cuidar da administração da escola, João fabricava os instrumentos de percussão e ainda atuava como ritimista da bateria onde tocava “contra-surdo”.

Em meados dos anos 60, por intermédio do irmão Vicente, que namorava Raquel, filha do músico, dramaturgo e poeta Solano Trindade, o artista iniciou sua participação nos eventos culturais realizados em Embu das Artes, São Paulo.

Conhecido e admirado pelo mundo do samba, João Cândido criou e produziu em 1976 o carro abre-alas para o Grêmio Recreativo Escola de Samba Vai-Vai. Na ocasião, a escola sagrou-se vice-campeã do carnaval.

Em 1978, o Cândido criou uma ilustração para a capa do disco “No Choro”, de Dilermano Reis, lançado pela gravadora Continental. Em maio de 2004, teve uma obra inserida no projeto de cenográfico da I Festa de São João do Nordeste realizada no Pólo Cultural Grande Otelo - Anhembi - São Paulo.

Para o artista, o fazer artístico é mais do que uma forma de sobrevivência, sua mente criativa está constantemente em busca de novos desafios. Ao voltar, recentemente, de uma viagem patrocinada pelo Institut de Sciences Politiques de Paris, organização estrangeira que tem como objetivo divulgar o trabalho dos artistas brasileiros na França, ele afirmou que embora tenha recebido muita atenção “lá fora” gosta mesmo de ficar no Brasil, pintando as emoções do povo brasileiro. Atualmente está trabalhando com materiais reciclados.

Títulos e rótulos[editar | editar código-fonte]

Oscar D’ Ambrosio em seu vasto trabalho de pesquisa sobre os artistas naifs brasileiros levanta uma suspeita sobre a obra de João Cândido da Silva. Apesar de ter incluído o artista na categoria acima mencionada, o crítico chama a atenção para outras possibilidades de leitura a respeito da obra de João Cândido quando declara: “Embora autodidata, o traço de João Cândido não se vincula totalmente ao primitivismo, principalmente pelo uso da perspectiva na composição de paisagens e no respeito pelas proporções das personagens entre si e destas em relação ao ambiente em que se inserem”.

Além do crítico acima citado, outros interessados pela pintura brasileira têm procurado lançar um olhar mais investigativo sobre a obra dos chamados “artistas ingênuos”. Podemos citar o excelente trabalho de resgate da obra da pintora Djanira, desenvolvido em Tese de Doutorado, pela Profa. Dra. Loris Graldi Rampazzo que, em 1993, levantava questões relativas aos rótulos atribuídos à artista. O trabalho gerou um vasto material para futuras pesquisas a respeito de Djanira.

Neste sentido, acreditamos ser de suma importância a catalogação da obra artística de artistas como João Cândido da Silva, pois, somente assim, poderemos ter uma fonte sistêmica de consulta para aqueles que desejam dedicar um pouco mais de atenção ao trabalho de alguém que passou toda sua vida produzindo beleza. Mas podem chamar do que quiserem.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Março, 2006 – Exposição coletiva Shopping Frei Caneca.

06/11/2003 - Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo - Assessoria para Gênero, Raça/Etnias - no Museu do Imaginário do Povo Brasileiro, Estação da Luz - São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas - “São Paulo de Raízes Negras, Negras Raízes de São Paulo” em Comemoração do Mês da Consciência Negra - Apresentação de 10 obras em óleo sobre tela.

06/11/2003 - SESC Itaquera - São Paulo. Projeto cenográfico para Decoração Natalina.

23/05/2003 - Participação do acervo do Palácio Nove de Julho - Acervo Cultural do Parlamento na Assembléia Legislativa de São Paulo, conforme D.O.E.

30/11/2002 - Bar Favela Chic - Rua Duílio - Lapa - São Paulo. Mostra Individual de Artes Plásticas.

25/05/2002 - Recanto do Colibri - Serra da Cantareira, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas.

02/08/2002 - SESI UNICAMP - Campinas, São Paulo. Encontro de Artes Plásticas das famílias Silva e Trindade.

07/05/2002 - Associação dos Artistas Plásticos de Santo Amaro. Mostra Coletiva de Artes Plásticas.

27/11/2002 - Secretaria de Estado da Cultura - Assessoria de Cultura Afro - Estação da Luz, São Paulo. Homenagem de Honra ao Mérito com Cartão de Platina intitulado “O Kizombeiro do Ano”.

06/2002 - Edifício Itália, São Paulo. Exposição Coletiva pela Ação Ética e Cidadania, 2002 - Catalogado no CONFRART - IV Conexão Fraterna de Artistas Plásticos.

25/10/2001 - Catalogado no Livro Saga dos Matizes - Galeria FINARTE - Moema, São Paulo. 2001 - Assembléia Legislativa de São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas. 05 a 19/06/2001 - Galeria Prestes Maia, São Paulo. Mostra de Artes pela Ação Ética e Cidadania. 2000 - Catalogado no livro - COFRART Livro das Artes de Milton Teixeira.

02/08/1999 - Galeria Prestes Maia, São Paulo. Mostra de Artes pela Ação Ética e Cidadania.

11/1999 - Secretaria do Estado da Cultura - Memorial da América Latina - Barra Funda, São Paulo. Mostra de Artes pelo Projeto Consciência e Liberdade.

1997 - Inclusão do Calendário Brasileiro de Artes Plásticas de Ivanir Pineda Sanches - Editora Portia Nacne, São Paulo.

10/1995 - Casa Cultural Campo Belo - Minas Gerais. Exposição de Artes Plásticas.

1995 - Casa Euclides da Cunha - São José do Rio Pardo, Sp. Exposição Individual de Artes Plásticas.

20/09/1995 - Espaço Cultural Astewnn - Av. Prestes Maia, 702, São Paulo. Exposição de Artes Plásticas.

06/05/1994 - SESC de Piracicaba - São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas.

11/02/1994 - Catalogado no livro Pintura Primitivista de Assis, São Paulo•.

1994 - Jurado no Desfile das Escolas de Samba de Taubaté.

1993 - Jurado da Liga das Escolas de Samba de São Paulo.

07/07/1991 - Prefeitura Municipal de Araraquara, SP. Exposição Coletiva de Artes Plásticas.

21/11/1990 - Prefeitura Municipal de Santos - Conselho Municipal da Comunidade Negra - Estância Turística - Santos, SP. Exposição Coletiva de Artes Plásticas.

20/11/1990 - Movimento Negro Unificado - G.T. Baloguns - São Bernardo do Campo, SP. Exposição Coletiva de Artes Plásticas.

17/11/1990 - Prefeitura Municipal de Ourinhos, SP. Secretaria Municipal de Esportes Turismo e Educação. Exposição de Artes Plásticas.

05/11/1990 - Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo - Oficina Cultural Amâncio Mazzaropi - Braz, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas na Comemoração Brasil/Angola.

14/06/1989 - Associação dos Joalheiros do Estado de São Paulo - AJESP. Exposição Coletiva de Artes Plásticas.

21/11/1988 - Prefeitura de São Bernardo do Campo, SP. Exposição Coletiva de Arte Popular Brasileira.

21/08/1988 - Caiçara Clube de Santa Cruz do Rio Pardo, SP. Exposição Coletiva de Artes Plásticas. Capa de Catálogo com a tela a óleo - “Bumba meu boi na praça da matriz”.

04/06/1985 - 20 Salão de Artes Jean Batista Debret. Exposição Coletiva de Artes Plásticas - Conferido Prêmio Pequena Medalha de Prata - Sessão Pintura.

21/12/1983 - Secretaria de Estado da Saúde Pública - São Paulo, SP. Mostra de Arte da Família Silva.

20/07/1983 - E.E.P.S.G. Dr. Américo Marco Antonio - Osasco, SP. Exposição Coletiva de Artes Plásticas - 110 Encontro de Artes de Osasco - Conferido pelos jurados, Medalha de Ouro - Sessão Pintura.

24/05/1983 - 20 Salão Sionístico de Artes Plásticas. Exposição Coletiva de Artes Plásticas - Prêmio Menção Honrosa.

16/12/1982 - Consulado Geral da Itália - Círculo Italiano, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas de Cores da Itália ao Brasil.

09/12/1982 - Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo - Paço Municipal, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plástica Mito e Magia da Cores.

25 a 20/06/1982 - Catalogado no livro Mito e Magia da Cores. Exposição Coletiva em Nápoles - Itália.

13/05/1981 - Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo, São Paulo. Exposição Coletiva da Família Silva na Cultura Negra.

07/12/1980 - 170 Salão de Artes Plásticas de Embu das Artes, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas - Prêmio Grande Medalha de Ouro pela obra “O Quilombo” - Sessão Pintura.

29/06/1980 - Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas - O Cinco Naifs.

20/05/1980 - Atelier do Artista Plástico Valdomiro de Deus. Mostra Coletiva de Artes Plásticas - 10 Encontro de Artes Plásticas.

1980 - Pinacoteca da Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas - Participação e acervo na Pinacoteca com a tela a óleo - “Procissão de Aparecida”.

16/12/1979 - Prefeitura Municipal de Ata, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas - 1a Exposição Primitivista de Artes Plásticas - Prêmio Grande Medalha de Bronze.

15/09 a 07/10 de 1979 - Centro de Criatividade Solano Trindade - Jardim São Paulo, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas - Catalogado na 1a Exposição de Artes Plásticas de Santana.

17/08/1979 - Prefeitura Municipal de Matão, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas.

04/05/1979 - Osasco, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas - 10 Encontro de Arte de Osasco.

30/09/1978 - Associação Autônoma dos Artistas Plásticos da Praça da República, São Paulo. Exposição coletiva de Artes Plásticas - VI Salão Oficial de Artes Plásticas.

08/04/1978 - Prefeitura Municipal de Matão, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas - Escultura em Madeira “A Sereia Negra” (capa do convite do evento).

1978 - Criação de ilustração para capa do disco de Dilermano Reis “No Choro”, lançado pela gravadora Continental.

16/01/1977 - Prefeitura Municipal de Embu das Artes, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas - 10 Salão de Arte Popular, São Paulo. Prêmio Grande Medalha de Ouro - Escultura de Madeira “Zumbi dos Palmares”.

16/06/1976 - Associação dos Médicos de Santos - Macuco, Santos. Mostra Individual da obra a óleo sobre tela “O espantalho”.

1975 - São Paulo Center Hotel - Largo Santa Efigênia, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas.

07/1974 - Museu João Batista Cont - Atibaia, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas - IV Encontro de Artes Plásticas.

1973 - SESC - Dr. Vila Nova - Santa Cecília, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas.

1973 - MASP - Museu de Arte de São Paulo, São Paulo. Exposição Coletiva de Artes Plásticas 1a Mostra Coletiva da Cultura Negra.

30/11/1970 - Associação de Artes Plásticas de São Miguel Paulista, São Paulo. Exposição Coletiva de Arte Plásticas - Prêmio Honra ao Mérito.

20/11/1970 - Secretaria de Estado da Saúde Pública, São Paulo. Exposição Individual de Artes Plásticas - Troféu Honra ao Mérito.