João Candido Portinari

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura o líder da Revolta da Chibata, veja João Cândido.
João Candido Portinari
João Candido Portinari ao ter seu retrato pintado pelo artista Carlos Bracher, na exposição "Pintura & Permanência" no CCBB, no Rio de Janeiro. Foto:Fernando Frazão/ABr
Nascimento 1939 (82 anos)[1]
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Maria Martinelli[2]
Pai: Candido Portinari
Filho(a)(s) 1[3]
Alma mater Lycée Louis-Le-Grand de Paris (1960)[4][5]
École Nationale Supérieure des Télécommunications (1963)[4][5]
Instituto de Tecnologia de Massachusetts (1966)[4][5]
Ocupação professor e escritor
Prémios Prêmio Jabuti de Literatura (2008)
Prêmio Sérgio Milliet (2008)
Diretor Geral do
Projeto Portinari
[4]
1979 - atualmente
Página oficial
portinari.org.br

João Candido Portinari ([onde?], 1939) é um professor e escritor brasileiro. Único filho de Candido Portinari, é o fundador e diretor-geral do Projeto Portinari. É matemático com doutorado em engenharia de telecomunicações.[6]

Foi premiado com o Prêmio Jabuti de Literatura na categoria "Arquitetura e Urbanismo, Comunicação e Artes", em 2005,[7][8] lançou o Catálogo Raisonné da obra completa de seu pai em 2004[9][10] e também ganhou o prêmio Prêmio Sérgio Milliet, em 2005.[11]

Atuou[carece de fontes?] na busca pelo quadro O Lavrador de Café, furtado do Museu de Arte de São Paulo (MASP) em 2007, que foi achado sem danificações pela polícia e agentes federais. Ele pediu para reforçar a segurança do MASP,[carece de fontes?] de onde também foi roubado um quadro de Pablo Picasso.[12]

Também escreveu vários livros sobre a vida e a obra de Portinari, com destaque para o livro Menino de Brodowski.[13]

Artigo[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Candido Portinari». Consultado em 11 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 11 de junho de 2019 
  2. Simão Valente (11 de janeiro de 2017). «How Candido Portinari Combined Brazilian Politics & Post-War Art». Cópia arquivada em 20 de julho de 2020 
  3. «Juventude interrompida». 3 de abril de 2013. Consultado em 19 de julho de 2020. Cópia arquivada em 20 de julho de 2020 
  4. a b c d «João Candido Portinari». Consultado em 21 de julho de 2020 
  5. a b c Portinari, João Candido (abril de 2000). «Projeto Portinari». Estud. av. 14 (38). 34 páginas. doi:10.1590/S0103-40142000000100021 
  6. Fábio Farah. «IstoÉ Gente - Entrevista com João Candido Portinari». Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2017 
  7. «Premiados 2005 - 62º Prêmio Jabuti». Consultado em 12 de julho de 2020. Cópia arquivada em 12 de julho de 2020 
  8. «Prêmio Jabuti entrega troféus e elege vencedores finais hoje». 20 de setembro de 2005. Consultado em 12 de julho de 2020. Cópia arquivada em 12 de julho de 2020 
  9. «Conheça o Catálogo Raisonné de Portinari através do Universia». 29 de outubro de 2004. Consultado em 12 de julho de 2020. Cópia arquivada em 12 de julho de 2020 
  10. «Filho de Portinari acha roubo suspeito». 15 de dezembro de 2005. Consultado em 12 de julho de 2020. Cópia arquivada em 12 de julho de 2020 
  11. «João Candido Portinari realiza palestra no Porto Iracema das Artes». Consultado em 12 de julho de 2020. Cópia arquivada em 12 de julho de 2020 
  12. «Polícia localiza telas de Portinari e Picasso furtadas do Masp». 9 de janeiro de 2008. Consultado em 12 de julho de 2020 
  13. Roseani Rocha (13 de janeiro de 2012). «A presença de Portinari». Consultado em 20 de julho de 2020. Cópia arquivada em 3 de maio de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]