João Miguel Fernandes Jorge

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
João Miguel Fernandes Jorge
Nascimento 1943 (74 anos)
Bombarral,  Portugal
Ocupação Poeta
Prémios Prémio P.E.N. Clube Português de Poesia (2004)
Género literário Romance, poesia
Movimento literário Pós-modernismo
Magnum opus Entrar humildemente por engano, pela morte dentro

João Miguel Fernandes Jorge (Bombarral, 1943), é um escritor e poeta português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Licenciado em Filosofia pela Universidade de Lisboa (1972). Vive e trabalha em Lisboa.
Fundou em 1988 a editora Cotovia juntamente com o seu irmão André Fernandes Jorge[1].

Obras[editar | editar código-fonte]

A sua obra envolve o cinema, a música e as artes.

Poesia

  • Sob Sobre Voz (1971), com prefácio de Ruy Belo
  • Porto Batel (1972)
  • Turvos Dizeres (1973)
  • Alguns Círculos (1975)
  • Meridional (1976)
  • Crónica (1977)
  • Vinte e Nove Poemas (1978)
  • Direito de Mentir (1978)
  • Actus Tragicus (1979)
  • Uma Exposição (1980)
  • O Roubador de Água (1981)
  • O Regresso dos Remadores (1982)
  • À Beira do Mar de Junho (1982)
  • Os Poucos Poderes (1984)
  • Um Nome Distante (1984)
  • Tronos e Dominações (1985)
  • Pelo Fim da Tarde (1989)
  • Obra Poética 1 (1987)
  • Obra Poética 2 (1987)
  • Obra Poética 3 (1988)
  • Obra Poética 4 (1991)
  • Obra Poética 5 (1996)
  • Obra Poética 6 (2000)
  • A Jornada de Cristovão de Távora: Primeira Parte (1986)
  • A Jornada de Cristovão de Távora: Segunda Parte (1988)
  • A Jornada de Cristovão de Távora: Terceira e Última Parte (1990)
  • Terra Nostra (1992)
  • O Barco Vazio (1994)
  • Não é Certo Este Dizer (1997)
  • O Lugar do Poço (1997)
  • Bellis Azorica (1999)
  • Museu das Janelas Verdes (2002)
  • Jardim das Amoreiras (2003)
  • Invisíveis Correntes (2004)
  • Castelos I a XXXV (2004)
  • Termo de Óbidos (2006)
  • A Palavra (2007), com José Loureiro e Rita Azevedo Gomes
  • Pickpocket (2009), com Rui Chafes
  • Mãe-do-Fogo (2009), com João Cruz Rosa
  • Sobre Mármore (2010)
  • Lagoeiros (2011)
  • Oferenda (2012), com Jorge Pinheiro
  • Mirleos (2015)

Antologias

  • Poemas Escolhidos (1982)
  • Antologia Poética: 1971-1994 (1995)
  • Março, Os Remadores No Douro (2002)
  • A Pequena Pátria (2002)
  • Funchal em Fundo (2002)
  • Versos e Prosas em Forma de Natal (2010)
  • Antologia Açoriana (2011)

Ficção

  • Nem Vencedor Nem Vencido (1988)
  • Uma Paixão Inocente (1989)
  • Fins-de-Semana (1993)
  • O Pé Esquerdo (1998)
  • No Verão é melhor um conto triste (2000)

Ficção com Arte

  • A Flor da Rosa (2000)
  • A Gravata Ensanguentada (2006)
  • O Próximo Outono (2012)
  • O Bosque (2015)

Crítica de Arte

  • Paisagem com Muitas Figuras (1984)
  • Um Quarto cheio de Espelhos (1987)
  • António Palolo por J. M. F. J. (1988)
  • O Que Resta da Manhã (1990)
  • Abstract & Tartarugas (1995)
  • Sombras (2001)
  • Territórios singulares na colecção Berardo (2002)
  • Oferenda Esquecida: A Pintura de Jorge Pinheiro (2006)
  • Processo em Arte (2008).

Disco

  • João Miguel Fernandes Jorge diz J.M.F.J., EMI- Valentim de Carvalho (1989).


A última exposição de arte que comissariou foi LARGO TEMPO (catálogo, 2014).

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.
  1. https://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/morreu-andre-jorge-o-editor-da-cotovia-1741793