João Paulo Gomes Monteiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
João Paulo Monteiro
Nome completo João Paulo Gomes Monteiro
Nascimento 1938
Porto
Morte 17 de abril de 2016
Lisboa
Nacionalidade Português
Progenitores Mãe: Alice Gomes
Pai: Adolfo Casais Monteiro
Ocupação Filósofo, professor e tradutor

João Paulo Gomes Monteiro (Porto, 1938 - Lisboa, 17 de abril de 2016) foi um professor universitário e filósofo português.[1] Lecionou na Universidade de São Paulo[2][3] e na Universidade de Lisboa. Filho de Alice Gomes (1910-1983)[4] e do poeta, crítico literário e novelista português Adolfo Casais Monteiro[5] (1908-1974).

Carreira[editar | editar código-fonte]

Dado o exílio da família no Brasil em 1954[6], [7] João Paulo Monteiro teve sua formação acadêmica no Brasil. Fez seu mestrado em filosofia na Universidade de São Paulo em 1967 sob a orientação do professor Bento Prado de Almeida Ferraz Júnior[8] com uma dissertação intitulada: David Hume: Ensaios políticos. Tradução, introdução e notas (trabalho resgatado e publicado de forma integral em 2021 pelas Edições 70). Doutorou-se pela Universidade de São Paulo em 1973, tendo defendido a tese Teoria, Retórica, Ideologia: ensaio sobre a filosofia política de Hume, publicada em 1975. Em 1975 defendeu sua tese de Livre-docência, intitulada "Natureza, Conhecimento e Moral na Filosofia de Hume". Faleceu no dia 17 de abril de 2016.[9][10] Contribuiu para a difusão e interesse em torno da filosofia e obra de David Hume em língua portuguesa.[11],[12] Foi membro fundador da Hume Society.[13] Traduziu algumas obras de Hume e escreveu vários artigos e estudos sobre sua filosofia. Sua contribuição para os estudos da filosofia de Hume tem sido reconhecida por vários outros intérpretes do pensamento de Hume. No Brasil, a revista acadêmica Prometheus dedicou o número 23 em sua homenagem.[14]

Obra[editar | editar código-fonte]

Livros de João Paulo Monteiro editados pela Discurso.

Livros sobre Hume[editar | editar código-fonte]

Livro de filosofia própria[editar | editar código-fonte]

Traduções[editar | editar código-fonte]

Capa da tradução da Investigação sobre o entendimento Humano.
  • 1960 – H. B. Van Wesep, Estória da filosofia americana. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura.
  • 1961 - Marcel Brion, Schumann e a alma romântica.  (Schumann et L’âme Romantique).  Lisboa: Aster.
  • 1962 - Nikolaus Pevsner, Os pioneiros do desenho moderno: de William Morris a Walter Gropius (Pioneers of modern design). Lisboa : Pelicano/Ulisseia,  1962.
  • 1968 - Bertrand Russell, A Filosofia de Leibniz (uma exposição crítica). (A Critical Exposition of the Philosophy of Leibniz). Companhia Editora Nacional, 1968. [tradução em parceria com João Eduardo Rodrigues Villalobos e Hélio Leite de Barros].
  • 1973 - Andrea Bonomi, Fenomenologia e estruturalismo. Tradução conjunta com Patrícia Piozzi e Mauro Almeida Alves. São Paulo: Editora Perspectiva.
  • 1973 - David Hume, Ensaios morais, políticos e literários. São Paulo, Abril Cultural, 1973; reimpresso por Imprensa Nacional/Casa da Moeda: Lisboa, 2002.[20]
  • 1978 - Thomas Hobbes, Leviatã ou Matéria, forma e poder de um estado. São Paulo: Nova Cultural. Coleção Os Pensadores, (1978)./ 4ª Ed. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 2010[21] / São Paulo: Martins Fontes, 2014. (Tradução realizada juntamente com Maria Beatriz Nizza da Silva.)
  • 1979 - Antony Flew, Pensar Direito (Ou, Será que Eu Quero Sinceramente Estar Certo?). São Paulo: Cultrix, Editora da Usp.
  • 1980 - Johan Huizinga, Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, (1980).[22]
  • 2002 - David Hume, Tratados filosóficos I: Investigação sobre o entendimento humano, Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 2002 [23]
  • 2002 - David Hume, Tratados filosóficos II. Dissertação sobre as Paixões e Investigação sobre os princípios da moral. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda,(2002).[24]
  • 2021 - David Hume. Ensaios Políticos. Tradução, introdução e notas. Organizadores: Jaimir Conte e Marília Côrtes de Ferraz. São Paulo: Edições 70.

Artigos e outros textos[editar | editar código-fonte]

  • 1972 - Tendência e realidade em Hume e Freud. Discurso, v. 3.[25]
  • 1973 - Discurso Teórico e Discurso Retórico. Discurso, v. 4.[26]
  • 1976 - Hume: a ciência do homem. O Estado de S. Paulo, 17 out. 1976. Suplemento Cultural, p. 6, ano 1, n. 1.
  • 1976 - La distinción marxista entre ciencia e ideología (ideología e ideologismo). Dianoia, nº. 22[27].
  • 1976 - A evolução da ciência, O Estado de S. Paulo, Suplemento Cultural, 7 de novembro, p. 13.[28]
  • 1976 - A prova da verdade, O Estado de S. Paulo, Suplemento Cultural de 26 de dezembro.
  • 1977 - Trajetória de um filósofo, O Estado de S. Paulo, Suplemento Cultural de 24 de julho, p. 4. [29]
  • 1978 - Indução e Hipótese na Filosofia de Hume, Manuscrito, v. 1.
  • 1978 - Liberdade e legitimidade, O Estado de S. Paulo, Suplemento Cultural de 6 de Agosto.
  • 1979 - Filosofia e censura no século XVIII: o caso Hume. Discurso, v. 11.[30]
  • 1979 - Ciência e Crítica da Ciência: Ciências Básicas e Aplicadas. Academia de Ciência do Estado de São Paulo.
  • 1979 - O Ensino da Filosofia no Segundo Grau: A Filosofia e o Ensino da Filosofia”. São Paulo: Convívio.
  • 1979 - Conjecturas Naturais. Manuscrito, v. 3.
  • 1979 - Hume, Induction, and Natural Selection. In: D.F. Norton. (Org.). McGill Hume Studies. San Diego: Austin Hill Press.[31]
  • 1979 - Hume e a gravidade newtoniana. Ciência e Filosofia, v. 1.
  • 1980 - Democracia Hobbesiana e autoritarismo Rousseauniano, Manuscrito v. 3, nº. 2.[32]
  • 1981 - Hume's Conception of Science. Journal of the History of Philosophy, Volume 19, Number 3.[33]
  • 1982 - Sobre a Ética da punição, Revista Brasileira de Filosofia, volume XXXII, fasc. 127, Julho-agosto-setembro de 1982, pp. 297-308.
  • 1983 - Kant leitor de Hume, ou o "bastardo da imaginação", Discurso, v. 14. [34]
  • 1984 - Ideologia e Economia em Hobbes. Filosofia Política,  Porto Alegre: L&PM.
  • 1984 - Natural Conjectures. In: D. Reidel. (Org.). Philosophical Analysis in Latin America: Dordrecht.[35]
  • 1985 - Ideologia e economia em Hobbes. In: João Quartim de Moraes. (Org.). Filosofia Política. 1ª ed. Campinas: UNICAMP, v. 1.
  • 1985 - Parsimonia y Teleología. In: Enrique Villanueva. (Org.). Primer Simposio Internacional de Filosofía. México: Universidad Nacional Autónoma, v. 2.
  • 1985 - Conjeturas Naturales. In: Gracia, Jorge J. E. (Org.). El Análisis Filosofico en America Latina. México: Fondo de Cultura Economica.[36]
  • 1985 - Réplica a: la significatividad de la epistemología naturalizada. Primer Simposio Internacional de Filosofía / coord. por Enrique Villanueva, Vol. 1.[37]
  • 1987 - Hume on singular experiences. Manuscrito 20 (2).
  • 1989 - Da Ideologia ao Ideologismo. In: Dascal, Marcelo. (Org.). Conhecimento, Linguagem, Ideologia. São Paulo: Perspectiva.[38]
  • 1992 - Impregnacionismo. In: Enrique Villanueva. (Org.). Quinto Simpósio Internacional de Filosofía. México: Universidad Nacional Autônoma.[39]
  • 1993 - Perspectivismo Mitigado. Revista Philosophica, Lisboa,  n. 2.
  • 1994 - Realismo y aprehensibilidad. Dianoia, n. 40.[40]
  • 1994 - Indução, Acaso e Racionalidade. Manuscrito, v.17, n.1.[41]
  • 1994 - Realismo e Apreensibilidade. Ciencia e Filosofia , v. 5.
  • 1994 - Hume e a Experiência Singular. Discurso. v. 23.[42]
  • 1995 - Hume's Conception of Science. In: Tweyman, Stanley. (ed.). David Hume: Critical assessments. Londres: Routledge, vol. 6.[43].
  • 1995 - Strawson e a Causação Visível. In: Maria Cecilia M. De Carvalho. (Org.). A Filosofia Analítica no Brasil. Campinas: Papirus.[44]
  • 1997 - Dutra, Hume e Goodman. Principia: an international journal of epistemology,  v. 1, n. 2.
  • 1998 - Liberalismo Político e Crítica da Ideologia. In: Edições Colibri. (Org.). Ética e o Futuro da Democracia. Lisboa.
  • 1998 - Hume e a Trivial Diferença. In: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa. (Org.). O que os Filósofos pensam sobre as Mulheres. Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa.
  • 1999 - Hume's principle. Principia: an international journal of epistemology .  v. 3, n. 2.
  • 1999 - “Hume, Induction and Single Experiments”. Revista Grazer Philosophische Studien, Graz, v. 56.   Volume 56.[45]
  • 2000 - Cérebro, emoção e consciência. Folha de S.Paulo. São Paulo, p. 1-2, 09 set.[1]
  • 2000 - Associação e crença causal em David Hume. Manuscrito, v. 23, n. 1.[46]
  • 2001 - Filosofia da pós-modernidade reside na confusão. O Estado de S. Paulo, Caderno 2, p.D8, 12 ago.[47]
  • 2001 - Russell and Humean Inferences. Principia: an international journal of epistemology,  v. 5, n. 1-2.[48]
  • 2001 - O Princípio de Hume. In: Edições Colibri. (Org.). Poiética do Mundo. Lisboa.
  • 2001 - Hume e a Trivial Diferença. Discurso, n. 32.[49]
  • 2002 - Introdução. In David Hume, Tratados filosóficos: Investigação sobre o entendimento humano, Lisboa : Imprensa Nacional/Casa da Moeda.[50]
  • 2002 - Prefácio. In: David Hume, Tratado da natureza humana. trad. Serafim da Silva Fontes ; Prefácio e revisão técnica da tradução: João Paulo Monteiro. Lisboa : Fundação Calouste Gulbenkian.[51]
  • 2003 - Corpo e Consciência. In: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa. (Org.). A Mente, a religião e a Ciência. Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa.
  • 2003 - Indução: Respostas Darwinianas. In: Centro de Estudos e Epistemologia. (Org.). O Filósofo e sua História. Campinas, v. 36.[52]
  • 2004 - Corpo e consciência. Discurso, v. 33.[53]
  • 2004 - A ideologia do Leviatã Hobbesiano. In: Clássicos do pensamento político. Célia Galvão Quirino, Claudio Vouga e Gildo Brandão (Orgs.). 2a ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.
  • 2005 - Solipsismo e conjecturalidade. Discurso, v. 35.[54]
  • 2005 - Introdução. In: David Hume. Obras sobre a religião, de David Hume. Tradução de Pedro Galvão e Francisco Marreiros. Introdução e Revisão Técnica de João Paulo Monteiro. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.[55]
  • 2005 - Hume: Three Major Problems. In: Lívia Guimarães. (Org.). Ensaios sobre Hume. Belo Horizonte: Segrac.
  • 2007 - Mundo e causação. Principia: an international journal of epistemology, v. 11, n. 1.[56]
  • 2012 - Sobre a interpretação da epistemologia de Hume. Kriterion, v. 124.[57]
  • 2015 - Strawson e a Causação Visível. In: Jaimir Conte & Itamar Luís Gelain (Org.) Ensaios sobre a filosofia de Strawson, com a tradução de Liberdade e ressentimento & Moralidade social e ideal individual. Florianópolis: Editora da UFSC, 2015.[58]
  • 2016 - Hume: a ciência do homem. Discurso, v. 46, n. 1.[59]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «João Paulo Monteiro (1938-2016)». Consultado em 10 de novembro 2016 
  2. «João Paulo Gomes Monteiro: Histórico Acadêmico». Consultado em 10 de novembro de 2016 
  3. «Memória». Consultado em 11 de novembro de 2016 
  4. «Alice Gomes: Espólios Biblioteca Nacional Portuguesa - BNP: Autores». Consultado em 10 de novembro de 2016 
  5. «Adolfo Casais Monteiro: Autores». Consultado em 10 de novembro de 2016 
  6. «Centro Virtual Camões». Consultado em 11 de novembro de 2016 
  7. «BNP». Consultado em 11 de novembro de 2016 
  8. «O Escavador». Consultado em 10 de novembro de 2016 
  9. «João Paulo: amigo e orientador». Consultado em 11 de novembro de 2016 
  10. «Dalynous». Consultado em 10 de novembro de 2016 
  11. «Krause, Décio; Videira, Antonio. Brazilian Studies in Philosophy and History of Science, Springer, 2011, p. 20». Consultado em 10 de novembro de 2016 
  12. «A Companion to Latin American Philosophy, editado por Susana Nuccetelli, Ofelia Schutte, Otávio Bueno». Consultado em 10 de novembro de 2016 
  13. «In Memoriam». Consultado em 11 de novembro de 2016 
  14. «2017». seer.ufs.br. Consultado em 25 de agosto de 2017 
  15. «Revista Princípios». Consultado em 10 de novembro de 2016 
  16. «Pesquisador estuda interpretações da obra de David Hume». Consultado em 10 de novembro de 2016 
  17. Hollanda, Leandro (17 de junho de 2017). «FIFTEEN YEARS OF A CLASSIC : NEW HUMEAN STUDIES». PROMETEUS FILOSOFIA. 10 (23). ISSN 2176-5960 
  18. 1938-, Monteiro, João Paulo, (2004). Realidade e cognição. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda. ISBN 9722713655. OCLC 137302017 
  19. «Google livros». Consultado em 10 de novembro de 2016 
  20. «Biblioteca do Paraíso». Consultado em 11 de novembro de 2016 [ligação inativa]
  21. Thomas., Hobbes, (1999). Leviatã : ou matéria, forma e poder de um estado eclesiático e civil 2a ed. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda. ISBN 9789722707084. OCLC 44542000 
  22. 1872-1945., Huizinga, Johan, ([1971]). Homo ludens: o jôgo como elemento da cultura. São Paulo,: Editora da Universidade de S. Paulo, Editora Perspectiva. ISBN 9788527300759. OCLC 1302814 
  23. «RDedalus». Consultado em 11 de novembro de 2016 
  24. «Obras de David Hume traduzidas para o português, In: História natural da Religião, São Paulo: Editora da Unesp, 2005, p. 150». Consultado em 10 de novembro de 2016 
  25. «v. 3, n. 3 (1972)». www.revistas.usp.br. Consultado em 30 de agosto de 2017 
  26. «v. 47, n. 1 (2017)». www.revistas.usp.br. Consultado em 30 de agosto de 2017 
  27. Monteiro, Joao Paulo (1976). «La distinción marxista entre ciencia e ideología (ideología e ideologismo)». Dianoia: anuario de Filosofía (em espanhol) (22). ISSN 0185-2450 
  28. https://acervo.estadao.com.br/pagina/#!/19761107-31175-nac-0301-cul-13-not/busca/Jo%C3%A3o+Paulo+Monteiro
  29. Trata-se de resenha da autobiografia de Karl Popper lançada pela Cultrix: https://acervo.estadao.com.br/pagina/#!/19770724-31395-nac-0192-cul-4-not/busca/Jo%C3%A3o+Paulo+Monteiro
  30. «n. 11 (1979)». www.revistas.usp.br. Consultado em 30 de agosto de 2017 
  31. Monteiro, J. P. (1979). «Hume, Induction, and Natural Selection». McGill Hume Studies 
  32. Monteiro, Joao Paulo (1980). «Democracia Hobbesiana e Autoritarismo Rousseauniano». Manuscrito: revista internacional de filosofía (em espanhol). 2 (3). ISSN 0100-6045 
  33. Monteiro, João Paulo (1 de janeiro de 2008). «Hume's Conception of Science». Journal of the History of Philosophy. 19 (3): 327–342. ISSN 1538-4586. doi:10.1353/hph.2008.0200 
  34. «n. 14 (1983)». www.revistas.usp.br. Consultado em 30 de agosto de 2017 
  35. E., Garcia, Jorge J.; Enrique., Villanueva,; Marcelo., Dascal, (1984). Philosophical Analysis in Latin America. Dordrecht: Springer
  36. E., Gracia, Jorge J.; (Mexico), Fondo de Cultura Económica (1985). El Análisis filosófico en América Latina 1a ed. México: Fondo de Cultura Económica. ISBN 9681613392. OCLC 13117520 
  37. Primer simposio internacional de filosofía. México: Universidad Nacional Autónoma de México. 1985. ISBN 9688378461. OCLC 933913489 Netherlands. ISBN 9789400963757. OCLC 851393166  line feed character character in |editora= at position 17 (ajuda)
  38. Marcelo., Dascal, (1989). Conhecimento, linguagem, ideologia. São Paulo, SP, Brasil: Editora Perspectiva. ISBN 8527300176. OCLC 21591923 
  39. Enrique., Villanueva, (1992). Quinto Simposio Internacional de Filosofía : [Ciudad de Xalapa, Veracruz, México, del 20 al 23 de agosto de 1984]. México, D.F.: Universidad Nacional Autónoma de México, Dirección General de Publicaciones. ISBN 9683620078. OCLC 634279256 
  40. Monteiro, Joao Paulo (1994). «Realismo y aprehensibilidad». Dianoia: anuario de Filosofía (em espanhol) (40). ISSN 0185-2450 
  41. Monteiro, Joao Paulo (1994). «Induçao, Acaso e Racionalidade». Manuscrito: revista internacional de filosofía (em espanhol). 17 (1). ISSN 0100-6045 
  42. «n. 23 (1994)». www.revistas.usp.br. Consultado em 30 de agosto de 2017 
  43. 1942-, Tweyman, Stanley, (1995). David Hume : critical assessments. London: Routledge. ISBN 0415020123. OCLC 30078741 
  44. 1944-, Carvalho, Maria Cecelia M. de, ([1995]). A filosofia analítica no Brasil. Campinas: Papirus Editora. ISBN 8530803388. OCLC 35002502 
  45. Monteiro, J.P.; Rodopi, Editions (1 de março de 1998). «Hume, Induction and Single Experiments». Grazer Philosophische Studien. 56: 57–72. doi:10.5840/gps1998/99564 
  46. MONTEIRO, João Paulo (30 de junho de 2003). «Associação e crença causal em David Hume». Manuscrito. Consultado em 30 de agosto de 2017 
  47. https://acervo.estadao.com.br/pagina/#!/20010812-39380-spo-143-cd2-d8-not/busca/JO%C3%83O+PAULO+MONTEIRO
  48. Monteiro, João Paulo (2001). «Russell and Humean Inferences». Principia: an international journal of epistemology (em espanhol). 5 (1). ISSN 1808-1711 
  49. «n. 32 (2001)». www.revistas.usp.br. Consultado em 30 de agosto de 2017 
  50. David., Hume, (2002). Tratados filosóficos : [vol.] I: investigação sobre o entendimento humano. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda. ISBN 9722711865. OCLC 54971794 
  51. 1711-1776., Hume, David,; 1938-, Monteiro, João Paulo,; Portugal), Fundação Calouste Gulbenkian. Serviço de Educação e Bolsas (Lisboa, (2010). Tratado da natureza humana 2ª ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. Serviço de Educação e Bolsas. ISBN 9789723109368. OCLC 959175606 
  52. Wrigley & Smith, Michael & Plínio J. (20 de dezembro de 2003). «Indução: respostas darwinianas». Coleção CLE - O filósofo e sua história: uma homenagem a Oswaldo Porchat. Consultado em 10 de agosto de 2017 
  53. Monteiro, João Paulo (9 de dezembro de 2003). «Corpo e consciência». Discurso. 0 (33): 89–104. ISSN 2318-8863 
  54. Monteiro, João Paulo (3 de outubro de 2005). «Solipsismo e conjecturalidade». Discurso. 0 (35): 217–238. ISSN 2318-8863 
  55. 1711-1776., Hume, David,; Pedro., Galvão,; Francisco., Marreiros, (2005). Obras sobre religião. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. Serviço de Educação e Bolsas. ISBN 9789723111231. OCLC 959145658 
  56. Monteiro, João Paulo (2007). «Mundo e causação». Principia: an international journal of epistemology (em espanhol). 11 (1). ISSN 1808-1711 
  57. Monteiro, J. P. G. (dezembro de 2011). «Sobre a interpretação da epistemologia de Hume». Kriterion: Revista de Filosofia. 52 (124): 279–291. ISSN 0100-512X. doi:10.1590/S0100-512X2011000200002 
  58. CONTE & GELAIN, Jaimir & Itamar (2015). Ensaios sobre a filosofia de Strawson, com a tradução de 'Liberdade e ressentimento' e 'Moralidade social e ideal individual'. Florianópolis, SC: Editora da UFSC. pp. 141–152 
  59. «v. 46, n. 1 (2016)». www.revistas.usp.br. Consultado em 30 de agosto de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Departamento de Filosofia da USP