Joaquim & Manuel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Joaquim & Manoel)
Ir para: navegação, pesquisa
Joaquim & Manuel
Informação geral
País Brasil
Gênero(s) sertanejo romântico
Período em atividade 1976 – 
Gravadora(s) CBS
Integrantes Vitorio Nochi ("Joaquim", 1976 – )
Edvaldo Santos ("Manuel", 1997 – )
Ex-integrantes Otávio Corrêa ("Manuel", s/d – 1997)
Roberto Paschoa ("Manuel", 1976 – s/d)

Joaquim & Manuel é uma dupla de cantores de sertanejo romântico radicada no Brasil. Na estrada a mais de 30 anos, teve sua primeira formação com Vitorio Nochi (como "Joaquim") e Roberto Paschoa (como "Manuel.") Em sua segunda formação, após o falecimento de Roberto, Otávio Corrêa assumiu a posição de "Manuel." Em 1997, Otávio se afastou da dupla, que teve sua terceira formação, com Edvaldo Santos como "Manuel." Essa última formação está presente até os dias atuais.

A dupla emplacou vários sucessos, entre eles Som de cristal, Minha música, Avenida boiadeira e, a música que os alavancou nacionalmente, Boate azul. Esse grande sucesso foi regravado por dezenas de artistas, especialmente por Matogrosso & Mathias, contanto com a participação especial dos próprios Joaquim & Manuel, em DVD.

Tanto Boate azul, como Som de cristal, são de autoria dos compositores Benedito Seviero e Tomaz.

História[editar | editar código-fonte]

Vitorio Nochi passou a ser "Joaquim" em 1976. Seguindo a dica do humorista Murilo de Amorim Correia, que também era produtor da gravadora CBS, inventou uma dupla com um estilo diferente. O que eles chamavam de "lusitano satírico" era uma espécie de Roberto Leal, em suas vozes, e mais escrachado. Ainda sem nome definido, pensava em algo enquanto tomava um café na padaria. Ao olhar para frente, viu os portugueses Joaquim e Manuel servindo seus clientes. Era aquilo: sua dupla levaria o nome dos sócios da padaria. Ele seria "Joaquim" e seu par, quem quer que fosse, seria o "Manuel."[1]

O primeiro "Manuel," Roberto Paschoa, morreu aos 37 anos, vítima de complicações duma cirrose. Vitorio, então, abandonou o "lusitano satírico" e investiu em sertanejo, um estilo que dava o que falar naqueles meados de anos 80, em São Paulo. Com o segundo "Manuel," Otávio Corrêa, gravou Boate azul, dando projeção nacional à dupla. Com a saída de Otávio, em 1997, Edvaldo Santos assumiu o papel de "Manuel," integrando a dupla até hoje.[1]

No ano de 2007 a dupla lançou um novo CD intitulado Homenagem a polícia rodoviária.

Referências

  1. a b Bomfim, Cristiane (7 de setembro de 2011). «Doentes de amor na Boate Azul». Estadão. O mundo da música sertaneja. Consultado em 14 de setembro de 2017 


Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.