John C. Sanford

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
John C Sanford, outono de 2014

John C. Sanford (nascido em 1950) é o inventor do sistema de biobalística GeneGun de melhoramento genético[1] juntamente com Ed Wolf , Nelson Allen e e Ted Klein da DuPont na Universidade Cornell,[2][3][4] , defende a entropia genética dos seres vivos e publicou vários artigos científicos a respeito[5][6][7][8] e um livro intitulado Genetic Entropy & the Mystery of the Genome (2005), no qual ele afirma que o genoma está se deteriorando e, portanto, não poderia ter evoluído da maneira especificada pela síntese evolutiva moderna.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carreira acadêmica[editar | editar código-fonte]

Sanford se formou em 1976 na Universidade de Minnesota com bacharelado em horticultura. Ele foi para a University of Wisconsin – Madison, onde recebeu um MSc em 1978 e um Ph.D. em 1980 em melhoramento de plantas / genética de plantas. Apesar de se aposentar em 1998, Sanford continua na Cornell University como professor associado de cortesia. Ele foi professor adjunto associado honorário de botânica na Duke University. Sanford publicou mais de 100 publicações científicas.[9]

Invenções[editar | editar código-fonte]

Em Cornell, Sanford e seus colegas desenvolveram o "Sistema de entrega de partículas biológicas" ou a chamada " arma genética ".[10][11][12] Ele é o co-inventor do processo de resistência derivada de patógenos (PDR) e o co-inventor do processo de vacinação genética. Em 1998, ele se aposentou com os lucros da venda de suas empresas de biotecnologia e continuou na Cornell como professor associado de cortesia. Sanford é proprietário de centenas de patentes[13]

Entropia genética e o mistério do genoma[editar | editar código-fonte]

Sanford defendeu a devolução em seu livro Genetic Entropy & the Mystery of the Genome (2005, 2008).[14][15] Nele, ele afirma que a seleção natural é a causa da evolução biológica (que ele chama de axioma primário) "é essencialmente indefensável".[16] Seu argumento é que a taxa mínima de mutação humana é estimada em 100 novas mutações por geração sendo a maioria deletérias.[17] De acordo com Sanford, a curva de Kimura mostra que a maioria das mutações tem um efeito quase neutro e, além disso, são ligeiramente deletérias.[18] Como tal, a seleção natural é incapaz de retardar o acúmulo de mutações prejudiciais. Portanto, com o tempo, a aptidão diminuirá e, se não for controlada, resultará em extinção. Milhares de publicações científicas parecem defender a degradação genética gradual nos seres vivos, incluindo grandes nomes da ciência como Gerald Crabtree que defendeu a tese em Stanford que estamos ficando mais retardados e publicou na prestigiada Trends[19].

Um corolário importante é que "mutações benéficas são tão raras que estão fora de consideração".[20] Portanto, a seleção natural é considerada muito lenta[21] para permitir alguma evolução positiva por ela. Além disso, o custo seletivo é considerado muito alto para substituir a deriva genética, o empobrecimento do "pool gênico "e o ruído.

Em experimentos de laboratório, declarou que vírus saturados com mutações podem se extinguir.[22] Sanford também criticou a distribuição de mutações de Kimura; Kimura exclui mutações benéficas porque elas teriam um efeito muito grande, não insignificante[23]. Sanford se recusou a reconhecer esse problema, mesmo depois de ser diretamente confrontado com as próprias palavras de Kimura.[24] Além disso, a afirmação de Sanford de que não há virtualmente nenhuma mutação benéfica selecionável é contrastada com a persistência da lactase em humanos[25] ou com o antagonismo da tetherina no grupo M Vpu do HIV-1.[26]

Contador de Mendel[editar | editar código-fonte]

Sanford e colegas desenvolveram o programa de modelagem genética quantitativa progressiva chamado Mendel's Accountant, publicando vários artigos sobre ele e a entropia genética em locais não revisados por pares.[27][28][29][30][31][32][33][34] O Contador de Mendel rastreia as mutações conforme elas se acumulam nas populações digitais de uma maneira biologicamente realista. Com base em sua pesquisa, Sanford afirma que o genoma humano está se deteriorando e, portanto, não poderia ter evoluído por meio de um processo de mutação e seleção conforme especificado pela síntese evolutiva moderna .

Design e criação inteligente[editar | editar código-fonte]

Anteriormente, de acordo com seu próprio relato, Sanford era um ateu[35] até meados da década de 1980, quando Sanford examinou a evolução teísta (1985 – final da década de 1990), passou a discernir a aceitar o criacionismo da Terra Velha (final da década de 1990) e depois , passou a aceitar mais o modelo de uma criação recente , devido defender meia vida curta do frágil DNA, passando então a defender a posição do criacionismo bíblico da Terra Jovem (2000 – presente).

Também passou a pertencer juntamente com milhares de cientistas[36] ao movimento anti-darwinista que se destaca por defenderem o modelo do design inteligente. Sanford testemunhou em 2005 nas audiências de evolução do Kansas em nome do design inteligente, durante as quais ele negou o princípio da descendência totalmente comum e declarou que as evidências genéticas apontavam que fomos criados por uma criação especial, por um "design inteligente, ou seja, por Deus ".

Em associação com o geofísico John Baumgardner (que fez testes de c-14 de meia vida curta , presente em material de origem orgânica incrustada em rochas de milhões de anos, inclusive diamantes que são praticamente incontamináveis, demonstrando assim que as datações muito antigas estariam erradas[37]) fez diversas publicações cientificas[38] onde ele defendeu que a idade da Terra era "menor de 100.000" anos.[35] Sanford usa uma analogia para ilustrar evidências de design - a de um carro versus um ferro-velho: "Um carro é complexo, mas um ferro-velho também. No entanto, um carro é complexo de uma forma muito específica - é por isso que funciona. Requer uma série de engenheiros muito inteligentes para especificar sua complexidade, portanto, é um todo funcional. "[39] O defensor do design inteligente William Dembski cita as realizações de Sanford como evidência do status científico do design inteligente, uma vez que Sanford é um especialista em engenharia genética e um professor associado de cortesia em horticultura.Sobre sua principal tese Sanford concedeu explicações sobre entropia genética nesta entrevista.[40]

Referências

  1. «Gene gun». Wikipedia (em inglês). 28 de março de 2021. Consultado em 12 de abril de 2021 
  2. Segelken, Roger (14 de maio 1987). «Biologist invent gun for shooting cells with DNA» (PDF). Cornell Chronicle. p. 3. Consultado em 24 de abril de 2016 
  3. Sanford, J.C.; Klein, T,.M.; Wolf, E.D.; Allen, N (1987). «Delivery of substances into cells and tissues using a particle bombardment process». Particulate Science and Technology. 5 (1): 27-37. doi:10.1080/02726358708904533 
  4. Klein, T.M.; Wolf, E.D.; Wu, R.; Sanford, J.C. (Maio de 1987). «High-velocity microprojectiles for delivering nucleic acids into living cells». Nature. 327: 70-73. doi:10.1038/327070a0 
  5. Basener, William F.; Sanford, John C. (junho de 2018). «The fundamental theorem of natural selection with mutations». Journal of Mathematical Biology (7): 1589–1622. ISSN 1432-1416. PMC 5906570Acessível livremente. PMID 29116373. doi:10.1007/s00285-017-1190-x. Consultado em 5 de abril de 2021 
  6. Brewer, Wesley H.; Baumgardner, John R.; Sanford, John C. (10 de abril de 2013). «Using Numerical Simulation to Test the ?Mutation-Count? Hypothesis». WORLD SCIENTIFIC: 298–311. ISBN 978-981-4508-71-1. doi:10.1142/9789814508728_0012. Consultado em 5 de abril de 2021 
  7. Crevecoeur, Guibert U. (1 de dezembro de 2019). «Entropy growth and information gain in operating organized systems». AIP Advances (12). 125041 páginas. doi:10.1063/1.5128315. Consultado em 5 de abril de 2021 
  8. Sodre Neto SG Neto (2021). «A TEORIA DA SOBREVIVÊNCIA DAS ESPÉCIES SOB EMPOBRECIMENTO GENÉTICO (ENTROPIA GENÉTICA) ATUANDO PELOS MOTORES EVOLUTIVOS». doi:10.13140/RG.2.2.14369.43367. Consultado em 5 de abril de 2021 
  9. John C. Sanford, NY State Agricultural Experiment Station
  10. Cornell Chronicle, May 14, 1987, page 3.Biologists invent gun for shooting cells with DNA Arquivado em 2013-10-29 no Wayback Machine.
  11. Sanford, John C.; Klein, Theodore M.; Wolf, Edward D.; Allen, Nelson (1987). «Delivery of Substances into Cells and Tissues Using a Particle Bombardment Process». Particulate Science and Technology. 5: 27–37. doi:10.1080/02726358708904533 
  12. Klein, TM et al (1987) High-velocity microprojectiles for delivering nucleic acids into living cells. Nature 327:70-73.
  13. Sanford, John C. «Patentes do Inventor John C. Sanford». patents.google.com. Consultado em 8 de abril de 2021 
  14. Sanford, John C. (25 de outubro de 2005). Genetic Entropy & the Mystery of the Genome. [S.l.]: Ivan Press. ISBN 978-1-59919-002-0 
  15. Sanford, John C. (2008). Genetic Entropy & the Mystery of the Genome 3rd Ed. [S.l.]: FMS Publications. 248 páginas. ISBN 978-0-9816316-0-8 
  16. John C. Sanford (março de 2008), Genetic Entropy & the Mystery of the Genome, ISBN 978-0-9816316-0-8, Feed My Sheep Foundation, Incorporated, pp. vi–vii 
  17. Dolgin, Elie (27 de agosto de 2009). «Human mutation rate revealed: Next-generation sequencing provides the most accurate estimate to date.». doi:10.1038/news.2009.864. Consultado em 13 de agosto de 2016 
  18. John C. Sanford (2005). Genetic Entropy & the Mystery of the Genome. [S.l.]: Elim Publishing. ISBN 978-1-59919-002-0 
  19. Crabtree, Gerald R. (1 de janeiro de 2013). «Our fragile intellect. Part I». Trends in Genetics (em English) (1): 1–3. ISSN 0168-9525. PMID 23153596. doi:10.1016/j.tig.2012.10.002. Consultado em 8 de abril de 2021 
  20. Sanford, John; Baumgardner, John; Brewer, Wes; Gibson, Paul; ReMine, Walter (2007). Shi, Yong; van Albada, Geert Dick; Dongarra, Jack; Sloot, Peter M. A., eds. «Using Computer Simulation to Understand Mutation Accumulation Dynamics and Genetic Load». Berlin, Heidelberg: Springer. Lecture Notes in Computer Science (em inglês): 386–392. ISBN 978-3-540-72586-2. doi:10.1007/978-3-540-72586-2_55. Consultado em 8 de abril de 2021 
  21. Sanford, John; Brewer, Wesley; Smith, Franzine; Baumgardner, John (17 de setembro de 2015). «The waiting time problem in a model hominin population». Theoretical Biology and Medical Modelling (1). 18 páginas. ISSN 1742-4682. PMC 4573302Acessível livremente. PMID 26376851. doi:10.1186/s12976-015-0016-z. Consultado em 8 de abril de 2021 
  22. Springman, R.; Keller, T.; Molineux, I. J.; Bull, J. J. (janeiro de 2010). «Evolution at a High Imposed Mutation Rate: Adaptation Obscures the Load in Phage T7». Genetics. 184: 221–232. ISSN 0016-6731. PMC 2815918Acessível livremente. PMID 19858285. doi:10.1534/genetics.109.108803 
  23. Kimura, Motoo (1 de julho de 1979). «Model of effectively neutral mutations in which selective constraint is incorporated». Proceedings of the National Academy of Sciences (em inglês) (7): 3440–3444. ISSN 0027-8424. PMID 16592684. doi:10.1073/pnas.76.7.3440. Consultado em 8 de abril de 2021 
  24. «Gen_Entropy». Letters to Creationists (em inglês). 10 de março de 2013. Consultado em 26 de julho de 2020 
  25. Enattah, Nabil Sabri; Jensen, Tine G. K.; Nielsen, Mette; Lewinski, Rikke; Kuokkanen, Mikko; Rasinpera, Heli; El-Shanti, Hatem; Seo, Jeong Kee; Alifrangis, Michael (10 de janeiro de 2008). «Independent Introduction of Two Lactase-Persistence Alleles into Human Populations Reflects Different History of Adaptation to Milk Culture». The American Journal of Human Genetics (em inglês). 82: 57–72. ISSN 0002-9297. PMC 2253962Acessível livremente. PMID 18179885. doi:10.1016/j.ajhg.2007.09.012 
  26. Sauter, Daniel; Unterweger, Daniel; Vogl, Michael; Usmani, Shariq M.; Heigele, Anke; Kluge, Silvia F.; Hermkes, Elisabeth; Moll, Markus; Barker, Edward (20 de dezembro de 2012). «Human Tetherin Exerts Strong Selection Pressure on the HIV-1 Group N Vpu Protein». PLOS Pathogens (em inglês). 8: e1003093. ISSN 1553-7374. PMC 3534379Acessível livremente. PMID 23308067. doi:10.1371/journal.ppat.1003093 
  27. Sanford, J.C., Baumgardner, J., Brewer, W., Gibson, P., ReMine, W. (2007). Mendel's Accountant: a biologically realistic forward-time population genetics program. SCPE 8(2): 147-165. http://www.scpe.org.
  28. Sanford, J.C., Baumgardner, J., Brewer, W., Gibson, P., ReMine, W. (2007). Using computer simulation to understand mutation accumulation dynamics and genetic load. In Shi et al. (Eds.), ICCS 2007, Part II, LNCS 4488 (pp.386-392), Springer-Verlag, Berlin, Heidelberg.
  29. Sanford, John (2012). «A new look at an old virus: patterns of mutation accumulation in the human H1N1 influenza virus since 1918». Theoretical Biology and Medical Modelling. 9. 42 páginas. PMC 3507676Acessível livremente. PMID 23062055. doi:10.1186/1742-4682-9-42 
  30. Sanford, John (julho de 2013). «Can Purifying Natural Selection Preserve Biological Information?». Biological Information: New Perspectives. [S.l.]: World Scientific. pp. 264–297. ISBN 978-981-4508-71-1. doi:10.1142/9789814508728_0011 
  31. Sanford, John (julho de 2013). «Using Numerical Simulation to Test the "Mutation-Count" Hypothesis». Biological Information: New Perspectives. [S.l.]: World Scientific. pp. 298–311. ISBN 978-981-4508-71-1. doi:10.1142/9789814508728_0012 
  32. Sanford, John (julho de 2013). «Can Synergistic Epistasis Halt Mutation Accumulation? Results from Numerical Simulation». Biological Information: New Perspectives. [S.l.]: World Scientific. pp. 312–337. ISBN 978-981-4508-71-1. doi:10.1142/9789814508728_0013 
  33. Sanford, John (julho de 2013). «Computational Evolution Experiments Reveal a Net Loss of Genetic Information Despite Selection». Biological Information: New Perspectives. [S.l.]: World Scientific. pp. 338–368. ISBN 978-981-4508-71-1. doi:10.1142/9789814508728_0014 
  34. Sanford, John (julho de 2013). «Information Loss: Potential for Accelerating Natural Genetic Attenuation of RNA Viruses». Biological Information: New Perspectives. [S.l.]: World Scientific. pp. 369–384. ISBN 978-981-4508-71-1. doi:10.1142/9789814508728_0015 
  35. a b Transcripts of the Kansas Evolution Hearings Talkorigins.org
  36. «Dissent from Darwin – There is a scientific dissent from Darwinism and it deserves to be heard.». dissentfromdarwin.org. Consultado em 8 de abril de 2021 
  37. Bauymgardner, John R. (2004). «Radioisotopes and the Age of the Earth, Volume II». www.icr.org (em inglês). Institute for Creation Research. ISBN 0-932766-81-1. Consultado em 8 de abril de 2021 
  38. Sanford, John C.; Baumgardner, John R.; Brewer, Wesley H. (10 de abril de 2013). «Selection Threshold Severely Constrains Capture of Beneficial Mutations». WORLD SCIENTIFIC: 264–297. ISBN 978-981-4508-71-1. doi:10.1142/9789814508728_0011. Consultado em 8 de abril de 2021 
  39. Intelligent Design: Professors discuss Teaching the Controversial Subject Xiaowei Cathy Tang. Cornell Daily Sun, November 15, 2005
  40. Sanford, John C. (15 de novembro de 2020). «Entrevista dada por John C. Sanford ao documentário " A Terra é Jovem" sobre acúmulo de mutações na população humana». Consultado em 6 de abril de 2021