Jornal dos Cegos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jornal dos cegos
Formato (22 cm)
Sede Lisboa, Portugal Portugal
Fundação 1895
Editora Livraria Católica
Director Branco Rodrigues
Idioma Português europeu
Término de publicação 1920

Jornal dos cegos : revista de tiflologia : revista de educação e ensino intelectual e profissional dos cegos foi editada em Lisboa, de novembro de 1895 a 1920, num total de vinte e três volumes. O seu diretor, Branco Rodrigues, encarou como missão da sua vida difundir tudo o que se fazia em diversos países da Europa em relação à educação dos cegos, em prol dos cegos portugueses, razão pela qual, vários dos seus colaboradores eram estrangeiros: Lenderink, diretor do Instituto de Jovens Cegos de Amesterdão; padre Sena Freitas; M. A. Bütner, Dr. Vittorio Cereseto, médico oftalmologista de Génova; J. Moldenhawer, diretor do Instituto de Cegos de Copenhague, Bernardo Lucas; Damasceno Nunes; Zófimo Consiglieri Pedroso; Luciano Cordeiro; M. Hall, diretor do Instituto de Cegos de Filadélfia; Valentim Magalhães; José Silvestre Ribeiro; Francisco Adolfo Coelho, Etienne Roland, lente da Universidade; Lucy Pearce Brownell; Eugénio Lorin; Armando Eram; Tadasu Joshimoto; Luís E. Sepulveda Quadra.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Alda Anastácio. «Ficha histórica: Jornal dos cegos (1895-1920)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 17 de fevereiro de 2017. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre meios de comunicação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.