José Francisco das Chagas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
José Chagas
Nascimento 29 de outubro de 1924
Santana dos Garrotes (PB)
Morte 13 de maio de 2014 (89 anos)
São Luís (MA)
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Poeta e jornalista

José Francisco das Chagas também conhecido como José Chagas (Santana dos Garrotes, 29 de outubro de 1924São Luís, 13 de maio de 2014), foi um poeta radicado maranhense. Foi colaborador permanente do Jornal do Dia e de O Estado do Maranhão, função que anteriormente desempenhou em muitos outros órgãos da imprensa maranhense.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi eleito membro da Academia Maranhense de Letras em 13 de outubro de 1974, tomando posse em 03 de abril de 1975 em sucessão a Antônio Carvalho Guimarães, ocupando a cadeira nº 28. Foi recebido por Bernardo Almeida. [1] José Chagas faleceu devido a complicações causadas por um AVC em 13 de maio de 2014 em São Luís. [2]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Canção da Expectativa (1955)
  • O discurso da ponte (1959)
  • Pedra de assunto (1961)
  • O caso da ponte de São Francisco (1964)
  • Os telhados (1965)
  • Maré/memória (1973)
  • Lavoura azul (1974)
  • Colégio do vento (1974)
  • Um homem debaixo de seu chapéu (1975)
  • De Píndaro à raposa ou Castro Alves! quem diria… acabou num aranhol coautoria com Jomar Moraes (1977)
  • Maré de moça (1977)
  • Pão e água (1978)
  • Os canhões do silêncio (1979)
  • De lavra e de palavra ou campoemas (1980)
  • Maré de aço (onda de alumínio) ou o naufrágio da Ilha (1983)
  • A cor do puro (1983)
  • São Luís com S. São Luís coautoria com Manuel Lopes (1984)
  • Cem anos de infância ou o poeta e o rio (1985)
  • Águas de silêncio (1987)
  • A arcada do tempo (1988)
  • Antropoema ou o signo da humana dor (1988)
  • Alcântara; negociação do azul ou a castração dos anjos (1994)
  • Apanhados do chão (1994)
  • Tabuada de memória (1994)
  • A mão do presidente ou impressões digitais de uma época (1995)
  • O fio-dental (1997)
  • Antologia poética (1998)
  • Os azulejos do tempo (1999)
  • As armas e os barões assassinalados (2000)
  • Versos de Natal (2002)
  • Da arte de falar bem (2004)
  • Poema da Lagoa (2004)
  • Portugal (discurso em versos) (2008)

Referências

  1. «José Francisco das Chagas». AML. Consultado em 17 de setembro de 2018 
  2. «Poeta José Chagas morre aos 89 anos, em São Luís». G1. Consultado em 17 de setembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Antônio Carvalho Guimarães
(fundador)
Olivenkranz.png AML - cadeira 28
1974 — 2014
Sucedido por
Turibio Santos