Karim Cã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Karim Khan Zand
Imperador Zand
Karim Khan by Charles Heath.jpg
Reinado 1 de março/1 de maio 1779
Antecessor(a) Nenhum
Sucessor(a) Ali Cã
Dinastia Zand
Nome completo
Mohammad Karim Khan Zand
کریم خان زند
Nascimento c.1705
Morte 1 de março/1 de maio de 1779 (74 anos)
  Palácio Zand, Shiraz
Enterro Mausoléu Pars, Xiraz

Maomé Karim Cã Zand ou Mohammad Karim Khan Zand (em curda: کەریم خانی زەندem persa: کریم خان زند; c.1705 — 1 de março/1 de maio de 1779[1]) foi um nobre iraniano sunita do século XIII, o fundador epônimo da dinastia Zand, tendo governado todo o Irã, exceto o Coração, de 1751 a 1 de março/maio de 1779.[2] Ele também governou alguns territórios caucasianos e ocupou Baçorá por alguns anos.[3]

Família e Juventude[editar | editar código-fonte]

Karim Cã pertenceu a tribo Zand, uma tribo de origem Lak [4][5][6] ou luri.[7] Karim Cã nasceu em 1705 em algum lugar no oeste do Irão. Em 1732, Nader Xá, que foi o comandante de facto do Império Safavida, moveu milhares de Bakhtiaris e muitas famílias Zand para Coração, Karim Cã foram alguns deles. Em 1736, Nader Xá depôs o governante do Império Safávida Abbas III e assumiu o trono, iniciando a Dinastia Afsharida. Porém, Nader Xá foi assassinado em 1747 por seus próprios homens, o que deu a oportunidade dos Bakhtiaris sob a liderança de Ali-Mardan Khan e os Zand sob o comando de Karim Cã de retornarem para suas antigas terras no oeste do Irão.[3]

Reinado[editar | editar código-fonte]

Algum tempo mais tarde, Karim Cã, Ali Mardan Khan e outro chefe Bakhtiari chamado Abulfath Khan Bakhtiari alcançaram um acordo para dividir o país entre si e dar o trono ao príncipe safávida Ismail III. Porém, a cooperação terminou quando Ali Mardan Khan invadiu Isfahan e matou Abulfath Khan. Posteriormente, Karim Cã matou Ali Mardan Khan e ganhou o controle sobre todo o Irão excepto a região de Coração, que foi governada por Shahrokh, o neto de Nader Xá. Karim Cã não adotou o titulo xá para si, preferindo o titulo de Vakil e-Ra'aayaa (Representante do povo).

Durante o governo de Karim Cã, a Pérsia recuperou-se da devastação de quarenta anos de guerra, provendo ao país um senso renovado de tranquilidade, segurança, paz, e prosperidade. Durante o seu reinado, as relações com os britânicos foram restauradas, e ele permitiu que a Companhia das Índias Orientais tivesse um posto de troca no sul do Irão. Ele fez de Xiraz a sua capital e ordenou a construção de muitos projetos arquitetônicos na cidade. Karim Cã faleceu em 1 março de 1779, estando doente durante seis meses, provavelmente de tuberculose.[3] Ele foi cremado três dias depois no "Jardim Nazar", hoje em dia conhecido como Museu Pars.

Depois da morte de Karim Cã, a guerra civil chegou mais uma vez, e nenhum de seus descendentes foi capaz de governar o país tão bem quanto ele. O último desses descendentes, Lotf Ali Cã, foi morto pelo governante Qajar Mohammad Khan Qajar, que se tornou o rei do Irão e iniciou a Dinastia Qajar.

Legado[editar | editar código-fonte]

Atualmente, ele tem a reputação de um dos governantes mais justos e capazes da história Iraniana. Muitas estórias e anedotas descrevem Karim Cã como um líder justo, genuinamente preocupado com o bem estar da população. Nas palavras de John Malcolm: "O reinado desse excelente príncipe, em contraste daqueles que o precederam e o seguiram, origina na história da Pérsia aquela mistura de prazer e repulsa, que um viajante aprecia em chegar a um lindo e fértil vale durante a sua jornada árdua. É prazeroso recontar as ações de um chefe de estado que, mesmo nascido de uma camada inferior, obteve poder sem crime, e o exerceu com a moderação que, no seu tempo, era singular como a sua humanidade e justiça."[8] Ele está sepultado no Museu Pars em Xiraz.

Referências

  1. Yeroushalmi, David (1 de janeiro de 2009). The Jews of Iran in the Nineteenth Century: Aspects of History, Community, and Culture. [S.l.]: BRILL. ISBN 9004152881 
  2. Dabashi, Hamid (31 de janeiro de 2011). SHI'ISM. [S.l.]: Harvard University Press. ISBN 9780674049451 
  3. a b c electricpulp.com. «Karim Khan Zand». www.iranicaonline.org. Encyclopaedia Iranica. Consultado em 29 de setembro de 2015 
  4. Sykes, Sir Percy Molesworth (1 de janeiro de 1930). A History of Persia. [S.l.]: Macmillan and Company, limited 
  5. Album, Stephen (1 de janeiro de 1977). Marsden's Numismata Orientalia Illustrata. [S.l.]: Attic Books Limited. ISBN 9780915018161 
  6. Izady, Mehrdad (3 de junho de 2015). The Kurds: A Concise History And Fact Book. [S.l.]: Taylor & Francis. ISBN 9781135844905 
  7. Yeroushalmi, David (1 de janeiro de 2009). The Jews of Iran in the Nineteenth Century: Aspects of History, Community, and Culture. [S.l.]: BRILL. ISBN 9004152881 
  8. Malcolm, Sir John (1 de janeiro de 1829). The History of Persia, from the Most Early Period to the Present Time: Containing an Account of the Religion, Government, Usages, and Character of the Inhabitants of that Kingdom. [S.l.]: J. Murray 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Dabashi, Hamid (2011). Shi'ism: A Religion of Protest. [S.l.]: Harvard University Press. ISBN 0-674-04945-4 
  • Perry, John R. (2011). «KARIM KHAN ZAND». Encyclopaedia Iranica, Vol. XV Fasc. 6. [S.l.: s.n.] 
  • Yeroushalmi, David (2009). «The Jews of Iran in the Nineteenth Century». Brill's Series in Jewish Studies. 40. Países Baixos: Brill. ISBN 90-04-15288-1