Kibi no Makibi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Kibi no Makibi
吉備 真備
Kibi no Makibi
吉備 真備
Udaijin
Dados pessoais
Nascimento 695
Morte 03 de novembro de 775 (80 anos)
linkWP:PPO#Japão

Kibi no Makibi (吉備 真備, 695 - 775?, também conhecido como Kibi Daijin) , foi um nobre que viveu no Período Nara da história do Japão [1] .

Makibi nasceu em Shimotsumichi, província de Bitchū (atual Kurashiki , Okayama) era chamado Shimotsumichi-no Asomi Makibi, era filho de Shimotsumichi-no Asomi Kunikatsu. Pertencia ao Ramo Shimotsumichi que era uma linha da elite local que derivava do clã Kibi. Esse nome derivava do antigo nome da região que abrangia as províncias de: província de Bitchū, província de Bizen, província de Bingo e província de Mimasaka.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Makibi serviu os seguintes imperadores: Imperatriz Gensho (717 - 724) e Shōmu (724 - 749), Imperatriz Koken (749 - 758), Junnin (758 - 764), Imperatriz Shotoku (764 - 770), Imperador Konin (770 - 771)

Entre 717 e 718 , durante o governo da Imperatriz Gensho, Makibi fez parte da missão japonesa para China da Dinastia Tang ( Kentōshi ) junto com Abe no Nakamaro e o monge budista Genbō [2]. Makibi ficou na China por 17 anos antes de retornar ao Japão. Dizem que na sua volta trouxe uma série de coisas, introduzindo no Japão o jogo Go e a arte de bordar [1].

Sua crescente influência na corte provocou a Rebelião de Fujiwara no Hirotsugu em 740 contra o Imperador Shōmu [3].

Em 751 no governo da Imperatriz Koken, Makibi foi nomeado Chikuzen Mamoru e Hizen Mamoru (governador das províncias de Chikuzen e de Hizen) . No ano seguinte foi nomeado vice-embaixador para a Dinastia Tang e viajou para a China no ano seguinte, voltando a Japão em 753.

Makibi passou alguns anos em Kyushu como Dazai Daini ( 大宰大弐 , Assistente do Vice-rei do Dazaifu ?, segundo principal cargo governamental da ilha) ; voltando depois para a Corte em Nara .

Em 764, no governo da Imperatriz Shotoku, Makibi foi nomeado Sangi e chefe do projeto que construiria o Tōdai-ji [1]. No final deste mesmo ano , durante a revolta de Fujiwara no Nakamaro , Makibi foi designado para dirigir o exército que iria sufocar essa rebelião [4].

Em 765, foi nomeado Dainagon , e em 766 promovido a Udaijin . Em 770, após a morte da Imperatriz Shotoku apoiou o candidato derrotado para o trono e quando o Imperador Konin ascendeu ao trono, apresentou a sua demissão do cargo. A corte só aceitou a sua demissão do cargo militar e manteve-o como Udaijin. Mas em 771 renunciou, dedicando-se ao estudo dos princípios confucionistas e suas aplicações na administração japonesa [1].

Makibi morreu em 775 aos 80 anos de idade.




Precedido por
Fujiwara no Nagate
16º Udaijin
(766 - 771)
Sucedido por
Ōnakatomi no Kiyomaro



Referências

  1. a b c d Louis-Frédéric Nussbaum. (2005). "Kibi no Makibi" in Japan Encyclopedia, (em inglês) Harvard University Press, 2002 pp 512 ISBN 9780674017535.
  2. Joshua A. Fogel The Literature of Travel in the Japanese Rediscovery of China: 1862 - 1945 (em inglês) Stanford University Press p. 22 ISBN 9780804764780
  3. John Whitney Hall, The Cambridge History of Japan, Volume 1 (em inglês) Cambridge University Press, 1993 p. 252 ISBN 9780521223522
  4. Louis Frederic, Alvaro David Hwang O Japão - Dicionário e Civilização (em português) Globo Livros p. 289 ISBN 9788525046161