Língua dulong

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dulong (Dulong, Derung, Qiuzu) (Tvrung kvt (tə˧˩ɻuŋ˥˧ kət))
Falado em: China
Região: Yunnan, Xizang
Total de falantes: 14 mil (2000)[1]
Família: Tibeto-Birmanesa
 Rio Nungish
  Dulong (Dulong, Derung, Qiuzu)
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: duu

Dulong (chinês simplificado: 独 龙 语; chinês tradicional: 獨 龍 語; pinyin: Dúlóng ) ou 'Drung' , 'Derung' , 'Rawang' , ou 'Trung' , é uma língua Tibeto-Birmanesas pelo povo derung e parte dos Anung étnicos do povo nu da China. Dulong está intimamente relacionado com a língua Rawang de Myanmar (Birmânia).[2] Apesar de quase todas as pessoas Derung falarem a língua em algum grau, a maioria é multilingue, também fala birmanês, Lisu, e Mandarim, com exceção de algumas pessoas muito idosas[3]

Dulong é também chamada Taron, Kiu, Qui, Kiutze, Qiuzi, Kiupa, Kiao, Metu, Melam, Tamalu, Tukiumu, Qiu, Nung, Nu-tzŭ.[4]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Dulong pertence à família de línguas Nungishes] do ramo Tibeto-Birmanês Central do ramo Tibeto-Birmanês da família de línguas sino-tibetanas.[5] As outras duas línguas da mesma família são Anong e Rawang.

Dialetos=[editar | editar código-fonte]

Dulong tem dois dialetos: Rio Dulong (Dulongjiang Central, Rio Derung, Dulongjiang do Norte, Dulongjiang do Sul) e Rio Salween (Nu) (Nujiang Dulong). Dialetos suposta e inerentemente inteligíveis (Thurgood e LaPolla, 2003). Outros nomes de dialetos possíveis são Melam, Metu, Tamalu e Tukiumu.

Vocabulário[editar | editar código-fonte]

Semelhança léxica: 74% com o dialeto Matwang do Rawang.

História[editar | editar código-fonte]

Dulong / Rawang é uma língua Tibeto-Birmanesa falada em ambos os lados da fronteira China / Myanmar (Birmânia), a sul e a leste do Tibete. Em Mianmar, as pessoas que falam a língua Dulong (possivelmente até 100.000 pessoas) vivem no norte do Estado Kachin, particularmente ao longo do rio Mae Hka (N'Mai) e rio Mach Hka (Mali River). No passado, eles tinham sido chamados de 'Hkanung' ou 'Nung', e muitas vezes foram considerados um subgrupo do Kachm (língua Jingpho). Por volta de 2000, os falantes dessa língua em Mianmar iniciaram um movimento para usar o nome / rəwɑŋ / (escrito 'Rvwang' nas ortografias da língua Rawang) para representar todos os seus falantes. Os falantes da China, no entanto, continuam usando o nome 'Dulong'.[6]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Há 14 mil (2000) pessoas falando em dois dialetos: 8.500 no dialeto rio Salween (Nu) e 5.500 no dialeto do rio Dulong. As localidades de Dulong são a província de Yunnan (condado autônomo de Gongshan Dulong-Nu), Região Autônoma do Tibete (Xizang), (Gongshan Dulong-Nu condado autônomo a oeste do condado de Chayu (Zayü)), Gongshan]Derung e Condado Autônomo de Nu, Gongshan, Bingzhongluo, e Tibete (condado de Chayu, distrito de Chawalong).[5] In the past, the Dulong River was known as the Kiu (Qiu) river, and the Dulong people were known as the Kiu (Qiu), Kiutze (Qiuzi), Kiupa, or Kiao.[2]

Escrita[editar | editar código-fonte]

A língua Dulong usa o alfabeto latino sem a letra X; usam-se os grupos consonantais Th, Ch, Ny, Sh, By, Py, My, Gy, Ky, Bl, Pl, Ml, Gl, Kl, Br, Pr, Mr, Gr, Kr. As vogais são I, E, A, V, O, U. Os ditongos são Eu, Ei, Ai, Oi, Ui, Ua, Eu e os tritongos Eui, Uai.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Consoantes[editar | editar código-fonte]

Dulong tem vinte e quatro sons consonantais iniciais em seis pontos de articulação, mais os grupos de consoantes / pr, br, mr, kr, xr, gr, pl, bl, ml, kl, gl / ; apenas as consoantes / p, t, k, n, m, r, l, ocorrem na posição final.

Vogais[editar | editar código-fonte]

Dulong tem sete sons vogais, / i, ε, ə, ɑ, ɔ, ɯ, u / e três ditongo s, / əi, ɑi, ɯi /, que aparecem apenas em sílabas abertas.[7]

Tons[editar | editar código-fonte]

Dulong tem 3 tons: alto nivelado, alto em queda e baixo em queda. Na língua Dulong, o tom tem o papel de diferenciar o significado de poucas palavras, com cerca de 8% de palavras (de cerca de 4000) que dependendo completamente de tons para se distinguir.[8]

Gramática[editar | editar código-fonte]

Palavras podem ser formadas por prefixação, sufixação, ou composição. As classes de palavras incluem substantivos, definidos pela capacidade de aparecer com um classificador numeral; verbos, definidos pela capacidade de aparecer com a negação e a marcação de pessoa e tempo; post-posições, que são delimitadas por PNs, numerais e classificadores. Os adjetivos são um subconjunto dos verbos para os quais a reduplicação significa intensificação ou adverbialização em vez do aspecto perfeito (reduplicação com substantivos têm um significado distributivo, "todo"). Adjetivos podem ser usados como predicado ou podem aparecer nominalizados em uma cláusula com verbo de ligação cópula.[2]

Amostra de texto[editar | editar código-fonte]

Tana akplvng ru ton mvnvng, chelai ong tvli wa rvmumu dvkshi te puk. Puq ton mvnvng, nacenace tvli rang.

Português

Depois de terminar a parte do corpo da besta, de um lado, desenho a forma de um arco e uso uma pequena faca para abrir um pequeno buraco. Depois de ter feito um pequeno furo, encaixei lentamente o arco no buraco.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Ethnologue
  2. a b c Thurgood, Graham; LaPolla, Randy J. (2003). The Sino-Tibetan languages. Abingdon, Oxon: Routledge. pp. 674–682. ISBN 0-203-27573-X 
  3. Perlin, Ross (abril de 2009). «Language Attitudes of the T'rung» (PDF). Linguistics of the Tibeto-Burman Area. 32.1: 91–113 
  4. «Did you know Drung is vulnerable?». Endangered Languages (em inglês). Consultado em 1 de maio de 2017 
  5. a b «Drung». Ethnologue. Consultado em 30 de abril de 2017 
  6. LaPolla, Randy J. (2000). «Valency-changing derivations in Dulong/Rawang» (PDF). Changing Valency: Case Studies in Transitivity, ed. by R. M. W. Dixon & Alexandra Y. Aikhcnvald. Cambridge: Cambridge University Press: 282–311 
  7. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome : 1
  8. Sun, Hongkai (1982). Dúlóngyǔ jiǎnzhì (A sketch of the Dulong language). Beijing: Minzu Chubanshe 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]