Línguas tibeto-birmanesas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Línguas tibeto-birmanesas[1]
Distribuição
geográfica:
Ásia Oriental
Classificação
genética
:
Sino-tibetana
 Línguas tibeto-birmanesas[1]
Subdivisões:
Tujia (não-classificada)
? Bai (possiv. sinítica)
? Chinês (controversa)


As línguas tibeto-birmanesas são uma família linguística consideradas parte do grupo sino-tibetano. São faladas em vários países do continente, como na Ásia oriental, sudeste, sul, sendo alguns deles Mianmar, Tibete, Tailândia, Vietnã, Laos, partes da China, Nepal, Bangladesh, Butão, Paquistão e várias partes da Índia.

Esta família é composta de aproximadamente 350 línguas, sendo que o birmanês é o que tem mais falantes (cerca de 32 milhões), levando-se em consideração que o chinês não é usualmente incluído nesta família. Além disso, aproximadamente 8 milhões de pessoas falam o tibetano.

Referências

  1. Atualmente a existência do grupo ainda é debatida; Cf. Beckwith, Christopher I. 1996. "The Morphological Argument for the Existence of Sino-Tibetan." Pan-Asiatic Linguistics: Proceedings of the Fourth International Symposium on Languages and Linguistics, 8-10 de janeiro de 1996. Vol. III, pp. 812-826. Bangkok: Mahidol University at Salaya.
Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.