Labasi-Marduque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Labasi-Marduque
Rei da Babilônia
Rei da Suméria e Acádia
Reinado Abril de 556 a.C. — Maio/Junho de 556 a.C.
Antecessor(a) Neriglissar
Sucessor(a) Nabonido
Dinastia caldeia
Nascimento século VI a.C.
Morte 556 a.C.
  Babilônia (?)
Ocupação soberano
Pai Neriglissar
Mãe Cassaia (?)

Labasi-Marduque (em acádio: Labashi-Marduk in Akkadian.png; romaniz.: Lā-bâš-Marduk ou Lâbâši-Marduk , lit. 'Ó Marduque, que eu não tenha vergonha')[1] foi o quinto rei do Império Neobabilônico, filho e sucessor de Neriglissar.

Reinado[editar | editar código-fonte]

Seu pai, Neriglissar havia assassinado o próprio cunhado, Evil-Merodaque, e reinado por quatro anos (560–556 a.C.).[2] Neriglissar provavelmente morreu em abril de 556 a.C. Os últimos documentos conhecidos datados do reinado de Neriglissar são um contrato de 12 de abril de 556 a.C. em Babilônia e um contrato de 16 de abril do mesmo ano em Uruque.[3] A Lista de Reis de Uruque,[4][5] concede a Neriglissar um reinado de três anos e oito meses, consistente com a possibilidade de que Neriglissar tenha morrido em abril.[3]

Labasi-Marduque se tornou rei da Babilônia, mas seu reinado foi breve. Beroso erroneamente atribui o reinado de Labasi-Marduque como nove meses (embora seja possível que seja um erro de escriba) e afirma que os "maus caminhos" de Labasi-Marduque levaram seus amigos a conspirar contra ele, resultando no rei criança sendo espancado até a morte. Os conspiradores então concordaram que Nabonido, um dos conspiradores, deveria governar.[6] A Lista de Reis de Uruque dá a Labasi-Marduque um reinado de apenas três meses[3] e as tabuinhas de contrato da Babilônia sugerem que ele pode ter governado por apenas dois meses.[6] No final de junho de 556 a.C., as tabuinhas datadas de Nabonido eram conhecidas em toda a Babilônia.[3] Embora Beroso se refira a Labasi-Marduque quando criança, é possível que ele tenha se tornado rei quando adulto, uma vez que textos comerciais de dois anos antes indicam que Labasi-Marduque estava encarregado de seus próprios assuntos naquela época.[3]

O motivo do golpe contra Labasi-Marduque é desconhecido.[7] É possível que, apesar de Labasi-Marduque e seu pai serem bem relacionados e ricos, eles foram visto como plebeus, sem sangue nobre.[8] Embora Labasi-Marduque sendo o neto de Nabucodonosor II por meio de sua mãe o tivesse tornado conectado à dinastia real, também é possível que ele fosse filho de Neriglissar e outra de suas esposas. Assim, a ascensão de Labasi-Marduque ao trono pode ter significado uma verdadeira ruptura na dinastia de Nabucodonosor e, como tal, ter despertado a oposição da população babilônica.[9] Após a morte de Labasi-Marduque, a considerável riqueza e propriedades da família de Neriglissar foram confiscadas e eventualmente tomadas por Belsazar, o filho de Nabonido, que (como o principal beneficiário) foi provavelmente o principal orquestrador da conspiração contra Labasi-Marduque.[10]

Referências

  1. Weiershäuser & Novotny 2020, p. 2.
  2. Donald Alexander Mackenzie, Myths of Babylonia and Assyria (1915), Chapter XX, The Last Days of Assyria and Babylonia [em linha]
  3. a b c d e Wiseman 1991, p. 243.
  4. Oppenheim 1985, p. 533.
  5. Lendering 2005.
  6. a b Beaulieu 2006, p. 139.
  7. Credor 2006.
  8. Lendering 2006.
  9. Gruenthaner 1949, p. 409.
  10. Beaulieu 1989, p. 92.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Neriglissar
Rei da Babilónia
556 a.C.
Sucedido por
Nabonido