Lancheria do Parque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fachada da Lancheria do Parque, na Avenida Osvaldo Aranha

A Lancheria do Parque, fundada em maio de 1982, é uma lanchonete considerada um dos lugares mais tradicionais de Porto Alegre.[1] Localizada no bairro Bom Fim, em frente ao Parque Farroupilha, é considerada parte importante da história da capital gaúcha, sendo tratada como um patrimônio afetivo dos porto-alegrenses.[2][3] A "Lanchera", como é chamada pelos frequentadores, é famosa pelos sucos servidos na jarra, considerado um dos melhores de Porto Alegre, e pelos lanches típicos da cidade, como o xis coração e a a la minuta.[4][5]

Uma das peculiaridades do local é o não uso de comanda pelos garçons: os pedidos são feitos todos no grito, sem anotações. Outro fator de destaque é fato de que o estabelecimento fechou em raras ocasiões, deixando de abrir apenas em finais de Copas do Mundo, Natal e no dia de lançamento de um filme curta-metragem sobre o local, em 2012.[3] Outras duas ocasiões onde o local ficou fechado foram uma interdição, em 2016, e a pandemia de COVID-19, em 2020.[6][7]

Por volta do ano 2000, os proprietários, Seu Ivo e Dona Inês, decidiram transformar o estabelecimento em uma cooperativa. Na época, trabalhavam no local outras 8 pessoas, que tornaram-se sócias dos dois proprietários de origem.[8][9]

Relação com a cultura local[editar | editar código-fonte]

Toldo da Lancheria do Parque com a avenida Osvaldo Aranha e o Parque Farroupilha ao fundo.

Nos anos 80, a Lancheria do Parque ficou conhecida por ser um dos últimos estabelecimentos a fechar no Bom Fim, o que se relaciona com grande número cervejas que costumava vender até as 5 horas da manhã. Nesta época, mais de 15 mil pessoas costumavam frequentar o local nas madrugadas de sexta e sábado.[8] Durante os anos 80, o Bom Fim era o principal bairro boêmio de Porto Alegre, sendo frequentado por grupos pertencentes à contracultura local. Sobrevivendo ao fechamento, que atingiu diversos bares e restaurantes vizinhos da época, a Lancheria do Parque manteve-se como um ponto de encontro de artistas, intelectuais e jornalistas porto-alegrenses.[9] O local também é famoso por servir o xis coração, um dos pratos mais famosos da capital gaúcha.[10]

Taça de café, suco de laranja com manga e um sanduíche prensado de salaminho com queijo

A fama da Lancheria do Parque a elevou a ponto turístico de Porto Alegre, recebendo visitas de pessoas do mundo inteiro. Outro elemento marcante da relação do Lancheria com a cultura local é a constante presença de músicos de bandas conhecidas no cenário gaúcho, como Cachorro Grande e Papas da Língua.[11] O músico Edu K, da banda DeFalla, afirmou que nos anos 80, em momentos de dificuldade, ganhava comida da Lancheria do Parque. Além de Edu, outros membros da cena Punk de Porto Alegre também frequentavam o local. No entanto, após uma briga generalizada ter causado prejuízos materiais ao local, os punks deixaram de ser bem-vindos.[12]

No dia 30 de agosto de 2015, o anúncio da aposentadoria do garçom Ildo Berté causou comoção em Porto Alegre.[13] No evento de sua despedida, mais de 2,7 mil pessoas confirmaram presença.[14] No dia, centenas de pessoas lotaram a Lancheria do Parque para despedirem-se dele.[15] Ildo voltou a trabalhar no restaurante para substituir um ex-colega em licença médica em 2016, durante quinze dias. Neste período, os clientes e funcionários fizeram campanha para que o ex-garçom voltasse a trabalhar por lá.[16] Em 2019, também no Bom Fim, Ildo abriu sua própria lancheria. No dia da inauguração, centenas de pessoas aglomeraram-se no estabelecimento que levou o nome de Lanchera do Ildo, em homenagem ao apelido carinhoso que os frequentadores deram à Lancheria do Parque.[17]

Em 2020, cenas da série Emily em Paris, da Netflix foram gravadas na Lancheria do Parque, onde a personagem principal tomou um suco de laranja e comeu um pastel de queijo.[18]

Fechamentos[editar | editar código-fonte]

Imagem do interior da Lancheria do Parque.

Em 2016, a Lancheria do Parque foi interditada por conta de uma denúncia anônima sobre as más condições de higiene do local. De acordo com Nayara Poleto, agente da Equipe de Vigilância de Alimentos, o grande volume de produção de alimentos gordurosos e de frituras acumulou um nível muito alto de sujeira, dificultando a manutenção da limpeza.[7] Além de gordura impregnada e alimentos nas mesas, os equipamentos e a estrutura da Lancheria estavam em condições inadequadas. O local permaneceu fechado para limpeza durante dois dias, onde foram substituídos equipamentos e foi contratada uma empresa especializada em limpezas pesadas.[19]

Durante a pandemia de COVID-19, a Lancheria ficou fechada durante 7 meses, entre março e novembro de 2020.[2] Em abril de 2020, o local, administrado por oito sócios, demitiu todos os seus funcionários. De acordo com os administradores, as demissões decorreram da insegurança sobre a manutenção das atividades devido às restrições de funcionamento do comércio em Porto Alegre.[20] No dia de sua reabertura os clientes esperaram em fila desde as 6 horas da manhã; também houve aplausos e diversas pessoas tiraram fotos, contentes com a volta das atividades. No dia, houve movimento intenso de clientes curiosos com as adaptações às normas de segurança e prevenção da COVID-19 e com algumas obras de melhoria estrutural, feitas no período em que esteve fechada.[4][21][22] Durante os 7 meses de pausa nas atividades, clientes deixaram na porta do local mensagens de parabéns pelos 38 anos completados no dia 9 de maio de 2020.[6]

Referências

  1. Marchesan, Lourenço. «Lancheria do Parque reabre nesta quinta-feira, após quase oito meses fechada». Jornal do Comércio. Consultado em 27 de maio de 2021 
  2. a b Vargas, Bruna (19 de junho de 2020). «Sócio da Lancheria do Parque posta foto de reforma, mas diz que reabertura não é para agora: "Só depois que tudo passar"». GZH. Consultado em 27 de maio de 2021 
  3. a b Vargas, Bruna (8 de maio de 2020). «Fechada desde março, Lancheria do Parque demitiu todos os funcionários e não tem data para reabrir». GZH. Consultado em 27 de maio de 2021 
  4. a b Weber, Jéssica (5 de novembro de 2020). «Após sete meses fechada pela pandemia, Lancheria do Parque reabre no Bom Fim». GZH. Consultado em 27 de maio de 2021 
  5. «Descubra 18 bares, restaurantes e cafeterias para curtir a qualquer momento no Bom Fim | Destemperados». GZH. 15 de setembro de 2021. Consultado em 3 de outubro de 2021 
  6. a b «Sem data para reabrir, sócio da Lancheria do Parque projeta volta sob outras condições». Jornal do Comércio. Consultado em 27 de maio de 2021 
  7. a b «Lancheria do Parque pretende reabrir nesta quinta-feira - Notícias». Diário Gaúcho. Consultado em 27 de maio de 2021 
  8. a b Carvalho, André (22 de janeiro de 2012). «Um local de Porto Alegre:o universo da Lancheria do Parque». Sul 21. Consultado em 27 de maio de 2021 
  9. a b Rangel, Bruna Cabral (2013). A cultura organizacional na Lancheria do Parque : um estudo etnográfico (Trabalho de Conclusão de Curso). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. p. 8 
  10. Fraga, Rafaela (10 de junho de 2014). «De coração, carne ou frango, 'xis' é opção de lanche para a Copa no RS». Rio Grande do Sul. G1. Consultado em 27 de maio de 2021 
  11. Torres, Aline. «Lanchera: ponto turístico de Porto Alegre agrada pela simplicidade e preço». Gazeta do Povo. Consultado em 27 de maio de 2021 
  12. «Carro em chamas, briga de punks e vinis voadores: Edu K relembra histórias da Avenida Osvaldo Aranha nos anos 1970 e 1980». GZH. 28 de maio de 2021. Consultado em 30 de maio de 2021 
  13. Jacoby, Isadora. «Ex-garçom da Lancheria do Parque abre negócio». GeraçãoE - Jornal do Comércio. Consultado em 30 de maio de 2021 
  14. «Bom Fim se despede do garçom mais querido da Lancheria do Parque». GZH. 30 de agosto de 2015. Consultado em 27 de maio de 2021 
  15. «Homenagem ao "garçom mais querido" lota Lancheria do Parque». GZH. 30 de agosto de 2015. Consultado em 27 de maio de 2021 
  16. Weber, Jéssica (4 de maio de 2016). «Garçom mais querido da Lancheria do Parque, Ildo volta durante licença de ex-colega e pensa em ficar». GZH. Consultado em 27 de maio de 2021 
  17. «Ex-garçom da Lancheria do Parque atrai multidão ao abrir novo bar no Bom Fim». Jornal do Comércio. Consultado em 27 de maio de 2021 
  18. «"Emily em Paris" visita Porto Alegre nas redes sociais». GZH. 19 de outubro de 2020. Consultado em 30 de maio de 2021 
  19. «Lancheria do Parque reabre após dois dias fechada em Porto Alegre». G1. 12 de maio de 2016. Consultado em 27 de maio de 2021 
  20. «Fechada desde março, Lancheria do Parque demitiu todos os funcionários e não tem data para reabrir». GZH. 8 de maio de 2020. Consultado em 27 de maio de 2021 
  21. «Lancheria do Parque reabre com mesas afastadas e movimento intenso». Jornal do Comércio. Consultado em 27 de maio de 2021 
  22. «Sem previsão de retorno, Lancheria do Parque passa por melhorias na estrutura». Jornal do Comércio. Consultado em 27 de maio de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Brasão de Porto Alegre
Porto Alegre
Arquitetura · Música · Demografia · Economia · Educação · Esportes · Geografia · História · Meios de comunicação · Prefeitura · Saúde · Transportes · Turismo

Portal · Listas · Imagens