Geografia de Porto Alegre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A geografia de Porto Alegre é, como na maioria das grandes cidades, heterogênea. A maior parte da cidade de Porto Alegre é cercada por prédios. A área do município de Porto Alegre é de 470,25 km² (Censo IBGE/2000). Destes, 44,45 km² estão distribuídos nas 16 ilhas do Guaíba sob jurisdição do município. Atualmente a cidade conta com 81 bairros.[1] Possui um relevo montanhoso na região mais ao sul, apresentando morros, sendo o mais alto deles o Morro Santana, com 311 metros de elevação acima do nível do mar. A cidade ainda possui 70 km de margens banhadas pelo Guaíba.

Prédios de Porto Alegre
Mapa dos Bairros de Porto Alegre

Bairros[editar | editar código-fonte]

O primeiro bairro criado em Porto Alegre foi o Medianeira, através da Lei Municipal nº 1762, de 23 de julho de 1957. Somente a partir deste ano as demais áreas da cidade passaram a ter denominações próprias pois, até então, a divisão era feita por "distritos". A primeira referência encontrada, neste sentido, data de 1º de dezembro de 1892 quando, pelo Ato n° 07, assinado pelo Intendente João Luiz de Faria, o município foi dividido em oito distritos, e estes subdivididos em "comissariados".

Pela Lei Municipal n° 36, de 31 de agosto de 1925, foi autorizado o desmembramento do 8° e do 9° distritos. Em 1927, através do Decreto 115, houve uma retificação nos limites do Município e a divisão do território passou a ser feita por zonas (urbana, suburbana e rural) e distritos, além de ser criada uma subdivisão por seções.

Os distritos de porto alegre criados eram nove, subdivididos em até quatro seções cada um. Em 1940, através do Decreto-lei n° 25, foram delimitadas, as três zonas e os distritos. No texto do decreto são mencionados apenas três distritos (Distrito da Cidade, Distrito de Belém Novo e Distrito da Pintada). Este tipo de divisão foi mantido até quase o final da década de 1950, quando começaram a ser criados os bairros.

A primeira lei surgiu em 1957 e, posteriormente, em 1959, através da Lei 2022, além da delimitação do Centro, foram criados outros 58 bairros.

A cidade ainda conta com uma divisão não-oficial administrativa, utilizada pela Empresa Pública de Trasporte e Circulação, para a organização das linhas de ônibus da cídade. A zona norte, onde opera o consórcio Conorte de transporte, a zona sul, onde opera o consórcio STS, e a zona leste, onde opera o consórcio Unibus.

Ainda existem algumas áreas do território sem denominação oficial (zona indefinida) e que são conhecidas por "apelidos", como é caso do Morro Santana, Passo das Pedras e Aberta dos Morros.

Atualmente a cidade conta com 81 bairros oficiais. Os cinco mais populosos e suas respectivas áreas, segundo dados do censo do IBGE de 2010, são:[2]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima é subtropical úmido ou temperado, com verões quentes e invernos frescos (frios para os padrões brasileiros) e chuvosos (tipo Cfa, segundo Köppen).

A temperatura média em janeiro é de 25 °C, e em julho é de 14 °C[3], com as temperaturas recordes de 40,7 °C em 1 de janeiro de 1943[4] e de -4,0 °C em julho de 1918[5]. A média anual é de aproximadamente 19,4 °C e a neve é muito rara, tendo sido observada em 1879, 1910, 1984[6], 1994[7], 2000[8] e em 2006[9][10]. As geadas ocorrem algumas vezes durante o ano.

Não é incomum a presença de "veranicos", que fazem a temperatura subir para 30 graus por alguns dias em pleno inverno. A média anual de chuva é de 1299 mm.


Dados climatológicos para Porto Alegre
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 39,2 40,6 38,1 36 32,7 31,6 32,2 35,2 38 38,2 39 39,8 40,6
Temperatura máxima média (°C) 30,5 30,2 29,1 25,9 22,2 19,8 19,3 21,3 22,1 25 27,4 29,5 25,2
Temperatura média (°C) 24,7 24,5 23,5 20,3 16,9 14,4 13,8 15,3 16,7 19,4 21,5 23,6 19,6
Temperatura mínima média (°C) 20,6 20,5 19,5 16,5 13,3 10,8 10,1 11,1 12,8 15,3 17,1 19 15,6
Temperatura mínima recorde (°C) 10,1 12,6 9,6 6,8 3 0,4 -0,2 0,3 2,2 5,8 8 10 -0,2
Precipitação (mm) 110,1 106,5 92,2 107,3 118,8 141,3 141,3 117,4 141,5 138,3 110,9 99,6 1 425,4
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 9 8 8 9 9 9 9 9 10 10 8 8 107
Umidade relativa (%) 72,9 74,8 75,3 77,6 81 82,7 80,7 77,8 77 75 72,1 70,9 76,5
Horas de sol 227,2 195,2 202,4 166 146,9 115,6 131,4 145,3 145,8 178 215,2 232,4 2 101,4
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[11] recordes de temperatura desde 1961)[12][13]

Meio ambiente[editar | editar código-fonte]

Porto Alegre é uma das capitais mais arborizadas do Brasil [14]. Cada habitante da cidade tem direito a, aproximadamente, 17m² de área verde. Em 1976 foi criada em Porto Alegre a primeira secretaria do meio ambiente do Brasil.

Existem programas de arborização e preservação das matas nativas. Muitas das avenidas são arborizadas com tipos específicos de árvores, como por exemplo as paineiras da avenida Icaraí e os guapuruvus na avenida Teresópolis. As floradas adicionam beleza cênica à cidade. Também são freqüentes os ipês, as timbaúvas, os jacarandás e os plátanos.

As encostas dos morros são preservadas, mas enfrentam problemas com loteamentos clandestinos e invasões. A cidade conta com duas áreas de conservação ambiental: o Parque Estadual do Delta do Jacuí e a Reserva Biológica do Lami José Lutzenberger.

Problemas ambientais[editar | editar código-fonte]

As grandes áreas verdes de Porto Alegre ajudam a amenizar seus problemas ambientais, mas a cidade apresenta problemas com lixo e poluição, entre outros. De acordo com uma pesquisa feita pelo jornal Folha de S.Paulo, o nível de poluição na cidade é o dobro acima do recomendado pela Organização Mundial de Saúde, sendo a segunda capital mais poluída do Brasil, atrás apenas de São Paulo.[15]

Os alagamentos da avenida Goethe e regiões próximas se intensificaram com o aumento do asfaltamento da cidade, diminuindo a infiltração da água e aumentando o seu escoamento superficial. Para reverter esse problema de drenagem urbana, foi construído o Conduto Álvaro Chaves. Iniciado em maio de 2005, a obra teve seu término em 2008, diminuindo grandemente os alagamentos.

Parques e outras áreas públicas[editar | editar código-fonte]

Vista panorâmica da Praia de Ipanema em Porto Alegre

Os parques mais freqüentados pelos porto-alegrenses são o Parque Moinhos de Vento (ou Parcão), o Parque Farroupilha (ou Redenção) e o Parque Marinha do Brasil. Destaca-se também a Praia de Ipanema, localizada na zona sul da cidade.

Outras áreas públicas mais freqüentadas são:

Cidades vizinhas[editar | editar código-fonte]

A região metropolitana de Porto Alegre conta com mais de 30 cidades. Entre elas as principais são: Canoas, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Gravataí, Alvorada, Cachoeirinha e Viamão. Elas estão ligadas a Porto Alegre através da rodovia BR-116, do Trensurb, da BR-290 (a freeway), da avenida Assis Brasil e da avenida Castelo Branco, formando uma grande conurbação.

Distâncias rodoviárias[editar | editar código-fonte]

de capitais brasileiras
de cidades do Mercosul

Referências


Brasão de Porto Alegre
Porto Alegre
Arquitetura · Música · Demografia · Economia · Educação · Esportes · Geografia · História · Meios de comunicação · Prefeitura · Saúde · Transportes · Turismo

Portal · Listas · Imagens