Lista de bacias sedimentares do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A lista de bacias sedimentares do Brasil contabiliza em área 6 436 200 quilômetros quadrados dessas formações geológicas. Desses, 4 898 050 quilômetros quadrados (76%) estão em terra e 1 538 150 quilômetros quadrados (24%) em plataforma continental. Da área de bacias sedimentares em terra, 4 513 450 quilômetros quadrados (70%) são interiores e 384 600 quilômetros quadrados estão na costa. Da área de bacias situadas no mar, há 776 460 quilômetros quadrados com menos de 400 metros de lâmina d'água e 761 690 quilômetros quadrados, mais de 400 metros de lâmina d'água.[1]

As bacias do Pantanal Mato-Grossense, Litorânea, bem como alguns trechos que margeiam os rios da bacia hidrográfica Amazônica, foram formadas no Cenozóico. São do Mesozóico as bacias sedimentares Paranaica, Sanfranciscana e a do Meio-Norte, sendo que a formação da Paranaica e da Sanfranciscana, as mais antigas, já se inicia no Paleozóico.[2][3]

Atualmente, nove das bacias sedimentares brasileiras (Campos, Espírito Santo, Tucano, Recôncavo, Santos, Sergipe-Alagoas, Potiguar, Ceará e Solimões), totalizando 1.645.330 km² (25,6% da área total), são produtoras de petróleo.[4]

Lista[editar | editar código-fonte]

A elencagem das bacias sedimentares do Brasil varia entre diferentes autores. A seguir, é apresentada uma listagem das principais bacias conforme o esquema de Milani et al. (2007).

  • Bacias fanerozóicas
    • Bacias meso-cenozóicas de margem distensiva
      • Segmento setentrional
        • Bacia de Sergipe-Alagoas
        • Bacia do Araripe
        • Bacia de Pernambuco-Paraíba
        • Bacia do Jacuípe
      • Segmento central
        • Bacia de Camamu-Almada
        • Bacia do Jequitinhonha
        • Bacia de Cumuruxatiba
        • Bacia do Mucuri
      • Segmento meridional
    • Bacias meso-cenozóicas de margem distensiva
      • Bacia da Foz do Amazonas
      • Bacia Pará-Maranhão
      • Bacia de Barreirinhas
      • Bacia do Ceará
      • Bacia Potiguar
    • Riftes mesozóicos abortados
      • Bacia do Tacutu
      • Bacia do Marajó
      • Bacia de São Luís/Bragança-Vizeu/Ilha Nova
      • Bacia do Recôncavo
      • Bacias de Tucano Sul, Central e Norte
      • Bacia de Jatobá
    • Bacias (ou sinéclises) paleozóicas
  • Bacias proterozóicas

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ALMEIDA, F. F. M. "Os Fundamentos Geológicos". In: AZEVEDO, Aroldo de (coord.). Brasil: a terra e o homem. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1964. v. 1, As bases físicas, p. 55-134. link.
  • CPRM. Mapa das bacias sedimentares fanerozóicas do Brasil. s.d. link.
  • FIGUEIREDO, A. M. F.; RAJA GABAGLIA, G. P. Sistema classificatório aplicado às bacias sedimentares brasileiras. Revista Brasileira de Geociências, v. 16, n. 4, p. 350-369, 1986. link.
  • LIMA, W. S.; HAMSI JR., G. P. Bacias sedimentares brasileiras. Phoenix, a. 5, n. 49, 2003. link.
  • MILANI, E. J. et al. Bacias sedimentares brasileiras: cartas estratigráficas: introdução. Boletim de Geociências da Petrobras, v. 15, n. 2, p. 183-205, maio/nov. 2007. link.
  • RAJA GABAGLIA, G. P.; MILANI, E. J. (eds.). Origem e evolução das bacias sedimentares. PETROBRAS: Rio de Janeiro, 1990, pp. 31-45.
  • SILVA, A. J. P.; LOPES, R. C. L.; VASCONCELOS, A. M.; BAHIA, R. B. C. Bacias Sedimentares Paleozóicas e Meso-Cenozóicas Interiores. In: BIZZI, L. A.; SCHOBBENHAUS, C.; VODOTTI, R. M. & GONÇALVES, J. H. (eds.). Geologia, Tectônica e Recursos Minerais do Brasil. CPRM, Brasília, p. 55-85, 2003. link.