Lista dos dias santos de obrigação do catolicismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Baseando-se no terceiro mandamento da Lei de Deus (guardar os domingos e festas de guarda), a Igreja Católica estipula que todos os católicos são obrigados a irem à missa em todos os domingos e festas de guarda. Por isso, está obrigatoriamente nos Cinco Mandamentos da Igreja Católica. A maior parte das festas de guarda calham sempre num domingo (ex: Domingo de Ramos, Pentecostes, domingo de Páscoa, Santíssima Trindade, etc.), que já é o dia semanal obrigatório de preceito ou guarda. Então, as festas de guarda que podem não ser no domingo são apenas dez:[1]

Porém, nem todos os países e dioceses festejam e guardam estes dez dias de preceito, porque, "com a prévia aprovação da Sé Apostólica, [...] a Conferência Episcopal pode suprimir algumas das festas de preceito ou transferi-los para um domingo".[1]

Como por exemplo, no Brasil os dias santos de guarda são:

Em Portugal, ao abrigo do artigo 30º da Concordata entre a Santa Sé e Portugal de 2004,[2] os dias santos de guarda ou dias festivos são:

Notas

[2] A explicação de 'missa da vigília no sábado e missa do dia no domingo' é a seguinte:

Missa da vigília é aquela que se celebra na vigília de alguma solenidade (isto é, na noite, ou na tarde do dia anterior à solenidade em questão).

Ao longo do Ano Litúrgico, existem 6 solenidades com missa da vigília:

  1. Vigília Pascal (que se celebra de noite e é chamada a mãe de todas as Vigílias)
  2. Pentecostes (data variável)
  3. São João Batista (24 de Junho)
  4. São Pedro e São Paulo (29 de Junho)
  5. Assunção de Nossa Senhora (15 de Agosto)
  6. Natal do Senhor (25 de Dezembro)

Os textos da Missa da vigília (orações e leituras) são próprios, isto é, são diferentes dos indicados para a Missa do dia da respectiva solenidade.

Os textos da Missa vespertina são os mesmos dos indicados para a Missa do domingo ou da solenidade.

Referências