Lockdown

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ruas barricadas durante o lockdown devido à disseminação da COVID-19 em Bhopal, Índia

Um lockdown, ou em português bloqueio total ou confinamento, é um protocolo de isolamento que geralmente impede o movimento de pessoas ou cargas.[1] Os lockdowns também podem ser usados para proteger pessoas ou, por exemplo, um sistema de computação de uma ameaça ou outro evento externo.

Tipos[editar | editar código-fonte]

Lockdown preventivo[editar | editar código-fonte]

Um lockdown preventivo é acionado para responder a uma situação incomum ou uma fraqueza no sistema para evitar qualquer perigo que comprometa a segurança e proteção de pessoas, organização e sistema. O foco das ações preventivas é evitar perigos e riscos decorrentes das não-conformidades às circunstâncias normais, mas também comumente inclui melhorias na eficiência.

Os lockdowns preventivos são bloqueios preventivos para reduzir o risco. Os protocolos devem se basear no tipo de ameaça e devem ser simples, de implementação rápida e suficientemente flexíveis para lidar com vários cenários.[2]

Lockdown de emergência[editar | editar código-fonte]

Polícia conversando com pessoas durante o lockdown em Benidorm, Espanha

Os lockdowns de emergência são implementados quando existe uma ameaça iminente à vida ou o risco de ferimentos em seres humanos.[3]

Pandemia da COVID-19[editar | editar código-fonte]

No início de abril de 2020, 3,9 bilhões de pessoas em todo o mundo estavam sob algum tipo de lockdown — mais de metade da população mundial.[4][5] No final de abril, cerca de 300 milhões de pessoas estavam em lockdown em países da Europa, enquanto cerca de 200 milhões de pessoas estavam em lockdown na América Latina.[6] Quase 300 milhões de pessoas, ou cerca de 90% da população, estavam sob alguma forma de lockdown nos Estados Unidos,[7] e 1,3 bilhões de pessoas estavam em lockdown na Índia.[8]

Eventos históricos[editar | editar código-fonte]

Após os ataques de 11 de setembro (2001), foi iniciado um lockdown de três dias no espaço aéreo civil americano.

Em dezembro de 2005, a Força Policial de Nova Gales do Sul (NSW Police Force) iniciou um bloqueio do Sutherland Shire e de outras áreas de praia de Nova Gales do Sul para conter rebeliões raciais (e ataques de retaliação).

Um exemplo de lockdown de um campus/escola foi demonstrado na Universidade da Colúmbia Britânica (UBC) em 30 de janeiro de 2008, quando uma ameaça desconhecida foi feita e a Polícia Montada Real do Canadá (RCMP) emitiu um lockdown em um dos edifícios do campus por seis horas, isolando a área, e um alerta do campus foi enviado por e-mail a todos os afiliados à UBC, enquanto estudantes e faculdades permaneceriam trancados no prédio.[9][10][11]

Em 10 de abril de 2008, duas escolas secundárias canadenses entraram em lockdown devido a suspeitas de ameaças de armas de fogo. A Academia George S. Henry foi fechada em Toronto, Ontário, aproximadamente às 2:00 pm[12] A Força-Tarefa de Emergência (TPS) foi contatada e o lockdown durou mais de duas horas. A Escola Secundária de New Westminster foi fechada em New Westminster, Colúmbia Britânica, aproximadamente às 1:40 pm[13] A Equipe de Resposta de Emergência (ERT) foi chamada e a escola ficou trancada até às 4:30 PM. Devido ao tamanho da escola, alguns alunos não puderam sair até as 7:00 PM.

Em 19 de abril de 2013, toda a cidade de Boston entrou em lockdown e todo o transporte público foi interrompido durante a caçada aos terroristas Dzhokhar e Tamerlan Tsarnaev, os suspeitos do atentado à maratona de Boston, enquanto a cidade de Watertown estava sob forte vigilância de polícia armada e da SWAT, bem como buscas sistemáticas de casa em casa.[14][15][16]

No lockdown de Bruxelas em 2015, a cidade ficou trancada por dias enquanto os serviços de segurança procuraram suspeitos envolvidos nos ataques de Paris em novembro de 2015. Mais tarde em 2015, uma ameaça terrorista causou o fechamento do Distrito Escolar Unificado de Los Angeles.

Em agosto de 2019, o governo indiano impôs um lockdown a Jammu e Caxemira após a revogação do status especial do Estado.[17] O governo indiano pretendia conter o terrorismo impondo restrições de lockdown na região.[18]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Entenda o que é 'lockdown'». G1. 6 de maio de 2020. Consultado em 6 de maio de 2020 
  2. Why Schools Need 2 Types of Lockdowns, campussafetymagazine.com, 14 de junho de 2012.
  3. Why Schools Need 2 Types of Lockdowns, campussafetymagazine.com, 14 de junho de 2012.
  4. «Coronavirus: Half of humanity now on lockdown as 90 countries call for confinement». Euronews 
  5. «A third of the global population is on coronavirus lockdown—here's our constantly updated list of countries and restrictions». Business Insider 
  6. «What Share of the World Population Is Already on COVID-19 Lockdown?». Statista 
  7. «About 90% of Americans have been ordered to stay at home. This map shows which cities and states are under lockdown». Business Insider 
  8. «For a billion Indians, lockdown has not prevented tragedy». The Guardian 
  9. Cause for UBC Lockdown still uncertain but initial posting may reveal some clues
  10. "Police increase presence at UBC following lockdown"
  11. "Threat prompts lockdown at UBC"
  12. "NORTH YORK: Two charged after George S. Henry Academy lockdown"
  13. "Teen arrested in connection with school lockdown" Arquivado em 2009-02-17 no Wayback Machine.
  14. This Is What It Looks Like When the Police Shut Down a City, The Atlantic Wire, 19 Apr 2013. Consultado em junho de 2013.
  15. A Town Under Siege: Watertown Residents Describe Life Under Lockdown, Time, 19 Apr 2013. Consultado em junho de 2013.
  16. Boston faces lockdown as police hunt for marathon bombing suspect, The Guardian, 19 abril 2013. Consultado em 19 abril 2013.
  17. «Restrictions eased as Kashmir enters Day 22 of lockdown». India TV news 
  18. «India PM defends Kashmir decision»