Lope de Aguirre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lope de Aguirre
Nascimento 1518
Oñati
Morte 27 de outubro de 1561 (43 anos)
Barquisimeto
Cidadania Reino de Castela
Ocupação explorador, militar

Lope de Aguirre (Oñati, c. 1510Barquisimeto, 27 de outubro de 1561) foi um explorador e conquistador espanhol de origem basca. Conhecido como El Loco ("O Louco") e El Peregrino ("O Peregrino"),[1] Aguirre é célebre por sua última expedição, que desceu o rio Amazonas em busca do mítico El Dorado.

Inicialmente um oficial menor da expedição, durante um motim acabou por tomar controle dela, rebelando-se contra o monarca espanhol Filipe II. Derrotado e morto, a partir de então Aguirre passou a ser considerado um paradigma de crueldade e traição pois matou sua filha de 15 anos e vários índios. [2][3] e se tornou um anti-herói na literatura, cinema e outras artes.[4]

Referências culturais[editar | editar código-fonte]

Lope de Aguirre foi retratado em diversas obras culturais desde sua morte, no século XVI.

Literatura[editar | editar código-fonte]

Alguns romances, sobretudo no século XX, tiveram Lope de Aguirre como protagonista. Entre elas estão:

Teatro[editar | editar código-fonte]

No teatro, destaca-se o texto dramatúrgico de Gonzalo Torrente Ballester, com a peça Lope de Aguirre: crónica dramática de la historia americana en tres jornadas (Madri: Escorial, 1941), e José Sanchis Sinisterra, com Lope de Aguirre, traidor (1992).

Cinema[editar | editar código-fonte]

Dois filmes tiveram Lope de Aguirre como personagens principais: El Dorado, de 1988, dirigido por Carlos Saura (no qual Aguirre foi interpretado por Omero Antonutti), e Aguirre, der Zorn Gottes (br: Aguirre, a Cólera dos Deuses / pt: Aguirre, a Cólera de Deus), de 1972, dirigido por Werner Herzog (em que foi interpretado por Klaus Kinski). Como ele próprio reconheceu,[5] o diretor americano Francis Ford Coppola foi influenciado pelo filme de Herzog quando realizou Apocalypse Now, de 1979.

Referências

  1. O próprio Lope de Aguirre se denominava El Tirano ("O Tirano").
  2. "Lope de Aguirre". (2010). Encyclopædia Britannica.
  3. Lewis, Bart L. (2003). The Miraculous Lie: Lope de Aguirre and the Search for El Dorado in the Latin American Historical Novel. [S.l.]: Lexington Books. ISBN 0739107879 
  4. Gómez, Thomas (Guillermo Serés, Mercedes Serna Arnáiz, editores) (2009). «Génesis de un antihéroe: Lope de Aguirre entre crónicas, literatura, cine y otras artes». Los límites del océano: estudios filológicos de crónica y épica en el nuevo mundo. [S.l.]: Centro para la Edición de los Clásicos Españoles. pp. 65–74. ISBN 978-84-936665-2-1 
  5. "Aguirre, with its incredible imagery, was a very strong influence. I'd be remiss if I didn't mention it." ("Aguirre, com seu imaginário incrível, foi uma influência muito forte. Eu estaria sendo omisso se não mencionasse isso.") Entrevista com Gerald Peary

Ligações externas[editar | editar código-fonte]