Manuel Said Ali Ida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Manuel Said Ali Ida
Nascimento 21 de outubro de 1861
Petrópolis, Brasil
Morte 27 de maio de 1953 (91 anos)
Rio de Janeiro, Brasil
Ocupação Filólogo

Manuel Said Ali Ida (Petrópolis, 21 de outubro de 1861Rio de Janeiro, 27 de maio de 1953) foi um filólogo brasileiro, considerado por muitos como o maior sintaxista da língua portuguesa.[1]

Era filho de mãe alemã (Catarina Schiffler), e de pai de ascendência turca (Said Ali Ida), que faleceu quando Manuel tinha apenas dois anos de idade. Fez os seus estudos em Petrópolis e mudou-se para o Rio de Janeiro quando tinha catorze anos de idade para trabalhar na livraria Laemmert, onde depois leccionaria alemão na Escola Militar e no que viria a ser o Colégio Pedro II em 1890 (aí, foi professor do poeta Manuel Bandeira). Foi ainda professor de francês, inglês e Geografia. Interessava-se também pelas ciências naturais, especialmente botânica e entomologia, além de cultivar o desenho e se dedicar ao piano.

Manteve ao longo da vida uma intelectualmente frutuosa amizade com o lingüista e historiador Capistrano de Abreu. No virar do século, casou-se com Gertrudes Gierling, de quem ficou viúvo em 1944.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Estudos de lingüística (Revista Brasileira), 1895;
  • Prosa e Verso (Novidades), 1887;
  • Versificação portuguesa, 1948;
  • Acentuação e versificação latinas, 1957;
  • Gramática Elementar da Língua Portuguesa, 1923;
  • Gramática Secundária da Língua Portuguesa, 1923
  • Gramática Histórica, 1931 (reúne Lexeologia do Português Histórico, 1921, e Formação de Palavras e Sintaxe do Português Histórico, 1923)
  • Dificuldades da Língua Portuguesa [1], 1908, 2.ª ed., 1919; 5.ª ed., 1957;
  • Meios de Expressão e Alterações Semânticas, 1930,
  • Nova Grammatica Alleman, 1894
  • Compêndio de Geografia Elementar, 1905, Rio de Janeiro / São Paulo. Laemmert & C.

Referências

  1. «O falecimento de M. Said Ali:Grande perda para a filologia brasileira». O Jornal, Ano XXXIII, edição 10138, página 6/republicado pela Biblioteca nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 29 de maio de 1953. Consultado em 27 de maio de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]