Mara Hope (navio)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Mara Hope
Casco enferrujado do Mara Hope ao fundo na foto, visto na Praia de Iracema.
Carreira   Bandeira da marinha que serviu
Proprietário Commercial Maritime Ltd.
Fabricante Naviera Ibérica SA.
Homônimo João de Áustria
Estaleiro Astilleros de Cádiz
Lançamento 22 de abril de 1967
Estado Parcialmente destruído, estrutura comprometida devido a corrosão excessiva
Fatalidade 6 de março de 1985
Outro(s) nome(s) Juan de Austria, Asian Glory
Características gerais
Tipo de navio Petroleiro
Deslocamento 38 663

Mara Hope é um navio petroleiro que encalhou na costa da cidade de Fortaleza, estado do Ceará, Brasil, no dia 6 de março de 1985, próximo ao Marina Park Hotel, sendo atualmente uma atração turística da cidade.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Fabricado em abril de 1967 pelo estaleiro espanhol Astilleros de Cádiz, foi primeiramente chamado de Juan de Austria. Posteriormente, foi renomeado de Asian Glory (1979) e, por fim, Mara Hope (1983). Pertenceu às empresas Naviera Ibérica, Bona Shipping, Carpathia Trading e, por último, à Commercial Maritime, cuja sede estava localizada na cidade de Monróvia, na Libéria.[2]

Em 1983, sofreu um incêndio que durou quatro dias, o qual atingiu a casa de máquinas do navio quando estava ancorado em Port Neches, no Texas, Estados Unidos. Todos os 40 tripulantes saíram do navio sem nada sofrer. Além disso, cerca de 150 moradores das imediações do porto tiveram que ser evacuados, devido ao risco de explosão da embarcação.[3]

Mara Hope em meio ao verde mar de Fortaleza.

Em 1984, em decorrência de sua destruição pelo incêndio, teve perda total e foi destinado para Taiwan, condenado ao desmonte. Contudo, no meio da viagem, enquanto rumava a Cabo Horn, na América do Sul, em 1985, o seu rebocador, Sucess II, teve problemas em sua hélice na costa brasileira, ficando ancorado no Porto do Mucuripe, em Fortaleza.[2]

Em 6 de março do mesmo ano, em meio a uma forte tempestade à noite, com maré alta, as amarras do Mara Hope se romperam e a embarcação derivou 1,6 km até encalhar em um banco de areia nas proximidades da Praia de Iracema, ao lado do estaleiro da Indústria Naval do Ceará. Há, entretanto, outra versão da história, não confirmada, de que o rebocador que estava conduzindo o Mara Hope teve problemas e foi obrigado a soltar as amarras, deixando-o à deriva no mar.[4] Houve diversas tentativas de recuperação e reflutuação do navio, mas devido ao seu tamanho e também devido a profundidade do banco de areia em que estava encalhado, todas elas falharam. Em 21 de março, foi declarado como perdido pelo seu proprietário.

Hoje, a extinta embarcação é um curioso ponto turístico da cidade, que pode ser visto em diferentes pontos da orla. Constantemente, grupos de mergulhadores desbravam as formações de corais presentes na parte submersa[5] e aventureiros sobem nos destroços para contemplar a cidade por meio da visão única que o naufrágio proporciona. De propriedade da União, o navio permanecerá pelo resto dos seus dias no mesmo local, já que segundo a Capitania dos Portos é inviável a sua recuperação.


Silhueta do Mara Hope no pôr do sol da Praia de Iracema.

Referências

  1. «Naufrágio Mara Hope: um marco no litoral de Fortaleza». Náutica Total. 22 de abril de 2014. Consultado em 29 de setembro de 2014 
  2. a b «Naufrágios no Brasil - Estado do Ceará - Mara Hope». Brasil Mergulho. Consultado em 29 de setembro de 2014 
  3. «Juan de Austria». Spanish Shipping. Consultado em 4 de setembro de 2014 
  4. «Mara Hope - A história». O Povo. 10 de maio de 2013. Consultado em 29 de setembro de 2014 
  5. Marcus Davis Andrade Braga. «Mara Hope - O gigante de Fortaleza». Brasil Mergulho. Consultado em 30 de setembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.