Maria Elena Maseras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
María Elena Maseras
Nome completo María Elena Maseras Ribera
Nascimento 25 de maio de 1853
Vilaseca, Espanha
Morte 4 de dezembro de 1905 (52 anos)
Mahón, Espanha
Ocupação Médica, pedagoga e professora
Conhecido por primeira mulher na Espanha a se matricular em uma faculdade de medicina
Alma mater Universidade de Barcelona

María Elena Maseras (Vilaseca, 25 de maio de 1853 - Mahón, 4 de dezembro de 1905) foi uma médica, pedagoga e professora espanhola. Primeira mulher a se matricular em uma faculdade de medicina, pela Universidade de Barcelona por meio de decreto real do rei Amadeu I que permitia que mulheres pudessem estudar medicina.[1]

Antes da autorização por decreto, a ideia de María era a de estudar em casa, com tutores particulares e depois assistir a algumas aulas na faculdade para poder passar pelas provas obrigatórias de obtenção de título.[2][3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida em Vilaseca, em 1853, María Elena vinha de uma família de médicos. Determinada a estudar medicina, estava disposta a fazer as provas na universidade depois de ter aulas particulares em casa. Foi graças a um decreto real que em setembro de 1872 María entrou na faculdade de medicina da Universidade de Barcelona, a primeira mulher a frequentar a instituição como estudantes. Recebida com aplausos da maior parte dos colegas, ela inspirou seus dois irmãos mais jovens, Agustí Alfons e Miquel. a também estudar medicina.[1][3]

Em fevereiro de 1879, ela prestou exames para se qualificar para o magistério.[3] O fato de ser mulher acabou agindo negativamente para conseguir o título, que foi postergado por mais três anos até conseguir a permissão de lecionar. Desanimada e desmotivada com as dificuldades impostas pelo fato de ser mulher, María desistiu de atuar como médica e se dedicou ao ensino e à pedagogia.[3]

Era colaboradora regular com um jornal republicano chamado El Pueblo, onde abordava em seus artigos várias questões de saúde, lazer e cultura, especialmente para as mulheres.

Morte[editar | editar código-fonte]

Em 4 de dezembro de 1905, María faleceu em Mahón, onde passou a morar quando começou a dar aulas.[1] Segunda consta da certidão de óbito, ela teve um infarto. Consta também que era solteira e sem filhos.[3]

Referências

  1. a b c Azucena Martin (ed.). «Elena Maseras, la primera universitaria española». El Español. Consultado em 31 de julho de 2018 
  2. «Laudatio de la doctoranda Dª. Iris M. Zavala Zapata» (PDF). Consultado em 31 de julho de 2018 
  3. a b c d e «María Elena Maseras». Galeria Metges. Consultado em 31 de julho de 2018