Mario Casali

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Dezembro de 2008). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Mario Casali (19302003), foi um dos mais requisitados pianistas brasileiros.[1]

Músico de formação clássica e erudita, foi inserido precocemente nas bandas de jazz e música popular de seu pai, Egisto Casali. Tocava praticamente escondido na noite paulistana, pois era menor de idade. Era figura certa para acompanhar cantores e cantoras que viajavam pelo Brasil em suas apresentações.

Após viajar pela Europa tocando em navios e nas cidades, voltou ao Brasil para casar-se com Léa, e ser pai de Mário e Loreta. A partir daí, tornou-se efetivamente músico de estúdio, acompanhando a nata do meio artístico da época, como Leny Eversong, Leny Andrade, Jamelão, Maysa, grande parte do pessoal da Jovem Guarda e também da Tropicália. Era o pianista preferido de Dick Farney, pois o mesmo precisava de suporte quando saía do piano para cantar ou reger sua orquestra. Acompanhou The Supremes (Diana Ross), The Four Tops e Johnny Mathis.

Participou das primeiras transmissões de TV Tupi. Nos festivais da TV Globo, acompanhou os grandes nomes da MPB. Seu toque peculiar e refinado ficou marcado em Feelings de Morris Albert.

Nos últimos anos dedicava-se também a lecionar na Universidade Livre de Música Tom Jobim (ULM), atualmente denominada Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim , onde foi homenageado com a atribuição do seu nome à biblioteca da escola.

=

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.