Martabão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Martabão

မုတ္တမ
မိုဟ်တၟံ

  Cidade  
Horizonte de Martabão
Localização
Martabão está localizado em: Myanmar
Martabão
Localização em Mianmar
Coordenadas 16° 32' N 97° 36' E
País Myanmar Myanmar
Divisão Mom
Distrito Thaton
Características geográficas
 • Etnicidade mons
birmanes
karens
 • Religião Teravada

Martabão[1] (Mottama, birmanês: မုတ္တမ မြို့, pronuncia-se [moʊʔtəma̰ mjo̰]; Muttama, mom: မိုဟ် တၟံ, [mùh mɔˀ]; anteriormente Martabão) é uma pequena cidade no distrito de Thaton, no estado Mom, Myanmar. Localizada na margem oeste do rio Saluém, no lado oposto de Moulmein. Martabão foi a capital do Reino de Martabão (mais tarde conhecido como Reino Hanthawaddy) de 1287 a 1364, e um entreposto de fama internacional até meados de século XVI.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Mottama" deriva do termo da língua mom "Mumaw" (mom: မိုဟ် တၟံ;/mùh mɔˀ/), que significa "esporão rochoso".[2][3]

História[editar | editar código-fonte]

Antes do século XV[editar | editar código-fonte]

A Rota da Seda no século I

Entre o século II a.C. e o século XV d.C., Martabão foi um importante porto comercial na histórica Rota da Seda Marítima que conectava o Oriente e o Ocidente, e os potes de armazenamento de produtos de Martabão eram importados por meio dessa estrada marítima.

A evidência mais antiga da existência de Martabão na história de Myanmar foi revelada em uma inscrição erguida pelo rei Sithu II do Império Pagan (Bagan) em 1176.[4]

A antiga cidade era chamada de Sampanago (Campа̄nа̄ga, literalmente Cidade das Serpentes) ou Puñjaluin na língua mom. Também pode ser referida no contexto de Muttama-Dhañyawaddy ou Sampanago-Lakunbyin como um trecho de aproximadamente 45 quilômetros ou assentamentos ao longo do rio Saluém que se estende desde a atual Mottama até Hpa-an. Artefatos do local de Sampanago sustentam uma cultura próspera do sexto ao nono século, com comércio para outros locais antigos por terra e pelo mar. Moedas e influências culturais em artifícios indicam que Sampanago tinha contatos próximos com Thaton e os primeiros assentamentos em Uthong e Kanchanaburi.[5]

No século XIII, Martabão era uma capital de província do sul do Império Pagan. Após o colapso de Pagan em 1287, o rei Wareru fundou o Reino de Martabão baseado em Martabão.[6]:205–206 A cidade foi a capital de um reino de língua mom de 1287 a 1364. Nominalmente, era um Estado vassalo do tailandês Reino de Sucotai até 1314.[7] De 1369 em diante, os reis Hanthawaddy governaram o reino de Bago (Pegu).[8] De 1364 a 1388, Martabão esteve sob o governo independente de facto de Byattaba. Em 1388, o rei Razadarit reconquistou a cidade.[9] Embora não fosse mais a capital, a cidade permaneceu um importante porto comercial do século XIV ao início do século XVI.[10]

Séculos XVI a XIX[editar | editar código-fonte]

Antigo sino Martabão (1492 d.C.) com a inscrição no idioma mom

Em 1541, o rei Tabinshwehti de Taungû capturou a cidade fortificada e a destruiu totalmente, relegando-a para sempre a um remanso. Do século XVI ao XIX, Martabão foi um ponto estratégico em uma série de guerras travadas entre a Birmânia e o Sião.

Período colonial[editar | editar código-fonte]

Martabão foi capturada pelos britânicos na Primeira Guerra Anglo-Birmanesa de 1824-1826, mas retornou à administração birmanesa após a guerra. No entanto, tornou-se a cidade fronteiriça, pois toda a costa Tenasserim de Moulmein para baixo tornou-se território britânico. A cidade tornou-se parte da Baixa Birmânia britânica após a Segunda Guerra Anglo-Birmanesa de 1852.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O rio Saluém atravessa a cidade até a Baía de Martabão. A localização das cidades é adjacente à confluência de cinco rios: o Saluém, o Ataran, o Gyaing, o Dontami e o Hlaingbwe à medida que deságuam no Golfo de Martabão. Também é cercada por colinas que continuam pela área com a cidade localizada no vale do Saluém, onde várias safras são cultivadas em leitos de riachos e ilhas.[5]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Mottama era o término da estrada e da ferrovia de Rangum, onde o rio Thanlwin deságua no Golfo de Martabão no mar de Andamão. Hoje a ponte Thanlwin estabeleceu uma ligação de Mottama para Moulmein e outra cidade no sul, Ye.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Simões, Sata Teixeira (2009). Os Potes Martabã - Contributo para o seu conhecimento. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa. p. 1 
  2. Shorto, H.L. (1962). Dictionary of Modern Spoken Mon. [S.l.]: Oxford University Press 
  3. Tun, Than (1988). «Observations on the Translation and Annotation of the Royal Orders Of Burma». Crossroads: An Interdisciplinary Journal of Southeast Asian Studies. 4 (1): 91–99. JSTOR 40860260 
  4. Aung-Thwin, Michael (2005). The mists of Rāmañña: The Legend that was Lower Burma (illustrated ed.). Honolulu: University of Hawai'i Press. ISBN 9780824828868 
  5. a b Moore, Elizabeth; San Win (2014). «Sampanago: "City of Serpents" and Muttama (Martaban)». In: Revire, Nicholas; Murphy, Stephen. Before Siam was Born: New Insights on the Art and Archaeology of Pre-Modern Thailand and its Neighbouring Regions. [S.l.]: River Books. pp. 216–237 
  6. Coedès, George (1968). Walter F. Vella, ed. The Indianized States of south-east Asia. Traduzido por Susan Brown Cowing. [S.l.]: University of Hawaii Press. ISBN 978-0-8248-0368-1 
  7. Mukherjee, Rila (2011), Pelagic Passageways: The Northern Bay of Bengal Before Colonialism, Primus Books, p. 212 
  8. Harvey 1925: 368
  9. Fernquest 2006: 7–8
  10. Myint-U 2006: 67

Referências

  • Jon Ferquest (primavera de 2006). «Rajadhirat's Mask of Command: Military Leadership in Burma (c. 1384–1421)». SBBR. 4 (1): 7–8 
  • Harvey, G. E. (1925). History of Burma: From the Earliest Times to 10 March 1824. Londres: Frank Cass & Co. Ltd 
  • Myint-U, Thant (2006). The River of Lost Footsteps—Histories of Burma. [S.l.]: Farrar, Straus and Giroux. ISBN 978-0-374-16342-6 


Martabão
Precedido por:
Bagan (Pagan)
como Capital do Império Pagan
Capital do Reino de Martabão
30 de janeiro de 1287 – c. fevereiro de 1364
Sucedido por:
Donwun