Mattentaart

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mattentaart
Categoria bolo
País Bélgica
Região Geraardsbergen
Ingrediente(s)
principal(is)
Mat, massa folhada
Receitas: Mattentaart   Multimédia: Mattentaart

Mattentaart, conhecida como tarte au maton na Bélgica francófona, é um tipo de bolo tradicional da Bélgica. A receita é originária de Teralfene, em Affligem, na província do Brabante Flamengo; no entanto, ela é encontrada principalmente na região de Geraardsbergen, no Flandres Oriental.

O Geraardsbergse mattentaart é um produto de indicação geográfica protegida pela União Europeia desde 2007.

História[editar | editar código-fonte]

Embora pouco se saiba sobre a origem da receita, é quase certo que a história remonte à Idade Média. A palavra matten (ou maton) tem registros datando do século XIII em dialetos antigos da Alemanha, França e Flandres, significando "leite coalhado" ou "talhado". O matten do nome da receita, portanto, refere-se ao leite coalhado que é o principal ingrediente de sua preparação.[1]

Supõe-se que o bolo, ou seu antecessor, surgiu originalmente nas fazendas da região. Apenas monastérios e castelos tinham ferramentas disponíveis para o armazenamento de leite fresco; portanto, fazendeiros precisavam desenvolver maneiras de aproveitar o ingrediente. Para isso, utilizava-se da mesma técnica da produção de queijo. O leite era fervido, coalhado por meio da adição de leitelho e, por fim, separado; o soro era dado como alimento aos animais. A coalhada restante era misturada com gemas de ovo e açúcar.

A receita mais antiga conhecida para o mattentaart foi registrada por Thomas van der Noot em seu "Een notabel boecxken van cokeryen" de 1510.[2] A tradição do produto tem registros igualmente antigos. A guilda de padeiros de Geraardsbergse estabeleceu uma lista de regras para a produção e confecção do produto em 12 de dezembro de 1665. Em 18 de janeiro de 1752, a imperatriz Maria Teresa ratificou essas regras por meio de um decreto.[3] Para manter a tradição da produção, padeiros da região criaram a Broederschap van de Geraardsbergse Mattentaart (Irmandade da Mattentaart de Geraardsbergse) em 1978. Desde 1980, o Dia da Geraardsbergse Mattentaart é comemorado na cidade, sempre no terceiro domingo de abril.[4][5]

Em 2000, a Broederschap entrou para o Guiness World Records ao preparar a maior mattentaart já registrada.[6]

Características[editar | editar código-fonte]

O bolo consiste em uma base e uma cobertura feitas de massa folhada, que é recheada com uma mistura de mat (uma espécie de coalhada feita de leite integral e leitelho) com ovos e amêndoas.[7][8] Rum e essência de baunilha também podem ser utilizados para dar aroma ao prato.[9]

Acredita-se que a qualidade da torta é determinada pela qualidade do leite; as culturas de solo na região de Geraardsbergen e Lierde, portanto, desempenham um papel indireto no resultado final da receita.[10]

Uma das principais características da maattentart é sua cobertura levemente "estufada"; isso é causado por uma pequena abertura que é feita na massa anterior ao cozimento, que dá passagem aos vapores.[11]

Status de indicação geográfica protegida[editar | editar código-fonte]

O Geraardsbergse mattentaart foi o primeiro produto regional flamengo a receber o rótulo de indicação geográfica protegida, dado pela Comissão Europeia. O status foi dado em 15 de fevereiro de 2007. A área geográfica inclui os municípios fundidos de Geraardsbergen e Lierde.

A aprovação do status foi publicada em 6 de janeiro de 2006.[12] A portaria que confirmou a indicação protegida foi publicada em 16 de fevereiro de 2007.[13]

Referências

  1. «Belgian Stamps Folklore». www.belgianstamps.eu. Consultado em 23 de maio de 2020 
  2. Vander Noot, Thomas (1994) [1552]. Een notabel boecxken van cokeryen (PDF). Amsterdam: Digitale Bibliotheek van Nederlandse Letteren 
  3. «Geraardsbergse Mattentaart Verordening (EEG) van de Raad» (PDF). Departement Landbouw & Visserij Vlaanderen. 5 de abril de 2005. Consultado em 23 de maio de 2020 
  4. «Geraardsbergse mattentaarten». streekproduct.be (em neerlandês). Consultado em 23 de maio de 2020 
  5. «Dag van de Mattentaart (Geraardsbergen)». www.lecavzw.be. Landelijk Expertisecentrum voor Cultuur van Alledag. Consultado em 23 de maio de 2020 
  6. «Over de Mattentaart». Broederschap van Geraardsbergen Mattentaart. Consultado em 23 de maio de 2020. Arquivado do original em 24 de maio de 2009 
  7. «Flemish Specialities: Mattentaart | VISITFLANDERS». www.visitflanders.com (em inglês). Consultado em 23 de maio de 2020 
  8. Huysentruyt, Piet. «Mattentaart». Koken VTM. Consultado em 23 de maio de 2020 
  9. «Mattentaarten». Dagelijkse Kost (em neerlandês). Consultado em 23 de maio de 2020 
  10. «Recept». Broederschap van Geraardsbergen Mattentaart. Consultado em 23 de maio de 2020. Arquivado do original em 25 de março de 2009 
  11. Lekker, Libelle. «Geraardbergse mattentaarten». Libelle Lekker (em neerlandês). Consultado em 23 de maio de 2020 
  12. «Publicatieblad van de Europese Unie C3 van 6.1.2006, blz. 9» (PDF) 
  13. «Publicatieblad van de Europese Unie L46 van 16.2.2007, blz. 14» (Pdf)