Maurice Leenhardt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Maurice Leenhardt
Nascimento Jean Henri Maurice Leenhardt
9' 09UTC 'março' 09UTC '1878
Montauban
Morte 26' 26UTC 'janeiro' 26UTC '1954 (75 anos)
Paris
Cidadania França
Progenitores
  • Franz Leenhardt
Filho(s) Stella Corbin, Raymond Leenhardt
Ocupação antropólogo
Prêmios
  • Oficial da Legião de Honra (1954)
Empregador escola Prática de Altos Estudos

Maurice Leenhardt (9 de março de 1878 - 26 de janeiro de 1954) foi um pastor e etnólogo francês especializado no povo Kanak da Nova Caledônia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Leenhardt nasceu em Montauban.

No início do século XX, as autoridades protestantes se preocuparam com a evangelização dos kanaks, em concorrência com os irmãos maristas. Maurice Leenhardt foi nomeado pastor em 1902 na Nova Caledônia, onde fundou a missão "Dö nèvâ" no vale de Houailou. Indo além de seu papel de pastor, ele se dedicou a entender a mentalidade dessas pessoas, passando a estudar a arte, os mitos e os costumes do povo kanak, bem como sua língua. Viveu entre os Kanak por 25 anos[1].

Depois de passar quase um quarto de século na Nova Caledônia, ele teve experiência na África do Sul por alguns anos e depois voltou para a França onde fundou a Société des Océanistes e assumiu a cadeira de Lucien Lévy-Bruhl na École des Hautes Études en Sciences Sociales. Após uma segunda estada de quase dez anos na Nova Caledônia, ele começou a ensinar línguas oceânicas no Institut National des Langues et Civilizations Orientales em 1944.

Morreu em Paris.

Obra[editar | editar código-fonte]

  • Le Mouvement éthiopien au sud de l'Afrique (1902)
  • La Grande Terre (1909, expanded edition 1922)
  • Traduction du Nouveau Testament en langue houaïlou (1922)
  • Notes d'ethnologie néo-calédonienne (1930)
  • Documents néo-calédoniens. (1932)
  • Vocabulaire et grammaire de la langue houaïlou (1935)
  • Gens de la Grande Terre (1937)
  • Alfred Boegner (1938)
  • Langues et dialectes de l'Austro-Mélanésie (1946)
  • L'art océanien. (1947)
  • Do Kamo. La personne et le mythe dans le monde mélanésien (1947)
  • Notes de sociologie religieuse sur la région de Canala (Nouvelle-Calédonie) (1958)

Referências

  1. SILVA, Cristhian Teófilo da (2008). «Auto-Representação Indígena na Escrita Etnográfica: elementos teóricos para a consideração da intertextualidade etnográfica.». Campos - Revista de Antropologia. Consultado em 19 de janeiro de 2020 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Clifford, James T.; Raymond Henri Geneviève. Maurice Leenhardt, Personne et Mythe en Nouvelle-Calédonie. Paris, 1987.
Ícone de esboço Este artigo sobre antropologia ou um antropólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.