Maximianno Cobra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde janeiro de 2016).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde janeiro de 2016).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Maximianno Cobra
Informação geral
Nascimento 2 de dezembro de 1969 (46 anos)
Origem Rio de Janeiro, RJ
País  Brasil,  França
Gênero(s) música clássica
Ocupação(ões) maestro
compositor
Instrumento(s) piano
cravo
órgão
Gravadora(s) TEMPUS Collection
Afiliação(ões) Hans Swarowsky
Eleazar de Carvalho
Alceo Bocchino
Serge Gut
Página oficial Maximianno Cobra - Site oficial

Maximianno Cobra (Rio de Janeiro, 1969) é um maestro brasileiro que obteve a nacionalidade francesa em 1999 e é desde esta época o regente titular e diretor artístico da Europa Philharmonia Orchestra.

Após seus estudos de piano começados aos cinco anos de idade no Rio de Janeiro, Maximianno Cobra estudou composição e regência com Alceo Bocchino, aluno e amigo de Villa-Lobos e colaborador de Hans Swarowsky.

A partir de 1986, ele será assistente musical de Alceo Bocchino e trabalhará com diversas orquestras e festivais de música no Brasil. Em 1989, ele assumirá por cinco anos seu primeiro posto como diretor musical da Orquestra Filarmônica Brasileira. Durante a década de 90, Maximianno Cobra também se apresentará como regente convidado a frente da Orquestra Sinfônica Brasileira e da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo.

En 1990, obtendo uma bolsa de estudos entra, como aluno convidado, na Hochschule für Musik und darstellend Kunst in Wien (Academia de Viena) a fim de aprimorar seus estudos. A partir de 1991 ele dirigirá como maestro convidado em Paris, Praga, Budapeste e outros lugares da Europa, seu trabalho particularmente desenvolvido na Hungria. Realisa com a Orquestra Filarmônica de Budapeste e o Côro e solistas da Ópera National da Hungria uma memorável tournée em França, dirigindo Fidelio de Beethoven e as Sinfonias de Brahms no Théâtre des Champs-Élysées e na Salle Pleyel.

Obteve doutorado em Musicologia e História da Música; na Universidade Paris-Sorbonne sob a direção do Professor Serge Gut. Ele ocupou também o posto de Professor da classe de formação para músico de orquestra e foi diretor musical da Jeune Orchestre Symphonique au Conservatoire supérieur de musique de Paris - CNR.

Durante a temporada 1998-1999, ele é nomeado responsável das sociedades de musicologia Centre Mozart e Centre d’Études Beethovéniennes de France, assim como ele assume a direção musical e artística da Compagnie d’Ópéra - Compagnie CANTUS. Desde 1999 é diretor musical da Orquestra - Europa Philharmonia e grava para o selo musical HODIE - TEMPUS Collection para o qual realiza em CD e DVD a Maximianno Cobra EDITION.

Desde 2005 Maximianno Cobra tem se dedicado também a composição e, paralelamente a suas atividades musicais, escreve cenários para teatro e cinema assim como ensaios filosóficos sobre estética artística e artigos políticos.

Residiu na França de 1993 a 2011 quando mudou-se para Florença na Itália, assumindo a direção artística do projeto audiovisual Shakespeare Network e do projeto multimédia Firenze “città dell'armonia - capolavoro a cielo aperto”.

Recebeu várias nominações e prêmios pelas suas relalizações fonográficas e audiovisuais, dentre elas: ICA - "Anthological" - "Creator" Recording Award - IAG - "Must" Hi-Fi Recording Award.

Excerto de obras[editar | editar código-fonte]

Composições[editar | editar código-fonte]

Sinfonia « Ordo ab Chao » Op. 1;
Quarteto para cordas (2 violas - 1 violoncelo - 1 contrabaixo) Op. 7;
Nove Lieder (canções) textos Shakespeare, Schiller et Goethe;
Sonata para Piano "Initiatiques" Op. 11;
Música incidental : Timon of Athens - Macbeth e Coriolanus;
Óperas : "Remember me" (textos de Shakespeare) - Das Märchen (textos de Goethe)… Edições: L.N.S. - CCMB).

Roteiros cinematográficos, adaptações e peças teatrais[editar | editar código-fonte]

Obra original roteiro: "Green, the quest" (Verde a busca);
Roteiro: Papageno (segundo a ópera "A Flauta Mágica" de Mozart);
Roteiro: "Sœur Louise" (segundo a vida e a obra de Louise Michel). Edições: Atelier "Kostya";
Adaptação - obras de Shakespeare Timon of Athens - Macbeth et Coriolanus. Edições: Atelier "Kostya";
Adaptação: Goethe: Egmont. Edições: Atelier "Kostya".

Realizações[editar | editar código-fonte]

Emissões - televisão e cabo : Série de concertos TVE Brasil Rio de Janeiro (TV Brasil) (1991) :Brahms Sinfonia No 1 - Orquestra Filarmônica Brasileira.;
Boston cable network (1993) : Documentário e performance : Beethoven Sinfonia No 7 - Orquestra Sinfônica Brasileira

Seleção discográfica DVDs e CDs : catalogo HODIE - TEMPUS Collection :

DVD VIDEO e AUDIO :
Beethoven Sinfonia No 9 - (Ode à Alegria)(2000);
Mozart Requiem…

CD :
Bach - A Arte da Fuga;
Beethoven integral das 9 Sinfonias;
Brahms integral das 4 Sinfonias;
Mozart sinfonias 25 e 40;
Schubert Sinfonia No. 9 "La Grande" etc…

Ensaios filosóficos (estética musical - edições: L.N.S.) e ensaios políticos.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]