Megaigreja

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Uma megaigreja é uma grande igreja cristã evangélica que conta com pelo menos 2 mil participantes numa típica semana de serviço.[1][2]

Definição[editar | editar código-fonte]

São igrejas cristãs, correntes protestantes, geralmente evangélicas, com uma assistência semanal de mais de 2.000 pessoas. [3] [4][5] Eles geralmente oferecem serviços adicionais, como bibliotecas, creches, academias ou lanchonetes.[6] Se algumas igrejas católicas excedem 2000 pessoas no domingo, elas não são geralmente consideradas 'mega-igrejas' por causa da natureza protestante da definição.[7]

História[editar | editar código-fonte]

Embora tenham havido grandes igrejas ao longo da História (por exemplo, o Tabernáculo Metropolitano de Charles Spurgeon em Londres que atraía em média 5.000 pessoas semanalmente), a difusão do movimento de megaigrejas, com um grande número de congregantes que retornam frequentemente, começou na década de 1950.[8][9]

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Interior da igreja Lakewood, em Houston, no Texas, a maior igreja dos Estados Unidos.

A Yoido Full Gospel Church (Igreja do Evangelho Pleno) em Seul, Coreia do Sul (com 780.000 membros em 2003), pastoreada por David (Paul) Yonggi Cho, é a maior igreja do mundo.

Outros exemplos são a Igreja Mundial do Poder de Deus, do Apóstolo Valdemiro Santiago, em São Paulo, Brasil (capacidade para cerca de 6.000 pessoas), Lakewood Church, de Joel Osteen, em Houston, Texas, EUA (46.000 pessoas toda semana), Fellowship Church (20.000 pessoas todo fim de semana) ou Hillsong Church, Sydney, Austrália (19.000 pessoas todo domingo).

Aquelas que tem ligação em um corpo maior, na maioria das vezes, são membros da denominação Batista do Sul, que representa, talvez, uma em cada cinco megaigrejas. A Assembleia de Deus alega aproximadamente uma em cada dez.

O maior megatemplo no Brasil atualmente é o Templo de Salomão, da Igreja Universal do Reino de Deus, localizado na cidade de São Paulo. Sua capacidade é de mais de dez mil pessoas sentadas na nave principal ou santuário, bem com uma área de 70 mil m2, o equivalente a 16 campos de futebol. O altar e a fachada do templo foram feitos com pedras nativas de Israel.

Gigachurch[editar | editar código-fonte]

Em algumas dessas mega-igrejas, mais de 10.000 pessoas se reúnem ao mesmo tempo. Estamos falando de Gigachurch.[10]

Envolvimento Social[editar | editar código-fonte]

As mega-igrejas e a organização não-governamental que apoiam têm um lugar importante no trabalho humanitário local e internacional. [11]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Sims, Amy. «Religion Gets Supersized at Megachurches». Consultado em 5 de novembro de 2006. 
  2. Biard, Julia. «The good and bad of religion-lite». Consultado em 5 de novembro de 2006. 
  3. Bryan S. Turner, The New Blackwell Companion to the Sociology of Religion, John Wiley & Sons, USA, 2010, p. 251
  4. Anne C. Loveland, Otis B. Wheeler, From Meetinghouse to Megachurch: A Material and Cultural History, University of Missouri Press, USA, 2003, p. 3
  5. «O come all ye faithful». Special Report on Religion and Public Life. The Economist. 3 de novembro de 2007. p. 6. Consultado em 5 de novembro de 2007. 
  6. George Thomas Kurian, Mark A. Lamport, Encyclopedia of Christianity in the United States, Volume 5, Rowman & Littlefield, USA, 2016, p. 1477
  7. Hartford Institute, Megachurch Definition, USA, acessado em 18 de junho de 2018
  8. Anne C. Loveland, Otis B. Wheeler, From Meetinghouse to Megachurch: A Material and Cultural History, University of Missouri Press, USA, 2003, p. 35
  9. Hartford Institute, Exploring the Megachurch Phenomena: Their characteristics and cultural context, USA, acessado em 18 de junho de 2018
  10. Sam Hey, Megachurches: Origins, Ministry, and Prospects, Wipf and Stock Publishers, USA, 2013, p. 265
  11. Sébastien Fath, Dieu XXL, la révolution des mégachurches, Édition Autrement, França, 2008, p. 42, 116

Ligações externas[editar | editar código-fonte]