Metrófanes II de Constantinopla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Metrófanes II de Constantinopla (em grego: Μητροφάνης Β΄), dito Mitrofonos ("matricida" - por sua submissão ao papa), foi o patriarca grego ortodoxo de Constantinopla entre 1440 e 1443[1].

Vida e obras[editar | editar código-fonte]

Metropolita de Cízico, Metrófanes se tornou patriarca em 4 ou 5 de maio de 1440 por causa de suas convicções e o seu compromisso com a chamada União de Florença. Sua eleição foi considerada uma vitória pelos unionistas[2]. Logo após a sua posse, em 15 de maio de 1440, dia da Ascensão, o povo e o clero de Constantinopla, liderados por Marcos de Éfeso (o único bispo a votar contra a União no Concílio de Florença), se recusaram a participar da comunhão enquanto Metrófanes II realizava a liturgia solene na qual o nome do papa era mencionado. Marcos fugiu da capital imperial com Antônio de Heracleia e se refugiou em Éfeso[3].

Metrófanes enfrentou então uma virulenta oposição e dispensou diversos bispos que ele considerava como "cismáticos" e os substituiu pelos prelados que haviam sido favoráveis à União em Florença. Em 1443, o imperador João VIII Paleólogo organizou um debate teológico entre os bispos latinos e Marcos de Éfeso, mas ambos os lados reivindicaram a vitória. No mesmo ano, os outros três patriarcas do oriente, o de Antioquia, de Jerusalém e de Alexandria lançaram um anátema conjunto contra Metrófanes II, ignorando que seus delegados haviam aprovado a União das Igrejas em Florença. O patriarca de Constantinopla se sentiu pouco apoiado pelo imperador João VIII, defensor da União, e, durante o julgamento, adoeceu, renunciou e morreu - diz-se de tristeza - em 1 de agosto de 1444[4]. Sem um patriarca até 1445, a causa da União ficou à deriva[5].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Metrófanes II de Constantinopla
(abdicou)

(1440 - 1443)
Precedido por: Cruz ortodoxa.png
Lista dos patriarcas grego ortodoxos de Constantinopla
Sucedido por:
José II 155.º Gregório III


Referências

  1. Venance Grumel, Traité d'études byzantines, vol. I : La chronologie, Presses universitaires de France, Paris, 1958 p. 438.
  2. Ivan Djuric, Le crépuscule de Byzance, Maisonneuve & Larose, Paris, 1996 ISBN 2-7068-1097-1, p. 329.
  3. Ivan Djuric, op. cit., p. 331.
  4. Louis Bréhier, Vie et mort de Byzance, réédition Albin Michel, Paris, 1969, p. 407.
  5. Donald MacGillivray Nicol, Les derniers siècles de Byzance, 1261-1453, Texto Les Belles Lettres, Paris, 2005 ISBN 978-2-84734-527-8, p. 383.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]