Microsoft Academic

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Microsoft Academic
Tipo de sítio Pesquisa bibliográfica
Proprietário(s) Microsoft
Cadastro opcional
Lançamento 2016; há 6 anos
Endereço eletrônico academic.microsoft.com
Estado atual inativo desde 31/12/2021

O Microsoft Academic foi um mecanismo de pesquisa público gratuito para publicações e literatura acadêmica, desenvolvido pela Microsoft Research . Relançada em 2016, a ferramenta apresenta uma estrutura de dados e mecanismo de pesquisa totalmente novos usando tecnologias de pesquisa semântica. Atualmente indexa mais de 220 milhões de publicações,[1] 88 milhões das quais são artigos de periódicos.[1] A API de conhecimento acadêmico oferece recuperação de informações do banco de dados subjacente usando terminais REST para fins de pesquisa avançada.[2]

Até 2011, o Microsoft Academic Search era um mecanismo de busca especializado em temas relacionados à informática, depois se tornou uma fonte multidisciplinar[3].

O serviço substitui o projeto de pesquisa anterior da Microsoft, Microsoft Academic Search, que terminou o desenvolvimento em 2012.[4]

Revisões preliminares por bibliométricos sugerem que o novo Microsoft Academic Search é um concorrente do Google Scholar, Web of Science e Scopus para fins de pesquisa acadêmica,[5][6] bem como análise de citações.[7][8][9]

Encerramento[editar | editar código-fonte]

A Microsoft anunciou que o serviço será finalizado em 2022[10][11].

A empresa anunciou que continuará a oferecer suporte aos agentes automatizados de IA que alimentam os serviços Microsoft Academic até o final do ano de 2021. Além disso, sugeriu que os usuários passem a iniciar a transição para outros serviços equivalentes, como Aminer, CrossRef, Dimensions, lens.org, penAlex.org, OpenCitations, Scopus e Semantic Scholar[10].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bielefeld Academic Search Engine - BASE

Google Scholar

Scorpus

Referências

  1. a b Microsoft Academic
  2. Microsoft. «Academic Knowledge API». Consultado em 29 de janeiro de 2017 
  3. Ortega, José Luis (2014). Academic search engines : a quantitative outlook. Oxford, UK: [s.n.] OCLC 892922179 
  4. Van Noorden, Richard (20 de maio de 2014). «The decline and fall of Microsoft Academic Search». blogs.nature.com. Nature. Consultado em 22 de dezembro de 2016 
  5. Harzing, Anne-Wil. «Microsoft Academic (Search): a Phoenix arisen from the ashes?» (PDF). Scientometrics. Consultado em 29 de janeiro de 2017 
  6. Hug, Sven E.; Braendle, Martin P. (2017). «The coverage of Microsoft Academic: Analyzing the publication output of a university». Scientometrics. 113 (3): 1551–1571. Bibcode:2017arXiv170305539H. arXiv:1703.05539Acessível livremente. doi:10.1007/s11192-017-2535-3 
  7. Harzing, Anne-Wil; Alakangas, Satu. «Microsoft Academic: is the Phoenix getting wings ?» (PDF). Scientometrics. Consultado em 29 de janeiro de 2017 
  8. Hug, Sven E.; Ochsner, Michael; Braendle, Martin P. (2017). «Citation analysis with Microsoft Academic». Scientometrics. 111: 371–378. arXiv:1609.05354Acessível livremente. doi:10.1007/s11192-017-2247-8 
  9. Haunschild, Robin; Hug, Sven E.; Braendle, Martin P.; Bornmann, Lutz (2017). «The number of linked references of publications in Microsoft Academic in comparison with the Web of Science». Scientometrics. 114: 367–370. Bibcode:2017arXiv171004031H. arXiv:1710.04031Acessível livremente. doi:10.1007/s11192-017-2567-8 
  10. a b «Next Steps for Microsoft Academic - Expanding into New Horizons». Microsoft Research (em inglês). Consultado em 15 de março de 2022 
  11. «28 Best Academic Search Engines That make your research easier 2022». www.scijournal.org (em inglês). 2022-01-20GMT+000003:52:21+00:00. Consultado em 15 de março de 2022  Verifique data em: |data= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um website é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre informática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.