Mike Beuttler

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2012). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Mike Beuttler
Informações pessoais
Nome completo Michael Simon Brindley Bream Beuttler
Nacionalidade britânico / egípcio
Nascimento 13 de abril de 1940
Cairo, Egito
Morte 29 de dezembro de 1988 (48 anos)
Los Angeles, Estados Unidos
Registros na Fórmula 1
Temporadas 19711973
GPs disputados 29 (28 largadas)
Títulos 0 (23º em 1973)
Vitórias 0
Pódios 0
Pontos 0
Pole positions 0
Primeiro GP Inglaterra GP da Grã-Bretanha, 1971
Último GP Estados Unidos GP dos EUA, 1973

Michael Simon Brindley Bream Beuttler (Cairo, 13 de abril de 1940 - Los Angeles, 29 de dezembro de 1988), ou apenas Mike Beuttler, foi um piloto britânico de Fórmula 1. Foi o único egípcio a guiar um carro da categoria, apesar de ser filho de um oficial que integrava o Exército de seu país na Segunda Guerra Mundial, e também o único piloto assumidamente homossexual a correr na F-1[1][2] .

Carreira[editar | editar código-fonte]

De origem inglesa (era cunhado de Alan Clark, um político inglês conservador), Beuttler começou a correr tarde, aos 24 anos, depois de começar a conduzir alguns carros, sempre como test-driver. Andou na Fórmula Libre, e depois na Fórmula 3, quando chegou ao ponto de convencer um grupo de financiadores para ajudar a chegar à F-1, em 1971.

Entre 1971 e 1973, Beuttler pilotou apenas carros da March, ora pela Clarke-Mordaunt-Guthrie Racing, ora pela STP March, escuderias não-oficiais que utilizavam monopostos da marca. Em 29 corridas (largou em 28), não pontuou, sendo sua melhor posição de chegada o 7º lugar no GP da Espanha, em 1973.

Sua última corrida foi o GP dos Estados Unidos, marcado pela morte, nos treinos, do francês François Cévert, e pela aposentadoria do tricampeão Jackie Stewart, que comemoraria a marca de 100 provas disputadas.

Após a Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Depois de se aposentar, Beuttler muda-se para os Estados Unidos, e escolhe a cidade de Los Angeles para morar. Lá, viveria até sua morte.

Morte[editar | editar código-fonte]

Em 29 de dezembro de 1988, Mike faleceria aos 48 anos de idade; a causa mortis do anglo-egípcio surpreenderia muitos: ele havia sofrido complicações decorrentes da AIDS, sendo o primeiro caso de um automobilista a morrer da doença. O segundo corredor vitimado pela AIDS foi o canadense Stéphane Proulx, falecido em 1993.

Referências

  1. «Gay Automotive:the coming out story of Mike Beutller». www.dailygossip.org. Consultado em 14 de junho de 2016 
  2. «» Remembering Mike Beuttler – Richard's F1». Consultado em 14 de junho de 2016. Arquivado do original em 25 de julho de 2015 
Ícone de esboço Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.