Morto-vivo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Mortos-vivos)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde dezembro de 2009).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
O fantasma de Barbara Radziwiłł por Wojciech Gerson: fantasmas são uma forma comum de mortos-vivos no folclore.

Mortos-vivos são seres míticos e fabulosos. Trata-se de um ser que está morto e permanece morto (sem funções biológicas que mantenham ou sustentem a vida), mas age como se ainda estivesse vivo podendo se mover, ter percepção ou mesmo consciência.

O exemplo mais conhecido são os zumbis. Os zumbis são corpos de pessoas ou animais falecidos reanimados por meios desconhecidos (podendo ser por maldição ou encantamento) e podem ser reanimados de corpos recém falecidos ou de corpos em estados avançados de decomposição. Eles são mortos que não tiveram descanso e voltam à vida num tipo de transe, ou que foram subjugados por alguma forma de encantamento. Possuem a pele apodrecida e usam roupas esfarrapadas, possuem um cheiro forte e horrível. Normalmente, perdem partes do corpo, como os dentes ou os dedos devido a sua decomposição. Perambulam sem rumo, geralmente à procura de vingança. normalmente os zumbis são apresentados como seres desprovidos de raciocínio e inteligência, sendo totalmente instintivos ou obedecendo as ordens de quem ou o quê os tenha reanimado.

Mortos-vivos também podem ser desprovidos de corpo ou qualquer forma física, como os fantasmas, já se tratando da manifestação da alma ou espirito de um ente falecido, pertencendo então a planos de existência extrafísicos e podendo tornar-se perceptível e, por vezes, tangível as pessoas vivas. Espíritos em geral são apresentados parcial ou totalmente conscientes. [carece de fontes?][necessário esclarecer]

Outros exemplos conhecidos são os vampiros e as múmias. Vampiros e outros seres que podem ter surgido de pessoas que morreram são tidos como mortos, mas são dotados de consciência e raciocínio de forma equivalente a pessoas vivas, porém não são dotados de alma e por isso podem continuar controlando seus próprios corpos sem a necessidade de funções biológicas para sustentá-los. São associados a forças demoníacas por se sustentarem por maldições, serem desalmados e manterem sua meia vida se alimentado da essência dos vivos.

Na ciência[editar | editar código-fonte]

Sendo uma construção da mitologia e superstição, o termo "morto-vivo" não é utilizado na ciência. Na ciência e medicina, uma pessoa que é revivida de morte clínica é lembrada como viva uma vez que suas funções biológicas associadas à vida foram restauradas. A capacidade de matéria morta se comportar como se estivesse viva em representações ficcionais do "morto-vivo" não é conhecida pela ciência na atualidade, e qualquer trabalho místico está fora do escopo de trabalho científico.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Morto-vivo
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.