Tales of Terror

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Muralhas do Pavor)
Ir para: navegação, pesquisa
Tales of Terror
A maldita, o gato e a morte (PT)
Muralhas do pavor (BR)
 Estados Unidos
1962 •  cor •  89 min 
Direção Roger Corman
Roteiro Argumento:
Edgar Allan Poe
Roteiro
Richard Matheson
Elenco Vincent Price
Peter Lorre
Basil Rathbone
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Tales of Terror (br.: Muralhas do Pavor / pt.:A maldita, o gato e a morte ) é um filme estadunidense de 1962, do gênero horror, dirigido por Roger Corman. O filme apresenta três segmentos adaptados da obra de Edgar Allan Poe: "Morella", "O Gato Preto" (combinado com partes de "O Barril de Amontillado") e "O Estranho Caso de M. Valdemar". É o quarto exemplar (de um total de oito) da série cinematográfica do diretor produzida pela American International Pictures, sobre adaptações da obra de Poe. O conto Morella foi refilmado em 1990 com o título de The Haunting of Morella. Há introduções com narração de Vincent Price, antes dos segmentos. O ator também protagoniza as três histórias, em papeis diferentes.

Primeiro Segmento: Morella[editar | editar código-fonte]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A jovem Lenora Locke viaja até Boston para se encontrar com o pai a quem não via desde a infância, e que agora mora numa mansão decadente. O pai que está bêbado e decrépito não fica feliz quando a vê e acusa a moça de ter assassinado a mãe, Morella, que na verdade morrera logo após o parto. Lenora descobre que o pai mantém na casa o corpo da esposa mumificado mas não sabe que a alma da mulher ainda ronda a mansão, em busca de vingança.

Segundo segmento: The Black Cat[editar | editar código-fonte]

Foto de 1961 mostra que um anúncio para o segmento "The Black Cat" atraiu várias pessoas com gatos pretos ao estúdio

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O bêbado inveterado Montresor Herringbone odeia o gato preto de sua esposa Annabelle. Numa noite, ao ser expulso de um bar, ele chega a uma Convenção de Vinicultores e desafia o renomado Fortunato Luchresi para uma competição de degustação de vinhos. Após provar seu conhecimento dos diferentes vinhos, Montresor é levado, completamente bêbado, para a casa dele pelo admirado Fortunato. Ao conhecer Annabelle, Fortunato se torna amante da mulher e se aproveita para visitá-la intimamente quando sabe que o marido a deixa sozinha toda noite para se embriagar. Montresor acaba desconfiando e descobre a infidelidade dos dois e prepara uma terrível vingança contra eles. Mas se esqueceu do gato de Annabelle.

Terceiro segmento: The Facts in the Case of M. Valdemar[editar | editar código-fonte]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Com uma doença terminal, o rico Valdemar emprega o misterioso Carmichael para que o hipnotize e com isso consiga diminuir a dor que sente. Ao mesmo tempo ele pede a seu médico que cuidasse da bela esposa Helena após a morte, pois sabe da atração de ambos. E acaba contando ao médico que fizera uma proposta para Carmichael, a de que ele o hipnotizasse pouco antes de morrer, na esperança de que a mente continuasse viva. O médico se opõe mas não consegue que o hipnotizador concretize a proposta e revele o seu verdadeiro plano: manter Valdemar como um morto-vivo e com isso chantagear Helena para que se case com ele.

Produção[editar | editar código-fonte]

O filme foi anunciado em setembro de 1961 [1] .

Corman comentou que Tales of Terror difere de suas adaptações anteriores para a AIP:[2]

(em tradução livre) "Com Tales of Terror, nós tentamos fazer algumas coisas um pouco diferentes. O roteiro era uma série de sequências assustadoras e dramáticas inspiradas em muitos contos de Poe. Nós quebramos isso, tentamos introduzir humor em um deles..."

As três histórias do filme levaram ao todo três semanas para serem gravadas[2] . Para a conclusão de "Morella", Corman reutilizou alguns cenários e filmagens do incêndio do climax de House of Usher[2] .

Price explicou como os efeitos da decomposição corporal foram feitos em "The Facts in the Case of M. Valdemar": "Nós usamos um pacote de lama à moda antiga - ela seca e recobre a pele e então abrem-se as rachaduras". Para dar a impressão de que o rosto de Vincent Price estivesse derretendo, uma mistura de cola, glicerina, amido de milho e tinta de maquiagem foi aquecida e em seguida derramada sobre a cabeça dele. A substância ficou tão quente que Price suportou apenas por alguns poucos segundos [2] .

A parte favorita do roteirista Richard Matheson era o final de M. Valdemar. Ele achava que fora muito bem feito. Era muito simples, exceto que eu inclui o médico e a esposa de Valdemar na história... Eles fizeram muito bem as mudanças" [3] .

Recepção[editar | editar código-fonte]

The New York Times classificou o filme de "maçante, absurda e inútil adaptação"[4]

A novelização do filme foi escrita em 1962 por Eunice Sudak que adaptou o roteiro de Richard Matheson. A publicação foi de Lancer Books.

Referências

  1. FILMLAND EVENTS: Poe-Pourri Film Cooks for Corman Los Angeles Times (1923-Atual) [Los Angeles, Calif] 07 de setembro de 1961: B9.
  2. a b c d Spotlight: Tales of Terror from Turner Classic Movies
  3. Lawrence French, "The Making of The Raven", The Raven novelização de Eunice Sudak, baseado no roteiro de Richard Matheson, Bear Manor Media 2012
  4. 5 de julho de 1962 resenha de Tales of Terror e Burn, Witch, Burn de The New York Times

Ligações externas[editar | editar código-fonte]