Nélson Matilde Miranda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Nélson Matilde Miranda, mais conhecido como Nelsinho (Nova Lima, 16 de março de 1945), é um ex-futebolista brasileiro.

Nelsinho começou no Guarani e foi contratado pelo São Paulo em 1967. Em quatro anos no clube, não conseguiu se firmar como titular, mas era reconhecido como boa opção de banco.[1] Em 1971 recebeu passe livre[2] e foi contratado pelo Barcelona do Equador, tendo estreado em 20 de junho. Ficaria no Barcelona até 1974 e tornar-se-ia o maior goleador em jogos oficiais da história do clube, com 76 gols. Ele seria ultrapassado por Washington Muñoz e hoje ocupa o quarto posto entre os goleadores do clube, mas ainda é o estrangeiro com mais gols na história do Barcelona. Foi também o artilheiro do Campeonato Equatoriano de 1972, com quinze gols. Naturalizou-se equatoriano em 1978.

Depois de aposentado, foi convidado pelo São Paulo para treinar equipes das divisões de base do clube. Durante a Libertadores de 1992 chegou a dar dicas para Telê Santana sobre o Barcelona, adversário do tricolor nas semifinais.[3]

Referências

  1. Alexandre da Costa (2005). Almanaque do São Paulo Placar. [S.l.]: Editora Abril. p. 421 
  2. «O São Paulo quer marcar muitos gols hoje». São Paulo: Empresa Folha da Manhã S.A. Folha de S. Paulo (15 650): 32 27 de maio de 1992 
  3. Dirceu Cabral (27 de maio de 1992). «Macedo é a arma». São Paulo: Fundação Cásper Líbero. A Gazeta Esportiva (23 673): 4