Nature Index

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O Nature Index é um banco de dados que rastreia instituições e países e sua produção científica desde sua introdução em 2016. A cada ano, o Nature Index classifica as principais instituições (que podem ser empresas, universidades, agências governamentais, institutos de pesquisa ou ONGs) e países pelo número de artigos científicos publicados em revistas líderes. Essa classificação também pode ser categorizada por campos individuais de pesquisa, como ciências da vida, química, física ou ciências da terra, com diferentes instituições liderando cada uma. O Índice da Nature foi concebido pela Nature Research. No total, mais de 10.000 instituições estão listadas no Nature Index.

Metodologia[editar | editar código-fonte]

O Nature Index tenta medir objetivamente a produção científica de instituições e países, levando em consideração as diferenças de qualidade. Portanto, apenas artigos publicados em 82 periódicos selecionados de alta qualidade são contabilizados. Esses periódicos são selecionados por um comitê independente. Se autores de várias instituições e/ou países estiverem envolvidos em um artigo científico, ele é dividido de acordo, presumindo que todos os pesquisadores estiveram igualmente envolvidos no artigo.[1][2]

Principais instituições[editar | editar código-fonte]

As 25 principais instituições com maior participação de artigos publicados em periódicos científicos de acordo com o Nature Index 2021, válido para o ano civil de 2020:[3]

Classificação Institutição País Participação total
1 Chinese Academy of Sciences  China 1.887%
2 Universidade Harvard  Estados Unidos 0.927%
3 Max Planck Society  Alemanha 0.795%
4 French National Centre for Scientific Research  França 0.712%
5 Universidade Stanford  Estados Unidos 0.638%
6 Helmholtz Association  Alemanha 0.580%
7 Massachusetts Institute of Technology  Estados Unidos 0.526%
8 Universidade de Tokyo  Japão 0.462%
9 Universidade de Oxford  Reino Unido 0.459%
10 Universidade de Cambridge  Reino Unido 0.456%
11 University of Science and Technology of China  China 0.448%
12 Peking University  China 0.446%
13 University of the Chinese Academy of Sciences  China 0.425%
14 Nanjing University  China 0.418%
15 National Institutes of Health  Estados Unidos 0.401%
16 University of Michigan  Estados Unidos 0.398%
17 University of California, Berkeley  Estados Unidos 0.395%
18 Tsinghua University  China 0.394%
19 ETH Zurich Suíça 0.378%
20 Universidade Yale  Estados Unidos 0.356%
21 University of Toronto  Canadá 0.343%
22 Zhejiang University  China 0.342%
23 University of California, San Diego  Estados Unidos 0.339%
24 University of California, Los Angeles  Estados Unidos 0.338%
25 Universidade Columbia  Estados Unidos 0.331%

Principais países[editar | editar código-fonte]

Os 25 principais países com maior participação de artigos publicados em periódicos científicos de acordo com o Nature Index 2021, válido para o ano civil de 2020.[4]

Classificação País Participação total
1  Estados Unidos 20,677%
2  China 14,256%
3  Alemanha 4,750%
4  Reino Unido 3,874%
5  Japão 3,279%
6  França 2,224%
7  Canadá 1,626%
8  Coreia do Sul 1,520%
9 Suíça 1,442%
10  Austrália 1,310%
11 Flag of Spain.svg Espanha 1,239%
12  Itália 1,134%
13  Índia 1,039%
14  Países Baixos 0,972%
15  Suécia 0,699%
16  Israel 0,642%
17  Singapura 0,635%
18  Rússia 0,534%
19  Bélgica 0,433%
20 Taiwan 0,421%
21  Dinamarca 0,409%
22  Áustria 0,377%
23  Brasil 0,308%
24  Polónia 0,271%
25  Chéquia 0,222%

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «FAQ | Nature Index». www.natureindex.com. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  2. «A guide to the Nature Index». Nature (em inglês). 569 (7756): S31. 15 de maio de 2019. Bibcode:2019Natur.569S..31.. doi:10.1038/d41586-019-01443-9Acessível livremente 
  3. «2021 tables: Institutions | 2021 tables | Institutions | Nature Index». www.natureindex.com. Consultado em 6 de julho de 2021 
  4. «2021 tables: Countries/territories | 2021 tables | Countries/territories | Nature Index». www.natureindex.com. Consultado em 6 de julho de 2021