Nicéforo I de Jerusalém

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outras pessoas de mesmo nome, veja Nicéforo I.

Nicéforo I de Jerusalém foi o patriarca de Jerusalém entre 1020 e 1048. Ele foi apontado pelo califa fatímida Aláqueme Biamir Alá (r. 996–1021), um muçulmano fanático que já havia ordenado a destruição da Igreja do Santo Sepulcro.

Vida e obras[editar | editar código-fonte]

Após a sua elevação, Nicéforo visitou-o em sua capital no Cairo, no Egito, e apelou para que ele encerrasse a perseguição aos cristãos na Terra Santa, além de pedir-lhe também proteção para si e para seus seguidores. Por alguma razão, Aláqueme concordou com o pedido.[1]

Após a morte de Aláqueme, em 1021, o imperador bizantino Romano III Argiro e Ali Azair, o filho dele, concordaram em cessar as hostilidades. Neste meio tempo, Nicéforo continuou reconstruindo a Igreja do Santo Sepulcro e, nesta tarefa, foi ajudado por Joanício, que viria a sucedê-lo. Porém, em 1034, Jerusalém foi atingida por um violento terremoto que danificou seriamente a cidade e a igreja em obras.

Em 1042, ao ascender ao trono em Constantinopla, o imperador Constantino IX Monômaco finalmente concordou em custear a reconstrução da igreja e de diversos outros edifícios cristãos na Terra Santa, nos termos do tratado firmado antes entre Ali Azair e Romano III.[2]

Nicéforo morreu em 1048.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Nicéforo I de Jerusalém
(1020 - 1048)
Precedido por: PatriarchsCross.svg
Lista sucessória dos patriarcas de Jerusalém
Sucedido por:
Teófilo I 83.º Joanício


Referências

  1. Moshe Gil. «A History of Palestine, 634-1099» (em inglês). Google Books. p. 464. Consultado em 26 de maio de 2012. 
  2. Ousterhout, Robert (1989). «Rebuilding the Temple: Constantine Monomachus and the Holy Sepulchre». Journal of the Society of Architectural Historians (em inglês). 1 (48): 66–78. Consultado em 26 de maio de 2012. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]