Novo nascimento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Um batismo de crente é um rito cristão. Refere-se a uma experiência de renovação espiritual, segundo a qual um adulto, após um novo nascimento, decide ser batizado na água em sua confissão de sua fé. É um ponto central do cristianismo evangélico, e um dos seus principais sinais distintivos.

Origem[editar | editar código-fonte]

Batismo por imersão de adultos, “Rock Harbor Church Costa Mesa”, Costa Mesa, Estados Unidos

O batismo do crente é baseado no ensinamento de Jesus Cristo que convidou a fazer discípulos em todas as nações e a batizá-los em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. [1]Segundo os evangélicos, é natural seguir a ordem; batizar alguém que tenha se tornado um discípulo antes, o que não é possível com um bebê ou uma criança. [2] [3] No Novo Testamento, as referências aos batizados referem-se apenas a adultos que experimentaram um novo nascimento. [4]

História[editar | editar código-fonte]

Os defensores do batismo infantil tentaram refazer a prática na era do Novo Testamento, mas, em geral, não há evidência inequívoca de prática antes do século II. [5] O mais antigo livro didático da disciplina da igreja, o Didaquê, considera o batismo de adultos. Os proponentes do batismo do crente sustentam que os registros não-bíblicos não são autoritativos, e que não existe nenhuma evidência na literatura bíblia ou cristã primitiva, mostrando que o batismo infantil era praticado por os apóstolos. [4]

Reforma[editar | editar código-fonte]

No século XVI, o movimento anabatista é considerado como a origem do retorno do batismo do crente. [6] Mas os historiadores classificam algumas pessoas e grupos como seus antecessores por causa de uma abordagem similar à interpretação e aplicação da Bíblia. Em 1525, Zurique na Suíça, George Blaurock (nascido em 1491), 34 anos, pediu a Conrad Grebel para batizá-lo depois de uma confissão de fé. [7]Em 1609, o movimento batista aplicará essa prática em todas as suas igrejas. [8]

O movimento pentecostal em 1906 e o movimento Carismático em 1960 também aplicaram o batismo do crente. [9] Essa prática se tornou um dos principais sinais de reconhecimento de uma igreja evangélica. [10] De fato, para a maioria dos cristãos evangélicos, o batismo do crente, por imersão na água, ocorre após o novo nascimento. [11]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. Mateus 28:19
  2. Mark Dever, Jonathan Leeman, Baptist Foundations: Church Government for an Anti-Institutional Age, B&H Publishing Group, USA, 2015, p. 93
  3. Walter A. Elwell, Evangelical Dictionary of Theology, Baker Academic, USA, 2001, p. 131
  4. a b Stanley J. Grenz, Theology for the Community of God, Wm. B. Eerdmans Publishing, USA, 2000, p. 528
  5. Mark Dever, Jonathan Leeman, Baptist Foundations: Church Government for an Anti-Institutional Age, B&H Publishing Group, USA, 2015, p. 108
  6. William H. Brackney, Historical Dictionary of the Baptists, Editions Scarecrow Press, Canada, 2009, p. 21
  7. Orlando O. Espín, James B. Nickoloff, An Introductory Dictionary of Theology and Religious Studies, Liturgical Press, USA, 2007, p. 47
  8. Robert E. Johnson, A Global Introduction to Baptist Churches, Cambridge University Press, UK, 2010, p. 56
  9. Keith Warrington, Pentecostal Theology: A Theology of Encounter, A&C Black, UK, 2008, p. 164
  10. Michael J. Meiring, Preserving Evangelical Unity: Welcoming Diversity in Non-Essentials, Wipf and Stock Publishers , USA, 2009, p. 128
  11. Randall Herbert Balmer, Encyclopedia of Evangelicalism: Revised and expanded edition, Baylor University Press, USA, 2004, p. 54