Batismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Baptismo de Cristo - Igreja do Primeiro Século.

O batismo (AO 1945: baptismo) é um rito de passagem, feito normalmente com água sagrada sobre o iniciado através da imersão, efusão ou aspersão. Este rito de iniciação está presente em vários grupos, religiosos ou não, onde destacam-se os cristãos. Na Igreja Católica, o batismo é o sacramento através do qual o Sacrifício Pascal de Jesus Cristo se aplica às almas, tornando-as, em primeiro lugar, filhas de Deus Pai, mas também membros da Santa Igreja de Cristo e abrindo o caminho para a salvação eterna.

Significados[editar | editar código-fonte]

O termo é a transliteração do grego "βαπτισμω" (baptismō) para o latim (baptismus), conforme se vê na Vulgata em Colossenses 2:12. Este substantivo também se apresenta como "βαπτισμα" (baptisma) e "βαπτισμός" (baptismós), sendo derivado do verbo "βαπτίζω" (baptizō), o qual pode ser traduzido por "batizar", "imergir", "banhar", "lavar", "derramar", "cobrir", "tingir" ou "purificar", conforme utilizado no Novo Testamento e na Septuaginta.

As abluções do Antigo Testamento (Hebreus 6:2 e Hebreus 9:10) foram traduzidas por "batismos" no grego koiné, que é o usado no Novo Testamento. Através da discussão entre os discípulos de João e os discípulos de Jesus (João 3:25-26) vemos que as purificações "καθαρισμός" (katharismós) são usadas como sinônimos de baptismo.

Esta é a mesma palavra usada em Lucas 2:22, quando Maria vai apresentar Jesus. Referindo-se ou período de purificação próprio das mulheres que tinham filho, como está na lei mosaica.

Em Marcos 7:4, onde o termo não representa o baptismo cristão, o verbo é traduzido em diferentes versões da Bíblia por lavar, limpar, aspergir ou, literalmente, batizar.

Os textos em Marcos 10:38 e Lucas 24:49 enfatizam o baptismo como rito de passagem.

A transliteração, portanto, se justifica diante do universo semântico apresentado.

Sacramento[editar | editar código-fonte]

Um batismo infantil realizado em uma paróquia da Igreja Evangélica Luterana do Brasil.

Segundo algumas denominações cristãs, entre as quais a Católica, a Luterana e a Reformada, o batismo é visto como um sacramento e o fundamento da comunhão entre todos os cristãos. Como tal vai proporcionar ao baptizando a bênção e a graça de Deus. Segundo a doutrina da Igreja Católica, o baptismo não só é um sacramento de inclusão na Igreja, no Corpo Místico de Cristo, como também é necessário para a salvação.

Na Igreja Católica, o baptismo é dado às crianças (baptismo infantil) e a convertidos adultos que não tenham sido antes baptizados validamente (o baptismo da maior parte das igrejas cristãs é considerado válido pela Igreja Católica visto que se considera que o efeito chega directamente de Deus independentemente da pessoal, embora não da intenção, do sacerdote).

"O rito essencial deste sacramento consiste em imergir na água o candidato ou em derramar a água sobre a sua cabeça, enquanto é invocado o Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo" [1].

O baptismo perdoa o pecado original e todos os pecados pessoais e as penas devidas ao pecado. Possibilita aos baptizados a participação na vida trinitária de Deus mediante a graça santificante e a incorporação em Cristo e na Igreja. Confere também as virtudes teologais e os dons do Espírito Santo. Uma vez baptizado, o cristão é para sempre um filho de Deus e um membro inalienável da Igreja e também pertence para sempre a Cristo [2].

A Igreja Católica e as tradições Luteranas, Anglicanas, Reformadas eH Metodistas insistem no baptismo às crianças porque "tendo nascido com o pecado original, elas têm necessidade de ser libertadas do poder do Maligno e de ser transferidas para o reino da liberdade dos filhos de Deus" [3], isto faz com que as pessoas não têm o direito de durante seu crescimento pecar novamente já que Jesus Cristo não voltará a terra para novamente morrer na cruz e dar-lhes o direito de ser perdoados. Ainda segundo a doutrina da Igreja Católica, embora o baptismo seja fundamental para a salvação, os catecúmenos, todos aqueles que morrem por causa da (baptismo de sangue), [...] todos os que sob o impulso da graça, sem conhecer Cristo e a Igreja, procuram sinceramente a Deus e se esforçam por cumprir a sua vontade (Baptismo de desejo), conseguem obter a salvação sem serem baptizados porque Cristo morreu para a salvação de todos. Quanto às crianças mortas sem serem baptizadas, a Igreja na sua liturgia confia-as à misericórdia de Deus, que é ilimitada e infinita [4].


Do mesmo modo, as Igrejas Luteranas, Anglicanas, Reformadas e Metodistas também ministram o baptismo às crianças e a adultos sem baptismo considerado como válidos anteriormente. Dentro do conceito de validade, apenas os Luteranos e Anglicanos mantém como válido todos os baptimos cristãos, excetuando-se apenas dos grupos considerados pela Ortodoxia Cristã como pára-cristãos (Adventistas,Testemunhas de Jeová e Mórmons). Já nos grupos Reformados (Presbiterianos e Reformados) e nos grupos Metodistas existem diversas versões sobre aceitação ou não do baptismo ministrado pela Igreja Católica Romana.

Ordenança[editar | editar código-fonte]

Segundo algumas denominações, o baptismo é entendido como ordenança, isto é, ele é uma ordem. Porém deve se ter o cuidado de que não é o rito em si o que salva, nem a quantidade de água.

O batismo deve externar a aliança com Cristo, representando uma realidade interior (I Pedro 3:21). No caso de batismo de bebês, de nada adianta batizar se não houver ensino. Jesus ordenou que seus discípulos batizassem e ensinassem a guardar os seus mandamentos (Mateus 28:19-20).

Simbolismo[editar | editar código-fonte]

A água deve simbolizar a pureza e lavar.

Se por imersão, ainda assim deve haver o derramamento sobre o batizado, simbolizando o derramar e lavar do Espírito Santo e o ser revestido de Cristo, muda-se vida - morte para o mundo, vida em Jesus.

A borrifação se reporta ao Antigo Testamento, nos ritos de purificação, a qual era tipo da purificação pelo sangue de Jesus Cristo. Assim como acontece com o derramar da água, a maior dificuldade é de cunho cultural, visto que para um hebreu esta forma de purificação já era entendida.

Modos[editar | editar código-fonte]

São dois os principais modos de batismo cristão:

  • Aspersão ou Efusão - baptismo onde a água é borrifada ou derramada sobre o que é batizado.
  • Imersão - baptismo em que o que é batizado deve ser mergulhado na água. Se baseia no significado de imergir "na morte de Cristo e ressurgir com Ele como «nova criatura»" [5].

Elementos[editar | editar código-fonte]

Um moderno batizado na Igreja do Sagrado Coração Monza, Itália

Existem diferentes elementos usados no Baptismo.

No Antigo Testamento[editar | editar código-fonte]

  • Batismo com Água - Assim foram purificados os [Levitas], através da aspersão de água. Em alguns momentos a água era misturada com algo do sacrifício, tal como cinza ou sangue. Em alguns casos eram lavados com água tanto de pessoas como de utensílios.
  • Batismo com Sangue - É o sacrifício com o derramamento de sangue como uma aliança com Deus e os homens
  • Batismo com Óleo - Era usado na consagração do sacerdote, também chamado de unção sacerdotal. Havia a unção do rei.
  • Batismo com o Espírito Santo - É mencionado como promessa nos profetas. No livro de Ezequiel, capítulo 36, versos 25 a 27, encontramos a profecia do novo nascimento e dos baptismos cristãos com água e com o Espírito Santo. O texto em Ezequiel é similar ao de Isaías 44.

No Novo Testamento encontramos[editar | editar código-fonte]

  • Batismo com Água - Neste caso há a preferência por água pura, não se misturando com sangue ou cinza. Jesus Cristo é o cordeiro do sacrifício pela expiação dos pecados. O Novo Testamento afirma que Noé e os seus foram batizados na Arca usada no dilúvio.
  • Batismo com Água (por imersão no Rio) - Feito no rio Jordão, citado nos 4 livros dos apóstolos de Jesus Cristo: Livro de: Mateus, Marcos, Lucas e João, confirmam que Jesus Cristo foi batizado no Rio Jordão, logo nos temos que seguir esse exemplo, batismo somente em água corrente de rio, devemos seguir esse modelo de batismo [6]
  • Batismo com Sangue - Jesus (Evangelho Segundo Marcos 10:38-39), diante do pedido de Tiago e João, seus discípulos, filhos de Zebedeu, se reportou a sua morte futura como um baptismo, tendo Ele derramado o seu sangue e Mediado uma Nova Aliança entre Deus e os homens, sendo Ele mesmo o sacrifício pelo pecado. Isto é reforçado na instituição da Ceia do Senhor. Seus discípulos que haviam afirmado desejarem ser batizados com o mesmo baptismo, morrera dando suas vidas por amor a Jesus. Pode ser usado quando uma pessoa é morta por defender a Fé Cristã.
  • Batismo com o Espírito Santo - Cumpre a promessa e unifica os conceitos associados ao baptismo com óleo. Pedro em sua primeira carta afirma que o povo de Deus é sacerdócio real, povo de propriedade exclusiva de Deus. O óleo é usado também no Novo Testamento como medicamento e sinal da presença de Deus.
  • Batismo com Fogo - Jesus afirmou que batizaria com o Espírito Santo e com Fogo. O fogo, tal como no caso da cinza no Antigo Testamento, está associado à purificação, mas neste caso, conforme os textos dos Evangelhos de Mateus e Lucas, significa a destruição, onde a palha será queimada em fogo inextinguível.

Fora da Bíblia[editar | editar código-fonte]

  • Fé Católica Romana - Como a Fé Romana professa ser indispensável o baptismo para a salvação, foram criados recursos através da instituição de dogmas, tal como baptismo de desejo, onde alguém que tivesse morrido desejoso de ser batizado com água o seria de alguma forma nos céus.
  • Outras religiões - Como rito de passagem de admissão.

Paralelos[editar | editar código-fonte]

Na Bíblia o baptismo recebe paralelos com:

Neste último texto, I Coríntios 10:1-4, temos os dois sacramentos: Baptismo e Santa Ceia.

Idade[editar | editar código-fonte]

  • Baptismo Cristão Adulto - Baptismo de arrependimento e remissão de pecados, o qual deve ser ministrado naquele que reconheça a sua natureza pecaminosa, que busca depender de Deus e que reconheça o senhorio de Jesus Cristo sobre sua nova vida. Esta deve ser uma ação voluntária do pecador arrependido, o qual se dispõe a perder a sua vida e depender de Jesus. Nenhum valor tem o símbolo se isto não parte de um novo coração. Sua liberdade deve ser limitada pelo amor. A independência dá lugar à dependência.
  • Baptismo Cristão Infantil - realizado em crianças, sob a autoridade de seus pais ou tutores de sua educação religiosa e formação do caráter. Não se trata de baptismo de arrependimento, mas de baptismo de consagração. Tanto na apresentação como no baptismo infantil, o propósito é reconhecer as crianças como participantes do Reino de Deus e de suas promessas, devendo estas ser ensinadas a guardar todas as coisas que Jesus ordenara. Nenhum dos dois tem valor se tutores, ao invés de serem guias e modelos de vida, forem obstáculos para que os pequeninos cheguem verdadeiramente a Jesus. Igualmente não isenta os filhos de professarem sua fé diante de Deus e das demais pessoas em seu dia-a-dia.

Para a Igreja Católica Romana a água que é jogada sobre a testa da criança, que representa vida nova, o óleo que simboliza a força da graça de Deus contra o mal; purificada e da vela, que é a luz da fé; a roupa branca é um importante símbolo deste ritual, que indica a pureza do corpo e da alma daquele que está recebendo o batismo.



Resumo comparativo[editar | editar código-fonte]

Resumo Comparativo de batismos de denominações cristãs. (Esta seção não dar uma listagem completa das denominações, e, portanto, ele menciona apenas uma fração das igrejas praticando o "batismo do crente".)

Denominação Crenças sobre o batismo Tipo de Batismo Batiza crianças? O Batismo Regenera / dá a vida espiritual Padrão
Igreja Católica Latina "Necessária para a salvação para aqueles a quem o Evangelho foi anunciado e que tiveram a possibilidade de pedir este sacramento" Normalmente, derramando no Ocidente, por submersão ou imersão no Oriente; aspersão admitida apenas se a água flui então na cabeça. Sim Sim Trindade
Igreja Ortodoxa / Igrejas ortodoxas orientais / Igrejas católicas orientais O homem velho morre o "Novo Homem" nasce livre da mancha do pecado ancestral. Um novo nome é dado. Todos os compromissos anteriores e os pecados são anulados. 3 vezes por submersão ou imersão (outras formas somente em situações de emergência, devem ser corrigidos pelo padre se possível). Sim. Crisma (ou seja,) Confirmação e Comunhão siga imediatamente. Sim Trindade
Igreja Luterana O batismo é um milagre, Sacramento Através do qual Deus cria e/ou reforça o dom da fé no coração de uma pessoa. "Embora nós não pretendem entender como isso acontece ou como é Possível, que nós acreditamos (por causa do que uma Bíblia diz sobre o batismo) que quando uma criança é batizada, Deus cria a fé no coração dessa criança". Na doutrina todas as formas são lícitas, mas na prática acontece quase sempre por aspersão ou derramamento. Sim Sim Trindade
Comunhão Anglicana "Batismo não é apenas um sinal de profissão e marca de diferença, segundo o qual os homens cristãos são discernidas de outro que não pode ser baptizado, mas é também um sinal de Regeneração ou Novo Nascimento-, segundo a qual, assim como por um instrumento, que recebem Batismo justamente são enxertados na Igreja; as promessas do perdão dos pecados e da nossa adoção de ser filhos de Deus pelo Espírito Santo, são visivelmente assinado e selado; Fé é confirmada, e a graça aumentada por virtude da oração a Deus ". Por submersão, imersão, afusão ou aspersão. Sim (na maioria das sub-denominações) Sim (na maioria das sub-denominações) Trindade
Igreja Presbiteriana e Igrejas Reformadas Um sacramento, um ritual simbólico, e um selo de fé apresentar o crente adulto. É um sinal externo de uma graça interna. Por aspersão, derramamento, imersão ou submersão. Sim, para indicar a filiação na Nova Aliança. Não Trindade
A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias Uma ordenança essencial para entrar no Reino Celestial do Céu e da preparação para receber o dom do Espírito Santo pela imposição das mãos. Por imersão realizado por uma pessoa que tenha autoridade apropriada do sacerdócio. Não (pelo menos 8 anos de idade) Sim Pai e do Filho e do Espírito Santo (na Igreja SUD se acredita na trindade como 3 seres distintos)
Igreja Batista Uma ordenança divina, um ritual puramente simbólico. É administrado somente àqueles que fazem sua pública profissão de fé em Cristo. Representa a morte para a antiga vida de pecado e o nascimento para uma nova vida de santidade com Cristo. Somente por imersão (mergulhando o corpo por completo na água). Não Não Trindade
Igreja Metodista (Arminianos, Wesleyana) O sacramento da iniciação à santa Igreja de Cristo, pelo qual uma está incorporada atos poderosos de salvação de Deus e dado novo nascimento através da água e do espírito. Batismo lava roupa um pecado e na justiça de Cristo. Por aspersão, derramamento, imersão ou submersão. Sim Pode variar Trindade
Anabatista O batismo é considerado pela maioria dos anabatistas como a ser essencial para uma fé cristã, mas não para a salvação. É considerado uma ordenança bíblica, juntamente com uma comunhão, lavar os pés, o ósculo santo, o véu da mulher cristã, uma unção com óleo e casamento. Os anabatistas também estiveram historicamente contra a prática do batismo infantil. Os anabatistas se firmemente contra o batismo infantil em um momento em que uma Igreja e o Estado eram um e quando as pessoas foram feitas de um cidadão Através do batismo na Igreja sancionada oficialmente (ou Católica Reformada). Crença e arrependimento Acredita-se que depois ou antes do batismo. Derramando, imersão ou submersão. Não Não Trindade
Cristadelfianos O batismo é essencial para a salvação de um crente. Ele só é eficaz se alguém acredita que a verdadeira mensagem do Evangelho, antes de serem batizados. O batismo é um símbolo externo de uma mudança interna no crente: ele representa uma morte a um caminho, velho pecador de vida, eo início de uma nova vida como cristão, como resumiu o arrependimento do crente - é, portanto, leva a perdão de Deus, que perdoa as pessoas que se arrependem. Embora alguém é batizado só uma vez, um crente deve viver de acordo com os princípios de seu batismo (isto é, a morte para o pecado, e uma nova vida a seguir Jesus) toda a sua vida. Só por submersão Não Sim O Pai, do Filho e do Espírito Santo (embora Cristadelfianos não acreditam na trindade de Niceia)
Discípulos de Cristo O batismo é um sinal externo e público da graça de Deus se manifesta no indivíduo. Na submersão, uma simbolicamente experiências morrer com Cristo, e em seguida levanta-se com Ele. Geralmente por submersão Não Não Trindade
Quaker (Sociedade Religiosa de Amigos) Apenas um símbolo externo que já não está a ser praticado. Não acredite em Batismo de água, mas apenas em um aperfeiçoamento, purificação permanente do espírito humano em uma vida de disciplinada conduzida pelo Espírito Santo.
Autenticistas

(Comunidade Cristã)[7]

O batismo é espiritual, que era necessário a demonstração exterior nos primórdios da igreja. Tendo se aproximado ainda mais da unidade e aperfeiçoamento da fé, o batismo da consciência não necessita de símbolo exterior. Como se trata de batismo interno, constante e já espiritual, a mudança não só é inevitável como caracteriza o próprio batismo.
Igreja Unida de Cristo (Evangélicos e Igrejas Reformadas and the Igrejas Cristãs Congregacionais) Um dos dois sacramentos. O batismo é um sinal exterior da graça de Deus para dentro. Pode ou não ser necessária para a participação em uma congregação local. No entanto, é uma prática comum, tanto para crianças e adultos. Por aspersão, derramamento, imersão ou submersão. Sim, para indicar a filiação na Nova Aliança. Não Trindade
Igrejas de Cristo Igrejas de Cristo, historicamente, tinha a posição mais conservadora sobre o batismo entre os diversos ramos do Movimento de Restauração, a compreensão do batismo por imersão para ser uma parte necessária da conversão. Só por imersão Não Devido à crença de que o batismo é uma parte necessária da salvação, alguns batistas afirmam que as Igrejas de Cristo endossar a doutrina da regeneração batismal. No entanto, os membros das Igrejas de Cristo, rejeitar este, alegando que, desde a fé e o arrependimento são necessárias, e que a purificação dos pecados pelo sangue de Cristo através da graça de Deus, o batismo não é um ritual intrinsecamente redentora. O batismo é entendido como uma expressão confessional de fé e arrependimento, ao invés de um "trabalho" que ganha a salvação. Trindade
Adventista Não é indicado como pré-requisito para a salvação, mas um pré-requisito para a admissão à igreja. Ela simboliza a morte para o pecado e novo nascimento em Jesus Cristo. Por imersão Não Não Em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo
Testemunhas de Jeová O batismo é necessário como parte de toda a organização batismal: como uma expressão de obediência ao mandamento de Jesus, como um símbolo público da fé salvadora no sacrifício resgatador de Jesus Cristo, e como uma indicação de arrependimento de obras mortas e da dedicação de uma vida ao Senhor. Consideram também o batismo uma forma de adesão a nova fé, invalidando, portanto batismos anteriores em qualquer corrente religiosa. No entanto, o batismo não garante a salvação. Só por submersão Não Não No momento anterior ao batismo, confirmam a fé em Jeová em nome de Jesus. Contudo no momento do batismo nenhuma palavra é dita.
Denominação (continuação) Crenças sobre o Batismo Tipo do Batismo Batiza crianças? O Batismo Regenera / dá vida espiritual padrão
Pentecostais trinitários "Holiness" e vários grupos, Assembleia de Deus Batismo é uma ordenança, um ritual simbólico usado para presenciar a ter aceitado a Cristo como Salvador pessoal. Comum por submersão. Algumas denominações por asperção. Sublinham também a necessidade de um "segundo Batismo" especial do Espírito Santo. Não Varia Trindade
Pentecostais do Nome de Jesus Necessária para a salvação Só por submersão Não Sim Nome de Jesus
Revivalismo Um passo necessário para a salvação. Por submersão, com a expectativa de receber o Espírito Santo. Não Sim Trindade

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Baptismo

Notas e Referências

  1. Compêndio do Catecismo da Igreja Católica (CCIC), n. 256
  2. Ibidem, n. 263
  3. Ibidem, n. 258
  4. Ibidem', n. 262
  5. Ibidem, n. 252
  6. «Mateus 3 - Bíblia Online - nvi». www.bibliaonline.com.br. Consultado em 23 de fevereiro de 2017 
  7. Autenticismo na Web - Estudo analítico sobre Batismo

Outras fontes[editar | editar código-fonte]