O Domingo Ilustrado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Domingo Ilustrado
Periodicidade semanal
Fundação 1925
Director Leitão de Barros
Idioma Português europeu
Término de publicação 1927


O Domingo Ilustrado : notícias e atualidades gráficas, teatros, sports e aventuras, consultórios e utilidades foi um semanário publicado em Lisboa (apesar de se apresentar como "jornal de Portugal") entre Janeiro de 1925 e Dezembro de 1927. Compromete-se a ser um jornal para toda a gente, tentando realçar as «afinidades evidentes ou reconditas que entre as várias classes subsistem». Aparentemente longe de se querer imiscuir em terrenos políticos, pretende antes retratar «um país de trabalho e de recreio, de fabricas e romarias, de vinhedos e olivais, de monumentos e de paisagens, de lirismo e de pitoresco, de cultura e de esporte». Contudo, evidencia-se, a certa altura, como órgão legitimador do golpe de 28 Maio de 1926. No comando deste projeto brilha o nome de Leitão de Barros assessorado por uma lista significativa de intervenientes: Eduardo Gomes (assume a direção no primeiro ano do semanário), Martins Barata, Carlos Malheiro Dias, Tomás Ribeiro Colaço, Feliciano dos Santos, André Brun, Corrêa Leal, Francisco Guedes, Armando Ferreira, Henrique Roldão, Artur Portela, Reinaldo Ferreira, fotógrafos: Ferreira da Cunha, Arnaldo Garcez, Mário de Novaes, Raul Reis, Serra Ribeiro, Martins Barata, Carlos Botelho, Manuel Roque Gameiro e Raquel Roque Gameiro Ottolini. [1]

Referências

  1. Rita Correia (10 de Novembro de 2007). «Ficha histórica: O Domingo Ilustrado (1925-1927)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 3 de Outubro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre meios de comunicação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.