Orquestra de Câmara da ECA/USP

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Orquestra de Câmara da USP)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Orquestra de Câmara da ECA USP
Músicos da OCAM em 2017
Também conhecida como OCAM
País  Brasil
Período em atividade 1995 - presente
Sede São Paulo
Diretor musical Gil Jardim
Página oficial ocam.usp.br

A Orquestra de Câmara da ECA/USP, também conhecida como OCAM ou Orquestra de Câmara da USP, é uma orquestra ligada ao Departamento de Música da ECA/USP formada por jovens estudantes de música, criada pelo maestro Olivier Toni em 1995. Desde 2001, a OCAM tem direção do maestro Gil Jardim.

História[editar | editar código-fonte]

A orquestra foi regulamentada oficialmente em 21 de junho 1995 pelo então reitor da Universidade de São Paulo, Flavio Fava de Moraes, quando ocorreu seu primeiro ensaio aberto. A orquestra surge como demanda do Departamento de Música da Universidade de São Paulo de uma orquestra para desenvolvimento de atividades pedagógicas envolvendo alunos instrumentistas, regentes e compositores. Em sua fundação a orquestra contava com 22 instrumentistas, alunos da Universidade ou de cursos de extensão universitários, que recebiam ajuda de custo para a atuação na orquestra. [1]

Diferentemente da Orquestra Sinfônica da USP, orquestra formada por músicos profissionais ligada à Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária, a OCAM é ligada ao Departamento de Música da USP com o intuito de complementar a formação de jovens universitários e difundir a cultura musical. [2]

A orquestra realizou seu concerto de estreia no dia 21 de junho de 1995, no auditório do Departamento de Música da USP.

Em 2001 a OCAM sofre alterações em seu projeto artístico-pedagógico, tendo direção do maestro Gil Jardim, passando a contar com Conselho Consultivo para desenvolvimentos de suas atividades e patrocínio do Banco Santander/Banespa. Além disso teve ampliação de seu corpo de instrumentistas para 35 músicos.[3]

Atualmente a OCAM conta com 45 instrumentistas, quadro que se renova anualmente pela realização de testes de admissão. Tendo a perspectiva de formação, os mais de 800 músicos que foram seus membros hoje são membros de orquestras profissionais nacionais e internacionais. [4][5]

Em 2020, como forma de incentivo à luta contra a Pandemia de COVID-19, a OCAM, junto com a Energias de Portugal lançaram um obra audiovisual criada a partir d'O Trenzinho do Caipira de Heitor Villa-Lobos. A obra utiliza citações de Ailton Krenak ("O amanhã não está à venda"), Chico Buarque e Francis Hime (Meus Caros Amigos), Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira (Asa Branca), Gilberto Gil (Andar com Fé), Caetano Veloso (Canto de um povo de um lugar), Milton Nascimento e Caetano Veloso (Paula e Bebeto) e Sivuca e Glória Gadelha (Feira de Mangaio).[6]

Referências

  1. «Folha de S.Paulo - USP cria Orquestra de Câmara para os alunos da universidade - 15/6/1995». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 30 de março de 2019 
  2. «RESOLUÇÃO Nº 4179, DE 21 DE JUNHO DE 1995 | Normas USP». Consultado em 30 de março de 2019 
  3. «Para fazer música e músicos: A Orquestra de Câmara da USP, ligada ao Departamento de Música da ECA, inicia nova temporada e prepara expansão com recursos recebidos da iniciativa privada». Jornal da USP. 8 de abril de 2002. Consultado em 7 de novembro de 2019 
  4. - (13 de maio de 2016). «Orquestras harmonizam os sons da Universidade». Jornal da USP. Consultado em 7 de novembro de 2019 
  5. «Orquestra de Câmara da USP se apresenta no Auditório Ibirapuera». Jornal da USP. 23 de outubro de 2019. Consultado em 7 de novembro de 2019 
  6. «Fantástico encerra com clipe de "Trenzinho Caipira"». G1. Consultado em 19 de maio de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]