Ostanes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ostanes
Nascimento Século V a.C.
Morte 358 a.C.
Progenitores Mãe:Parisátide
Pai:Dario II da Pérsia
Filho(s) Sisigambis
Irmão(s) Amastris (filha de Artaxerxes II da Pérsia), Artaxerxes II da Pérsia, Ciro, o Jovem

Ostanes foi um príncipe persa, irmão de Artaxerxes II. Seu neto Dario III tornou-se rei dos reis após os massacres promovidos pelo eunuco Bagoas, e foi derrotado por Alexandre, o Grande.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Dario II e Parisátide tiveram quatro filhos, Artaxerxes II, o mais velho, Ciro,[1] que ganhou este nome em honra de Ciro, o Grande, cujo nome, segundo Plutarco, é a palavra persa para Sol, [2] Ostanes e Oxatres.[1]

Artaxerxes I, filho de Xerxes I e Amástris,[3] só teve um filho legítimo, Xerxes II, filho de Damáspia.[4] Damáspia morreu no mesmo dia que Artaxerxes I.[4] Artaxerxes I teve dezessete filhos ilegítimos, dentre os quais Secidiano (Sogdiano), filho da babilônia Alogine, Oco (o futuro rei Dario II) e Arsites pela babilônia Cosmartidene e Bagapeu e Parisátide pela babilônia Andria.[4] Durante o reinado de Artaxerxes I, Oco foi feito sátrapa da Hircânia e casou-se com sua meio-irmã Parisátide.[4]

Descendentes[editar | editar código-fonte]

Oco (Artaxerxes III) foi um rei muito cruel, e foi assassinado pelo eunuco Bagoas, por envenenamento.[5] Bagoas colocou como rei seu filho mais novo, Arses (Artaxerxes IV),[5] e matou os irmãos do novo rei, que eram menores de idade, de forma a tornar o rei mais fácil de ser dominado, mas Arses ficou indignado com o comportamento de Bagoas e estava preparado para puni-lo, mas foi morto, com seus filhos, no terceiro ano de seu reinado.[6] Com a extinção da casa real, Bagoas chamou Dario III, que era filho de Arsanes e neto de Ostanes, para ser rei.[7] Bagoas também tentou matar Dario por veneno, mas o plano foi descoberto, e Dario fez Bagoas tomar o veneno que ele havia preparado.[8]

Referências

  1. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 1.1
  2. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Artaxerxes (II) 1.2
  3. Ctésias de Cnido, Pérsica, texto em epítome por Fócio, Biblioteca de Fócio, 24 [em linha]
  4. a b c d Ctésias de Cnido, Pérsica, texto em epítome por Fócio, Biblioteca de Fócio, 47 [em linha]
  5. a b Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XVII, 5.3 [ael/fr][en]
  6. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XVII, 5.4 [ael/fr][en]
  7. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XVII, 5.5 [ael/fr][en]
  8. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XVII, 5.6 [ael/fr][en]