Owenetta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaOwenetta
Ocorrência: Permiano - Triássico
"Owenetta" kitchingorum.

"Owenetta" kitchingorum.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Sauropsida
Subclasse: Anapsida
Ordem: Procolophonomorpha
Género: Procolophon
Espécies
  • O. rubidgei Broom, 1939

Owenetta é um gênero extinto de pararéptil procolofonóide basal. Os fósseis foram encontrados a partir do Grupo de Beaufort, na Bacia de Karoo na África do Sul. A maioria dos procolofonóide viveram durante o Triássico, Owenetta existiu durante os estágios Wuchiapingiano e Changhsingiano do final do Permiano, bem como a fase inicial Induano do Triássico. É um gênero da família Owenettidae, e pode ser distinguido de outros táxons relacionados em que a porção posterior do supratemporal tem um entalhe lateral e que o forame pineal está rodeada por uma superfície do Osso parietal do crânio.

Espécies[editar | editar código-fonte]

Um tipo de espécie de Owenetta é o O. rubidgei. É conhecido por vários crânios, mas nenhum esqueleto pos craniano. Foi descrita em 1939 a partir de um crânio parcial encontrado na África do Sul do final do Permiano [1]. Várias outras localidades da mesma zona renderam o restante dos exemplares conhecidos.

A nomeação de uma nova espécie em 2002, O. kitchingorum, ampliou o alcance temporal da Owenetta no Triássico, o que significa que o gênero tinha sobrevivido após a extinção do Permiano-Triássico [2]. Esta nova espécie foi considerada distinta da espécie-tipo com base em características encontradas em três espécimes quase completos. Encontrado em 1968, o primeiro material de O. kitchingorum foi um pequeno bloco, contendo dois esqueletos na proximidade um do outro (embora na época em que foram pensados para ser a espécie-tipo) [3]. Esses esqueletos são usados para distinguir parte das informações da espécie tipo O. kitchingorum. O. kitchingorum difere do O. rubidgei em que possuía pos-parietal pequeno na borda posterior do crânio e da maxila, e não detinha mais de 20 dentes, alguns dos quais foram forma canina. O espécime mais bem preservado parece ser um indivíduo subadulto com base em características do crânio.

Um ano após a nova espécie ter sido nomeada Owenetta, um documento de proposta que deve ser atribuída ao seu próprio gênero distinto, embora um novo nome ainda está para ser concedido [4]. Trabalhos mais recente também apoiaram esta polifelia [5]. Se este for o caso, o Owenetta fica temporalmente restrito ao Permiano, e provavelmente morreu no final do período, como resultado do evento de extinção em massa.

Mais tarde o lagarto Colubrifer campi, nomeado em 1982 a partir de um espécime encontrado a partir do início do Triássico, foi transferido para o gênero Owenetta. Com base em um crânio quase idêntico ao conhecido Owenetta, parece que o animal era quase certamente um procolofonóide desse género. Isto sugere que Owenetta de fato sobreviver ao evento de extinção em massa no fim do Permiano.

Filogenia[editar | editar código-fonte]

Quando Owenetta foi nomeado e descrito, outros Procolophonomorphas eram considerados dentro Cotylosauria, um grupo que compreendeu o que se acreditava ser o mais primitivo dos répteis. Cotylosauria desde então tem sido renomeado Captorhinida. Agora pensasse ser um grupo parafilético e parente dos anapsídeos. O procolofonóide Owenetta e outros são agora uma subclasse dentro do Parareptilia. Ele colocado na família Nyctiphruretidae, mas está colocado dentro da família Owenettidae, da qual é o gênero tipo [6][7][8].

Um bem preservado e quase completo espécimes de Owenetta tem sido útil em análises filogenéticas de procolofonóides e o pararepteis, que recentemente passou por muitas revisões. Embora o esqueleto pos-craniano é conhecido apenas por indivíduos imaturos, as comparações podem ser feitas com táxons relacionados, tais como Barasaurus, que é conhecido de ambas as formas imaturas e maduras, que resolvem esse problema de morfologia. Owenetta tem sido utilizado em algumas análises filogenéticas para defender a teoria tradicional de que o Procolophonomorphas foram os ancestrais das tartarugas, embora agora pareça que as tartarugas evoluíram a partir de Pareiassauros ou mesmo do Sauropterygias [9][10] sauropterygians[11].

Notas e referências

  1. Broom, R. (1939). A new type of cotylosaurian, Owenetta rubidgei. Annals of the Transvaal Museum 19:319–321.
  2. Reisz, R. R. and Scott, D. (2002). Owenetta kitchingorum, sp. nov., a small parareptile (Procolophonia: Owenettidae) from the Lower Triassic of South Africa. Journal of Vertebrate Paleontology 22(2):244-256.
  3. Gow, C. E. (1977). Owenetta in perspective. Palaeontologica Africana 20:115–118.
  4. Modesto, S. P., Damiani, R. J., Neveling, J. and Yates, A. M. (2003). A new Triassic owenettid parareptile and the Mother of Mass Extinctions. Journal of Vertebrate Paleontology 23(3):715–719.
  5. Modesto, S. P. and Damiani, R. (2007). The Procolophonoid Reptile Sauropareion anoplus from the Lowermost Triassic of South Africa. Journal of Vertebrate Paleontology 27(2):337-349
  6. Lee, M. S. Y. (1995). Historical burden in systematics and the interrelationships of parareptiles. Biological Reviews 70(3):459-547.
  7. deBraga, M. and Reisz, R. (1996). The Early Permian reptile Acleistorhinus pteroticus and its phylogenetic position. Journal of Vertebrate Paleontology 16(3):384-395
  8. Säilä, L. K. (2008). The osteology and affinities of Anomoiodon liliensterni, a procolophonid reptile from the Lower Triassic Buntsandstein of Germany. Journal of Vertebrate Paleontology 28(4):1199-1205
  9. Reisz, R. R. and Laurin, M. (1991). Owenetta and the origin of turtles. Nature 349:324-326.
  10. Lee, M. S. Y. (1997). Pareiasaur phylogeny and the origin of turtles. Zoological Journal of the Linnean Society 120:197-280
  11. Rieppel, O. and deBraga, M. (1996). Turtles as diapsid reptiles. Nature 384:453-455.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]