Pós-humanismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O termo Pós-humanismo[1] possui várias definições.[2] É usado, de um lado, como uma forma de designar as correntes de pensamento que aspiram a uma superação de humanismo no sentido de ideias e imagens a partir do Renascimento clássico. Este destina-se a atualizar estas concepções ao Século XXI, muitas vezes envolvendo uma suposição das limitações da inteligência humana.

Outro uso do termo pós-humanismo costuma asimilarse como o destino do transumanismo ao superar as limitações intelectuais e físicas através do controle tecnológico da própria evolução biológica.(ver engenharia genética humana), emergindo um estado existencial fisicalista no qual domina-se a trascendência natural da humanidade.

Pós-humano é um conceito notavelmente originado nas áreas de conceito de ficção científica, futurologia, arte contemporânea e filosofia. Estas múltiplas origens interagindo entre si têm contribuído para a confusão profunda sobre as semelhanças e diferenças entre o pós-humano de "pós-modernismo" e pós-humano de "transumanismo".

O pós-humanismo e a tecnologia evoluíram de mãos dadas já que atualmente é uma maneira de ter acesso ao conhecimento. Redes sociais, smartphones e etc. são instrumentos que facilitam o nosso acesso ao conhecimento. O conhecimento relativista e quântico têm sido diferentes tipos de conhecimento com o qual nós desenvolvemos a tecnologia, porque eles surgem em si da física moderna.

Assim que o pós-humanismo toma forma na sociedade, suposições sobre o surgimento de um novo protótipo humano abrem um período de reflexão sobre as promessas da tecnologia. A humanidade está no limiar de um novo salto evolutivo da tecnologia, o que tem dado origem a vários cenários de evolução que, por um lado, dão medo, e por outro lado são motivo de esperança. No final, tudo depende do uso que os seres humanos dão à tecnologia.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. SANTOS, Agripino (2020). Tecnonatureza, Transumanismo e Pós-Humanidade: o Direito na hiperaceleração biotecnológica. Salvador: JusPodivm 
  2. Ferrando, Francesca (2013). «Posthumanism, Transhumanism, Antihumanism, Metahumanism, and New Materialisms: Differences and Relations» (PDF) (em inglês). ISSN 1932-1066. Consultado em 14 de março de 2014 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]